Menu
Busca sexta, 15 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Teses de investimentos

O que Biden e a onda azul significam para First Solar?

11 janeiro 2021 - 08h43Por Investing.com

Por Liz Moyer e Peter Nurse, da Investing.com - Com um Congresso totalmente azul, o plano de energia limpa de US$ 2 trilhões do presidente eleito Joe Biden tem uma chance maior de sucesso, e isso é uma boa notícia para as empresas de energia solar.

A perspectiva elevou o setor de energia como um todo este ano, após uma década sendo o cão do S&P 500.

A First Solar Inc (NASDAQ:FSLR) (SA:FSLR34) poderia se beneficiar dessa tendência, mas o enfraquecimento da lucratividade a deixará atrás de seus pares no mercado de painéis solares?

Liz Moyer, do Investing.com, defende o caso de crescimento da First Solar, enquanto Peter Nurse explica o lado negativo.

The Bull Case: a tese altista

A First Solar, sediada em Tempe, Arizona, fabrica painéis e módulos solares, colocando-a em posição de se beneficiar dos ambiciosos planos de energia limpa de Biden.

Como candidato, Biden se comprometeu a instalar 500 milhões de painéis solares nos EUA nos próximos cinco anos, e poderia apresentar outros planos que poderiam iluminar o mercado solar.

O objetivo, é claro, é eliminar o uso de combustíveis fósseis, especialmente o carvão. A Agência Internacional de Energia disse que a energia renovável está a caminho de ultrapassar o carvão como a maior fonte de energia até o ano de 2025, acrescentando que a energia solar está liderando o bloco, à frente do vento e outras fontes renováveis.

A First Solar é a principal fabricante de algo chamado painéis de película fina, que custam um terço a menos para fazer e podem operar bem em climas variados, incluindo umidade e neve. Eles são mais fáceis de instalar do que os painéis tradicionais e funcionam em ambientes com pouca luz.

A ação atingiu uma máxima de 52 semanas na sexta-feira e está 81% sobre o ano passado.

A empresa se destaca das outras com seu balanço. A First Solar tinha cerca de US$ 1,4 bilhão em caixa no final do terceiro trimestre, o que lhe permitiu gerar receita de juros ou investir em novas tecnologias. Alguns concorrentes, por outro lado, têm dívidas.

A First Solar também manteve a lucratividade durante as paralisações pandêmicas do ano passado. Ela está a caminho de anunciar um lucro por ação (LPA) no final do ano de 2020 de US$ 3,62, de acordo com as previsões dos analistas. Isso se compara a um lucro por ação de US$ 1,48 em 2019. As vendas também caíram ligeiramente no ano passado e devem retornar aos níveis de 2019 - pouco mais de US$ 3 bilhões - no final deste ano.

As primeiras estimativas para 2021 mostram que o LPA para o ano inteiro caiu para US$ 3,44, mas é cedo.

Outro benefício do First Solar é a renovação do crédito tributário para o investimento em energia limpa, o que pode estimular mais vendas. Um Congresso voltado para o verde também poderia aprovar mais legislação que poderia aumentar a atenção e as vendas no espaço solar.

A energia solar custava entre US$ 140 e US $ 150 por megawatt-hora (MWh) com créditos fiscais de investimento. Mas em 2020, o custo caiu para US$ 25 a US$ 35 por MWh, de acordo com Motley Fool. Isso torna a energia solar menos cara do que os combustíveis fósseis, e o custo deve continuar caindo. Isso coloca a energia solar no caminho para se tornar o menor custo de energia em massa, mesmo considerando o custo da bateria.

A carteira de negócios da First Solar significa que ela continuará a crescer, disse Motley Fool. A empresa atualmente tem uma carteira de contratos que totaliza 12,2 gigawatts de vendas de sistema e 8,3 GW de oportunidades adicionais de estágio intermediário a tardio no pipeline, disseram os analistas. "Para uma perspectiva, a capacidade de produção atual da empresa é de 5,5 GW, o que significa que tem anos de vendas futuras alinhadas."

The Bear Case: a tese de baixa

É um truísmo dizer que as ações de energia solar receberão mais atenção de Washington nos próximos dois anos do que nos últimos quatro. Mesmo assim, nem todos as ações solares são iguais; vale a pena vender o First Solar.

A empresa simplificou suas atividades para se concentrar em seu negócio principal de fazer módulos solares de película fina. Não é mais um player tão grande na indústria solar, depois de se livrar de seu negócio de propriedade de ativos, suas operações na América do Norte e negócios de gestão e sua unidade envolvida na execução de usinas de energia.

Isso significa que a First Solar é uma empresa mais especializada, o que poderia levar a mais eficiência e melhores margens de longo prazo, mas não tem as oportunidades de crescimento imediato que alguns de seus concorrentes têm.

Já está mostrando sinais preocupantes de enfraquecimento da lucratividade. A First Solar deve reportar lucro no final do ano de 2020 de US$ 3,62 por ação, de acordo com dados da FactSet, mas o lucro no final do ano de 2021 é estimado em apenas US$ 3,44.

É esta queda esperada nos lucros que levou o influente banco de investimentos Goldman Sachs (NYSE:GS) (SA:GSGI34) a rebaixar sua posição de ações da First Solar de "compra" para "venda" no início desta semana."

O banco prevê que as margens brutas e o lucro por ação da First Solar atinjam um pico em meados de 2021, com o LPA caindo a uma taxa de crescimento anual composta de 17% até 2022.

Ao longo do mesmo período, os pares da First Solar se beneficiarão de ganhos crescentes de 20% a 30%, acrescentou o banco.

Essa visão negativa ocorre apesar do ambiente regulatório benigno. No entanto, a pressão do tempo pode fazer com que o próximo governo Biden opte por se concentrar em outras prioridades mais urgentes.

Mesmo com as vitórias em ambas as cadeiras do Senado da Geórgia, o novo governo ainda precisará buscar moderados republicanos para aprovar uma legislação rápida, o que significa que algumas de suas propostas mais ambiciosas ainda podem ser diluídas.

“Suspeitamos que Joe Biden inicialmente procurará levar adiante os planos de infraestrutura, que têm maior probabilidade de obter apoio de todas as partes”, disse o analista do ING, James Knightley, em uma nota de pesquisa no início desta semana. “No entanto, seu plano de energia verde de US$ 2 trilhões para descarbonizar a produção de eletricidade dos EUA até 2035 terá mais resistência dos republicanos.”

As ações já estão sendo negociadas a mais de 50 vezes, atrás dos ganhos de 12 meses, de acordo com dados da Investing.com. Isso é caro o suficiente. Se, como diz o Goldman, os ganhos vão cair a partir daqui, isso não vai fazer com que pareça mais barato.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: