segunda, 27 de maio de 2024
Notícias

Opep+ considera cortes adicionais na produção de petróleo para apoiar os preços em 2024

Produtores se reúnem virtualmente nesta quinta-feira (30)

30 novembro 2023 - 11h25Por Redação SpaceMoney
 - Crédito: Zbynek Burival via Unsplash

Nesta quinta-feira (30), a aliança de produtores de petróleo conhecida como Opep+ discutirá, por meio de reuniões virtuais, a possibilidade de implementar cortes adicionais na produção para o próximo ano, buscando sustentar os preços do petróleo. As informações são da agência de notícias Reuters. 

Duas fontes da Opep+ consultadas pela Reuters revelaram que um acordo preliminar já foi alcançado, apontando para um corte adicional que poderia ultrapassar 1 milhão de barris por dia (bpd), sinalizando a intenção do grupo em controlar a oferta de petróleo.

Os principais produtores, como Arábia Saudita e Rússia, responsáveis por mais de 40% da oferta mundial de petróleo, têm planos para rever os cortes atuais. A Arábia Saudita se comprometeu voluntariamente com uma redução de 1 milhão de bpd, enquanto a Rússia cortou suas exportações em 300.000 bpd, ambos os acordos com prazo de término no final deste ano.

Atualmente, os países membros da Opep+ mantêm uma redução conjunta na produção em torno de 5 milhões de bpd, refletindo seus esforços coletivos para estabilizar o mercado de petróleo.

Os futuros do petróleo bruto Brent apresentaram um aumento de 1,4%, ultrapassando a marca de 84 dólares por barril na quinta-feira (30), registrando um terceiro dia consecutivo de ganhos, impulsionados pelas expectativas em torno de novos cortes por parte da Opep+.

Delegados envolvidos nas discussões indicaram que os possíveis novos cortes para 2024 podem variar entre 1 milhão e 2 milhões de bpd no primeiro trimestre do próximo ano.

Helima Croft, analista da RBC Capital Markets, ressalta a possibilidade de a Arábia Saudita não querer arcar sozinha com os cortes adicionais, sugerindo a extensão dos cortes por parte da Rússia e da Arábia Saudita até o primeiro trimestre de 2024, além de formar uma coalizão com outros produtores dispostos a ajustes voluntários.

A discussão central nas reuniões gira em torno da redução da produção, especialmente após a queda nos preços, que passaram de quase 98 dólares no final de setembro, considerando as preocupações relacionadas ao crescimento econômico mais fraco previsto para 2024 e a expectativa de um possível excesso de oferta.

Apesar das expectativas, fontes ligadas à Opep+ afirmaram à Reuters que as discussões têm sido desafiadoras, evidenciadas pelo adiamento da reunião anteriormente marcada para o último domingo (26).

Agora, os planos envolvem uma reunião virtual exclusiva dos ministros da Opep, às 8h (horário de Brasília), seguida por uma reunião mais abrangente da Opep+ às 11h (horário de Brasília), buscando chegar a um consenso sobre os cortes adicionais na produção de petróleo para 2024.