domingo, 26 de junho de 2022
[OGF - VIP - SPACENOW DESKTOP]
O que influencia o dia

Powell volta ao Capitólio, risco fiscal no Brasil, zona do euro: as principais notícias de hoje (23)

Fique por dentro dos cinco principais assuntos que movimentarão os mercados em todo o mundo nesta quinta-feira

23 junho 2022 - 08h36Por Investing.com
[CURSO OGF - CRIATIVO 3 - BILBOARD TOPO 2 - ÚLTIMAS NOTÍCIAS E DEMAIS]

Por Geoffrey Smith e Ana Beatriz Bartolo, da Investing.com - O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, vai à Câmara americana para um segundo dia de depoimento, enquanto o aperto monetário continua das Filipinas à Noruega e, provavelmente, Egito e México.

A Alemanha soa o alarme sobre o fornecimento de gás natural depois que a Rússia fecha as torneira e os dados do estoque de petróleo do governo estão atrasados por problemas técnicos.

A situação fiscal no Brasil volta a ser motivo de preocupação para os investidores.

[NECTON IPE -  SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na quinta-feira, 23 de junho:

1. Powell volta ao Congresso

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, dirige-se à Câmara dos Representantes para o segundo dia de seu testemunho regular sobre o estado da economia dos EUA. Powell disse ao Senado na quarta-feira que os riscos de uma recessão aumentaram, mas que o banco central ainda priorizará reduzir a inflação alta.

Powell tomará seu assento minutos após a atualização da semana sobre os pedidos de auxílio-desemprego, que vêm apresentando uma tendência suave, mas ainda assim claramente ascendente nas últimas semanas.

[OGF - VIP -  SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

Em outros lugares, o aperto da política monetária em todo o mundo continuou, com o banco central da Noruega aumentando sua taxa básica em 50 pontos base para 1,25%, mais do que o esperado.

As Filipinas também subiram, mas apenas 25 pontos base, enquanto a Indonésia manteve sua taxa básica estável. Os bancos centrais do Egito e do México devem subir 50 e 75 pontos base, respectivamente, quando se reunirem mais tarde.

2. Risco fiscal volta a preocupar

A cruzada do presidente Jair Bolsonaro contra a alta dos combustíveis, motivada pelas suas ambições eleitoreiras, está aumentando as preocupações fiscais do mercado.

[OGF - VIP -  SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

O governo e a sua base aliada discutem elevar o Voucher-Caminhoneiro de R$ 400 para R$ 600, mas alguns jornais também discutem a possibilidade do novo valor ser de R$ 1 mil. Também há conversas sobre ampliar o vale-gás e aumentar o Auxilio Brasil.

A ideia seria incluir essas medidas na PEC 16, em discussão no Senado, que autoriza a União a compensar Estados que zerarem a alíquota do ICMS sobre o diesel e o gás de cozinha e fixarem o imposto em 12% sobre o etanol.

O Voucher Caminhoneiro de R$ 600 custaria R$ 3 bilhões ao cofres públicos, enquanto dobrar o valor ou o alcance do vale-gás sairia próximo dos R$ 2 bilhões.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, está tentando evitar esses gastos nos últimos meses e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), também demonstrou resistência às ideias, ao dizer ontem que é preciso ter responsabilidade com o teto de gastos.

A preocupação também é como esses benefícios seriam interpretados pela Lei Eleitoral e como seria possível viabilizar esse orçamento e manter as contas do governo no azul.

Às 08h09, o ETF EWZ era negociado com alta de 0,94%, a US$ 28, no pré-mercado dos EUA.

3. Mercado de ações americanas

Os mercados de ações dos EUA devem abrir moderadamente em alta, à medida que os investidores se ajustam aos últimos comentários sobre as perspectivas econômicas de Powell e outros.

Às 08h10, os futuros da Dow Jones subiam 0,48%, enquanto os da S&P 500 subiam 0,74% e os da Nasdaq 100 avançavam 1,12%. Todos os três caíram entre 0,1% e 0,2% após o primeiro dia de depoimento de Powell.

As ações que provavelmente estarão em foco incluem Accenture e Darden Restaurants, que relatam seus balanços antes da abertura. Eles fornecerão uma visão das tendências atuais em investimentos empresariais e gastos do consumidor, respectivamente. A FedEx, uma referência das compras online e da economia remota em geral, informa seus números após o fechamento.

4. A economia europeia desacelera ainda mais

A atividade de negócios na zona do euro caiu para seu nível mais baixo em 16 meses em junho, com o aumento da inflação e o aumento das taxas de juros afetando a demanda e azedando as perspectivas econômicas.

O índice composto de gerentes de compras de junho da S&P Global - que combina dados dos setores de serviços e manufatura do bloco monetário - caiu para 51,9 pontos, abaixo dos 54,8 de maio, e abaixo das estimativas dos analistas.

A S&P também disse que a economia do Reino Unido estava “funcionando no vazio” depois que as expectativas de negócios caíram para seu nível mais baixo em quase um ano e meio. O mais recente de uma série de dados fracos do Reino Unido ocorre antes de duas eleições secundárias na quinta-feira, que devem mostrar uma grande virada contra o Partido Conservador no poder.

5. Petróleo cai após grande aumento nos estoques de APIs

Os preços do petróleo caíram devido a ruídos otimistas de Teerã sobre as perspectivas de um acordo que poderia levar à suspensão das sanções ocidentais, facilitando o caminho para os mercados mundiais de exportações iranianas.

Às 08h13, os futuros do petróleo nos EUA recuavam 0,41%, a US$ 105,75, enquanto os de Brent caíam 0,21%, a US$ 111,51.

O governo dos EUA disse que os dados semanais de inventário da Energy Information Administration serão adiados devido a problemas técnicos. Dados paralelos da API do órgão da indústria de petróleo e gás na quarta-feira mostraram o maior aumento semanal nos estoques de petróleo em mais de dois meses.

Enquanto isso, os Futuros Europeus de Gás Natural atingiram um novo recorde de três meses quando a Alemanha deu um passo mais perto de racionar o fornecimento de gás natural, ativando a segunda fase de um plano de três partes para garantir a segurança do abastecimento.

A medida formaliza outras ações já iniciadas por Berlim nos últimos dias em resposta a um corte de 60% no fornecimento de gás russo por razões que o governo considera politicamente motivadas. No entanto, o governo não ativará imediatamente uma disposição que permitiria que os suprimentos repassassem os aumentos de preços antes dos ajustes permitidos contratualmente.

 

Deixe seu Comentário

Publicidade
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content