sábado, 21 de maio de 2022
Balanço 2T21

Lucro líquido da Dexco (DTEX3), ex-Duratex, soma R$ 716,6 milhões no 2º tri

Companhia destaca o aquecimento dos setores imobiliário e de construção civil como principal influência para os resultados

29 julho 2021 - 11h34Por Redação SpaceMoney
 - Crédito: Divulgação

A Dexco, ex-Duratex (DTEX3), reportou um lucro líquido de R$ 716,6 milhões no segundo trimestre deste ano, o que reverte um prejuízo de R$ 23,5 milhões registrados em igual período do ano passado. Os dados constam no balanço trimestral divulgado pela companhia na noite de quarta-feira (28).

Segundo a companhia, os resultados do lucro líquido foram influenciados positivamente pela exclusão do ICMS da base de cálculo de PIS e Cofins.

Entre abril e junho deste ano, a companhia registrou R$ 500 milhões de Ebitda, maior nível histórico para um segundo trimestre, e a receita líquida foi de R$ 1.974 milhões - alta de 88,7%.

O lucro líquido recorrente foi de R$ 251,2 milhões - avanço expressivo mediante o que a companhia reportou no mesmo intervalo de 2020: R$ 2,213 milhões.

Os números representam o melhor segundo trimestre da história da companhia e o melhor primeiro semestre de toda sua trajetória.

Os resultados positivos foram impulsionados pelo crescimento significativo da demanda, principalmente em Revestimentos Cerâmicos e Deca, que haviam sido impactados pela sazonalidade do primeiro trimestre. Além disso, o fortalecimento do mix e a bem-sucedida estratégia de aumento de preços no período foram fatores preponderantes em conjunto com o crescimento do setor de autoconstrução e reforma.

Em relação a seu endividamento, a Dexco segue com baixa taxa de alavancagem (Dívida líquida / EBITDA recorrente) de 0,9x, sustentada pelo forte resultado operacional e geração de caixa.

Vale citar o Rating AAA (bra) concedido pela da agência Fitch, que comprova a posição de negócios da Dexco e sua capacidade de gerar robusto fluxo de caixa operacional e livre, mesmo em cenários econômicos adversos.

"Atingimos o melhor o primeiro semestre da história da companhia, com um EBITDA de R$ 996 milhões, isso é mais do que alcançamos durante o ano de 2019 inteiro. Entre as principais razões deste crescimento, podemos destacar a continuidade do aquecimento do setor imobiliário e da construção civil, além das reformas que são parte substancial de nosso faturamento. Dessa forma, mantemos a expectativa positiva para os próximos meses", comenta Antonio Joaquim de Oliveira, presidente da Dexco.

Com informações de A4&Holofote Comunicação.

 

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content