Menu
Busca segunda, 25 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Petróleo

Petróleo atinge máximas de março com esperança de vacinas

25 novembro 2020 - 19h23Por Investing.com

Por Barani Krishnan, da Investing.com - Os estoques de petróleo bruto nos Estados Unidos caíram em quase 800.000 barris na semana passada, confundindo as expectativas dos analistas de um crescimento e enviando o petróleo dos EUA para altas de US$ 45 vistas pela última vez em março, antes das turbulências do mercado causadas pela pandemia do coronavírus.

Os estoques de petróleo para a semana encerrada em 20 de novembro caíram 754.000 barris, em comparação com o amento de 127.000 barris projetada por analistas, mostraram dados semanais emitidos pela Administração de Informações de Energia (EIA, na sigla em inglês). O declínio quase anulou o aumento do estoque de 768.000 barris da semana anterior.

Enquanto os estoques de petróleo caíram, os estoques de gasolina aumentaram em 2,18 milhões de barris, mais do que o triplo do aumento esperado de 614.000 barris. Foi a segunda semana consecutiva em que o mercado deu uma leitura errada da gasolina, após o aumento da semana anterior de 2,6 milhões contra uma queda projetada de 2,3 milhões.

A gasolina é o principal indicador da demanda de combustível nos Estados Unidos. Números de sinalização em relação ao combustível nas últimas duas semanas são prova do declínio da demanda sazonal nesta época do ano, logo após o final do período de pico do verão nos EUA. É também um testemunho do peso contínuo da pandemia da Covid-19 na economia, especialmente com o surgimento de novas infecções, hospitalizações e mortes desde o início de novembro.

A tendência de baixa na demanda por gasolina, no entanto, não impediu o petróleo West Texas Intermediate, a referência para o petróleo dos EUA, de atingir máximas de 8 meses.

O WTI fechou em alta de 80 centavos, ou 1,8%, a US$ 45,71 por barril. Mais cedo, atingiu um pico intradiário de US$ 45,74, nível visto anteriormente em 5 de março, pouco antes do colapso econômico provocado pela Covid-19 enviar WTI para US$ 40 negativos por barril em um dado momento.

Deixando o WTI de lado, o Brent, negociado em Londres, a referência global para o petróleo, fechou em alta 67 centavos, ou 1,4%, a US$ 48,53. O Brent chegou anteriormente a US$ 48,91, também o maior valor desde março.

Os preços do petróleo têm subido recentemente, com o WTI e o Brent subindo cerca de US$ 11 por barril, ou quase 30%, nas últimas cinco semanas. O movimento veio depois de testes promissores de vacinas contra o coronavírus, mesmo com uma série de novas infecções por Covid-19 relatadas nos EUA, que já tem 12,6 milhões de casos positivos desde janeiro e quase 260.000 mortes relacionadas ao vírus. As hospitalizações por Covid-19 nos EUA atingiram recordes diários de mais de 100.000 nas últimas semanas, com Nova York relatando 5.000 casos na quarta-feira pela primeira vez desde abril.

“Parece que os investidores de energia estão montando em manchetes de vacinas contra o coronavírus que estão forçando todos a aumentar suas previsões de demanda bruta para 2021”, apesar da fúria dos dados dos EUA que sugerem que o PIB do quarto trimestre pode voltar à contração, disse Ed Moya, analista da OANDA de Nova York. “Os preços das commodities devem se beneficiar de um dólar mais fraco, já que essa onda de dados dos EUA apoia a noção de que o Fed fará mais e, eventualmente, o Congresso também.

A alta de quarta-feira nos preços do petróleo também parecia sustentada por outro dado de estoque que vem melhorando recentemente: o diesel, que alimenta os caminhões que formam a espinha dorsal do sistema de entrega dos EUA, que se tornou ainda mais importante devido à pior pandemia do século .

Os estoques de destilados, liderados pelo diesel, caíram em 1,4 milhão de barris após um declínio de 5,2 milhões na semana anterior, mostraram dados da EIA.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: