quarta, 29 de maio de 2024
Empresas

Petrobras (PETR3)(PETR4) tem alta de 8,8% na produção de petróleo e gás no terceiro trimestre

Foram 2,88 milhões de barris produzidos por dia no período

27 outubro 2023 - 08h38Por José Chacon

A produção de petróleo, gás natural e líquido de gás natural (LGN) somou 2,88 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/dia) no terceiro trimestre da Petrobras (PETR3)(PETR4). Isso representa um aumento de 8,8% em relação ao mesmo período de 2022. 

O resultado se deu em função do melhor desempenho operacional das plataformas do pré-sal e do menor volume de perdas por paradas e manutenções, afirma a estatal.

Os números são do relatório de produção e vendas da petroleira no terceiro trimestre deste ano, divulgado na última quinta-feira (26).

Segundo o documento, Petróleo e LGN registraram produção total de 2,84 milhões de barris diários entre julho e setembro, elevação de 9% frente a igual período do ano passado, enquanto a produção de gás natural foi de 525 mil boe/dia, um avanço de 6,3% na comparação com os mesmos meses do ano passado.

A Petrobras ainda acrescentou que o desempenho operacional foi impulsionado pelo processo de aumento de produção da plataforma P-71, no campo de Itapu, do navio-plataforma (FPSO, na sigla em inglês) Almirante Barroso, no campo de Búzios, e do FPSO Anna Nery, no campo de Marlim.

No pré-sal, a produção total da Petrobras foi de 2,25 milhões de barris de óleo equivalente por dia, novo recorde trimestral da companhia. 

A produção de óleo na camada foi de 1,872 milhão de barris, aumento de 16,3% na base anual.

As exportações de petróleo pela Petrobras no terceiro trimestre foram de 599 mil barris por dia (barris/dia), uma alta de 65% frente a igual período de 2022. Na comparação com o segundo trimestre deste ano, as exportações aumentaram 31,5%, principalmente de petróleo, em função da maior produção de óleo cru.

A China foi o país que mais comprou petróleo da estatal, correspondendo a 40% do volume comercializado no exterior, seguido pela Europa (32%), América Latina (13%), Estados Unidos (7%), Ásia (excluindo a China, com 7%) e Caribe, com 1% das vendas externas. 

Já as importações reduziram em 33,3% ante igual período no ano passado, e em 17,9%, frente ao segundo trimestre, devido às menores importações de derivados e pelo aumento de produção das refinarias, conclui a estatal. 

O documento mostra ainda que a estatal vendeu 1,8 milhão de barris de derivados, um aumento de 1,3% na comparação com igual período de 2022.