Menu
Busca quarta, 20 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Avaliação

Genial vê cisão entre GetNet e Santander (SANB11) como positiva

De acordo com a corretora, o negócio permite a GetNet a ter um alcance de market share equivalente ao do banco através da utilização do canal do Santander

29 setembro 2021 - 13h48Por Investing.com

Por Ana Beatriz Bartolo, da Investing.com - A cisão entre a GetNet e o Santander (SA:SANB11) deve ser concluída no final de outubro, com a listagem da empresa de maquininhas na B3 (SA:B3SA3) e na Nasdaq, e na visão da Genial Investimentos, esse negócio é uma boa oportunidade, que permite a companhia a ter um alcance de market share equivalente ao do banco através da utilização do canal do Santander.

A cada 4 ações de Santander ou 2 units, o acionista receberá 1 ação da Getnet, quando a cisão estiver concluída. Assim, a Genial recomenda compra do Santander, com preço-alvo em R$ 56,50. Às 11h24, as ações do banco subiam 1,55%, a R$ 36,59.

A Getnet tem um grande potencial de crescimento e desde 2013, vem aumentando a sua participação no mercado, em função da capacidade de distribuição do canal bancário, que deverá continuar a ser utilizado mesmo com fusão. No acordo, ficou decidido que o Santander receberá uma comissão por cada cliente conquistado pela GetNet utilizando o canal do banco.

Mas a Genial alerta que a utilização do canal bancário do Santander para distribuir os produtos da Getnet, apesar de ser a grande vantagem do acordo, pode ocasionar dissinergias com a cisão.

A empresa também pode se beneficiar com a concessão de “crédito fumaça”, em que há a garantia d o fluxo de recebíveis de cartão. Porém, a Stone (NASDAQ:STNE)  (SA:STOC31) reportou problemas com as centrais de recebíveis que comprometeram a inadimplência e paralisaram as originações. A continuidade de tais problemas pode dificultar o crescimento do “crédito fumaça” na Getnet.

Além disso, a empresa está mudando o mix de clientes, o que traz dúvidas sobre a manutenção do take rate da Getnet, correspondente ao percentual do TPV transformado em receitas e das margens. Antes da pandemia, 60% dos seus clientes eram de pequeno e médio varejo. Mas esse número caiu a 40% no pior momento da quarentena e agora está em 45%.

Para compensar essa queda, a companhia passou a trabalhar com empresas de topo de pirâmide, como Cobasi, PagueMenos, Shell (NYSE:RDSa), Starbucks Corporation (NASDAQ:SBUX) (SA:SBUB34). Esse tipo de cliente geralmente possui um volume transacionado superior e um take rate mais baixo.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: