segunda, 17 de junho de 2024
Balanços

Cosan (CSAN3) registra prejuízo líquido de R$ 192 milhões no primeiro trimestre de 2024

O rendimento de aplicações financeiras foi de R$ 63,0 milhões (+24,0%), reflexo do maior saldo em caixa no trimestre atual

28 maio 2024 - 22h04Por Lucas de Andrade

No primeiro trimestre de 2024, o custo da dívida bruta da Cosan (CSAN3) foi de R$ 1,10 bilhão, superior em R$ 295 milhões na comparação entre períodos.

O aumento foi explicado não somente pelo maior saldo de endividamento bruto no período corrente, mas também devido ao descasamento temporal das taxas de câmbio nas rolagens dos swaps designados como hedge, que impactou a marcação a mercado negativamente.

O rendimento de aplicações financeiras foi de R$ 63,0 milhões (+24,0%), reflexo do maior saldo em caixa no trimestre atual.

A Cosan Corporativo apresentou um prejuízo líquido de R$ 192 milhões entre os meses de janeiro e março, expansão de R$ 712 milhões frente ao mesmo período do ano anterior.

Os principais efeitos que suportaram a melhora no período estão concentrados em:

  • - i) na linha de equivalência patrimonial com contribuição da Vale, que passou a ser contabilizada a partir de dezembro de 2023, e com a base de comparação negativamente afetada pela provisão relacionada à exclusão de benefícios fiscais, e
  • - ii) no resultado financeiro, alavancado principalmente pelo ganho com o desfazimento da estrutura do collar financing

 

Quando comparado ao quarto trimestre de 2023, a variação negativa se deu em função de dois efeitos principais registrados no trimestre anterior:

  • - i) rubrica do MEP beneficiada pela reversão das provisões referentes à exclusão da subvenção, e
  • - ii) ganho com a marcação a mercado pela valorização das ações da Cosan e da Vale no período.

 

Cosan Corporativo: representa a reconciliação da estrutura corporativa da Cosan, composta por: (i) alta administração e equipes corporativas, que incorrem em despesas gerais e administrativas e outras despesas (receitas operacionais), inclusive investimentos pré-operacionais; (ii) resultado de equivalência patrimonial dos ativos, incluindo a participação na Vale S.A. a partir de dezembro de 2023; e (iii) resultado financeiro atribuído a caixa e dívidas da controladora, holdings intermediárias (Cosan Oito, Cosan Nove e Cosan Dez) e empresas financeiras offshores, entre outras despesas. 

Tags: Cosan, csan3