terça, 28 de maio de 2024
SpaceMercado

Destaques corporativos: Cemig (CMIG4), Natura (NTCO3), Petrobras (PETR3)(PETR4) e mais

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

20 março 2023 - 14h58Por Redação SpaceMoney

Cemig (CMIG4), Natura (NTCO3) e Petrobras (PETR3)(PETR4) protagonizam o noticiário corporativo desta segunda-feira (20).

SpaceMercado

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Alliar (AALR3): acionista controlador apresenta novo pedido de OPA à CVM

Em fato relevante na última sexta-feira (17), a Alliar (AALR3) informou ao mercado que seu acionista controlador, Fonte de Saúde Fundo de Investimento em Participações, apresentou um novo pedido de registro de oferta pública de aquisição (OPA) à Comissão de Valores Mobiliárias (CVM). 

O pedido atende à obrigação de realização de OPA para alienação do controle da companhia para o Fonte de Saúde FIP. A operação está sujeita à autorização da CVM e da B3 (B3SA3). 

 

Americanas (AMER3) apresenta plano à Justiça hoje, sem acordo com os bancos

A Americanas (AMER3) deve apresentar à Justiça nesta segunda-feira (20) a primeira versão de seu plano de recuperação sem ter chegado a um acordo com seus principais credores - os bancos detêm mais de R$ 20 bilhões das dívidas da varejista, informaram as repórteres Talita Moreira e Fernanda Guimarães para o jornal Valor.

De acordo com o veículo, espera-se que a companhia leve ao juízo uma proposta que inclui aporte de R$ 10 bilhões pelos acionistas de referência.

O colunista Lauro Jardim, em seu blog no jornal O Globo, informou que o trio Jorge Paulo Lemann , Marcel Telles e Beto Sicupira indicaram a possibilidade de botar na mesa uma proposta de aporte acima dos R$ 10 bilhões ofertados na última reunião.

 

Assaí (ASAI3): Orbis Investment Management atinge 5,88% de participação na empresa

O Assaí (ASAI3) informou na última sexta-feira (17) que a Orbis Investment Management atingiu uma participação total de 5,88% das ações ordinárias da empresa. 

De acordo com o comunicado, a Orbis passou a deter 59.452.528 ações do Assaí e 3.968.761 ADR's (American Depositary Receipts) da companhia. 

A gestora também afirmou que não tem intenção de mudar o controle ou a estrutura administrativa do Assaí. 

 

BB Seguridade (BBSE3): prêmios emitidos do seguro de vida crescem 3,5% em um ano, em fevereiro

O BB Seguridade (BBSE3) registrou um crescimento de 3,5% nos prêmios emitidos dos seguros de vida em um ano, na comparação entre os meses de fevereiro passado e retrasado.

O segmento prestamista evoluiu 54,8%, ao passo que os prêmios emitidos do segmento rural se expandiram em 48,1% na mesma base de comparação.

No segmento previdência, as contribuições retraíram 0,6% em relação ao mesmo mês de 2022.

A captação líquida totalizou R$ 331 milhões no mês, enquanto houve um resgate líquido de R$ 247 milhões no mesmo período do ano anterior, com redução no fluxo de saídas para portabilidade e para devolução de saldo a beneficiário em função de falecimento do titular do plano.

As reservas cresceram 10,5% no período. 

 

Cemig (CMIG4) inicia processo para alienação de 15 PCHs e CGHs

A Cemig (CMIG4) publicou, na última sexta-feira (17), o edital para realização de leilão público com objetivo à alienação de 15 PCHs e CGHs de geração hídrica - 12 ativos da Cemig GT e 3 da Horizontes Energia S.A., subsidiária integral da Cemig GT.

O valor mínimo para o lote único dos ativos foi calculado em R$ 48,2 milhões, com previsão para realização do leilão em 10 de agosto.

A presente alienação visa atender às diretrizes do planejamento estratégico da Cemig, que preconiza a otimização do portfólio de ativos, além de buscar melhorar a eficiência operacional e a melhor alocação de capital. 

 

Gafisa (GFSA3) vai cancelar registro de companhia aberta nos EUA

A Gafisa (GFSA3) anunciou o início de processo de deslistagem nos EUA, mas destacou que vai continuar listada na B3, informou a repórter Victoria Netto para o jornal Valor.

De acordo com o veículo, a empresa vai incluir três matérias extraordinárias em assembleia-geral ordinária (AGO) prevista para o dia 28 de abril. O pedido foi feito pela Esh Theta, titular de ações ordinárias representativas de mais de 16% do capital social votante.

A reportagem informa que vai estar à mesa a aprovação da propositura de ação de responsabilidade. em decorrência dos prejuízos causados à Gafisa da operação de aquisição da Bait e da operação de alienação do Hotel Fasano.

Acionistas deliberarão ainda sobre a alteração da cláusula 20 do Estatuto Social, de modo que a competência do conselho de administração para escolha ou destituição da auditoria independente esteja limitada às quatro maiores empresas: E&Y, KPMG, Deloitte ou PWC.

As informações são do jornal Valor.

 

Hapvida (HAPV3) abre centro de pesquisas de inteligência artificial no Ceará

O Grupo Hapvida NotreDame Intermédica (HAPV3) inaugurou nesta segunda-feira (20), em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC), o Centro de Referência em Inteligência Artificial (Cereia). 

O projeto também recebeu apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A unidade ocurapará 380 metros quadrados na área da UFC, em Fortaleza (CE). 

 

Hidrovias do Brasil (HBSA3) relata inviabilidade para operação de logística de sal no RN

Em comunicado na última sexta-feira (17),  no âmbito das iniciativas realizadas para viabilizar a potencial operação de logística de sal no Rio Grande do Norte, a Hidrovias do Brasil (HBSA3) informou dificuldades.

Diante do óbice regulatório intransponível para viabilizar referida operação, qual seja, a negativa da ANTAQ acerca do registro de instalação flutuante, após negadas as medidas aplicáveis nas esferas administrativa e judicial, a companhia assimilou a inviabilidade de realizar tal operação nos modelos inicialmente pensados. 

Com isso, a Hidrovias do Brasil passou a direcionar seus esforços e recursos para novos potenciais projetos, que tenham retornos atrativos.

Dessa forma, diante das diferentes oportunidades presentes em sua operação e no mercado, vai dar seguimento para o melhor uso ao ativo customizado e que seria direcionado para referida operação, denominado, HB Potiguar (seja em novos projetos internos ou com terceiros).

Por fim, a empresa ainda ressaltou que a não realização da operação de sal no Rio Grande do Norte não tem qualquer relação com a operação de sal a ser realizada no Porto de Santos – que segue em desenvolvimento, e as operações no terminal STS20 têm apresentado resultados muito positivos e com indicadores operacionais superiores ao esperado inicialmente. 

 

Isa Cteep (TRPL4) aprova 13º emissão de debêntures, no montante de R$ 550 milhões

O Conselho de Administração da Isa Cteep (TRPL4) aprovou a 13ª emissão de debêntures simples da companhia, em reunião realizada no dia 7 de março. 

Segundo o comunicado da companhia na última sexta-feira (17), serão emitidas 550 mil debêntures, com valor nominal unitário de R$ 1.000, totalizando R$ 550 milhões. O prazo de vencimento destes títulos é de sete anos contados a partir da data de emissão, ou seja, vencem no dia 15 de maço de 2030. 

Os juros remuneratórios destas debêntures serão correspondentes à variação acumulada de 100% das taxas médias diárias do Depósito Interfinanceiro (DI) de um dia, calculado pela própria B3 (B3SA3). 

 

Itaú (ITUB4) informa alteração em taxa de retorno das notas perpétuas de capital

Na sexta-feira (17), o Itaú (ITUB4) confirmou que, em relação às suas notas perpétuas de capital complementar emitidas com um cupom de 6,500% em 19 de março de 2018, seu cupom foi atualizado com base no spread de crédito inicial de 386,3 BPS mais a taxa do Tesouro Americano de 5 anos praticada no momento.

O novo cupom foi definido em 7,859%.

O novo cupom vai ser válido de 19 de março de 2023 até 19 de março de 2028, ou até que o exercício de recompra seja exercido, o que ocorrer primeiro.

 

Light (LIGT3) contrata BMA para se proteger das dívidas de curto prazo, diz colunista

A Light (LIGT3) contratou o BMA para preparar uma ação cautelar para protegê-la das dívidas de curto prazo, informou o blog do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo

De acordo com a apuração, trata-se de um passo seguinte do processo de tentativa de reorganização financeira da companhia que, em janeiro, contratou a consultoria Laplace para reestruturar suas dívidas.

As informações são do blog do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

 

Minerva (BEEF3): diretor estatutário assume cargo de diretor executivo nas operações da Austrália

Na última sexta-feira (17), a Minerva (BEEF3) comunicou ao mercado que o Conselho de Administração aprovou a saída de Francisco de Assis Ferreira Filho do cargo de diretor estatutário da companhia na quinta-feira (16). 

Assis assume agora a posição de diretor executivo nas operações da Minerva Foods na Austrália. 

No comunicado, a empresa de exportação de carne bovina informou que, com a sua saída, o cargo por ele ocupado permanecerá temporariamente vago. 

 

Natura (NTCO3) informa propostas iniciais não vinculantes para a venda de Aesop

Após a agência Bloomberg divulgar que a L’Oreal e a Permira estariam entre as interessadas em adquirir uma participação na Aesop, o conselho de administração da Natura (NTCO3) confirmou  “que recebeu propostas iniciais não vinculantes” que envolvem a venda total ou parcial da ssubsidiária.

De acordo com a companhia, seus executivos responsáveis ainda avaliam “estruturas alternativas” que envolvem a Aesop.

Em comunicado, a Natura não citou nomes de potenciais compradores nem forneceu atualizações adicionais sobre esses assuntos.

A nota afirma que, a menos que, ou até que determine que, uma divulgação adicional seria apropriada ou necessária com base nos fatos e circunstâncias.

 

Petrobras (PETR3)(PETR4): Reino Unido confisca mais de US$ 8 milhões de ex-funcionário

A agência Reuters informou que, por decisão de um tribunal londrino, o Escritório de Fraudes Graves do Reino Unido (SFO, na sigla em inglês) pode apreender mais de US$ 8 milhões em dinheiro ilícito vinculado ao escândalo de corrupção que envolve um ex-funcionário da Petrobras (PETR3)(PETR4).

O movimento ocorreu no âmbito da operação Lava-Jato, de acordo com o veículo.

O órgão solicitou o confisco de US$ 7,7 milhões e 700 mil libras mantidas na conta bancária em Londres de Mario Ildeu de Miranda

Também traz que a quantia foi a maior já apreendida pelo SFO de uma única conta bancária, e a diretora do SFO, Lisa Osofsky, se manifestou.

"Ao longo de dois anos, desvendamos uma complexa rede de transações em todo o mundo", como a tentativa do ex-executivo de ocultar provas criminais e com a garantia de que "o Reino Unido não possa ser usado como esconderijo para bens criminais".

 

Petrobras (PETR3)(PETR4): relatórios internos levantam questões sobre indicados da União ao conselho

Em resposta a um ofício da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Petrobras (PETR3)(PETR4) esclareceu a autarquia informações sobre uma notícia da Agência Estado sobre a indicação de três nomes do Ministério de Minas e Energia (MME) para o conselho de administração da estatal.

 

Dizia o trecho:

[...] Segundo fontes, pelo menos três deles – Pietro Mendes, Bruno Moretti e Sérgio Rezende – tiveram ressalvas a indicação nos pareceres da governança interna, que balizam a análise do Cope. Os dois primeiros por ocuparem cargos no governo federal e o último por ser liderança partidária, vedado pela Lei das Estatais, reproduzida no Estatuto da Petrobras. [...]

 

A companhia esclareceu que os relatórios internos elaborados para subsidiar as avaliações apresentam apontamentos a respeito das indicações, considerados os cargos e atuações de tais nomes sugeridos, em vista o disposto no artigo 17, §2o, incisos I, II e IV da Lei 13.303/2016 e no Estatuto Social. 

O Comitê de Pessoas e Elegibilidade não emitiu manifestação a respeito das indicações formuladas pelo acionista controlador, e esclareceu, na data de sexta-feira (17), que se reuniu na véspera (16) para analisar a documentação disponibilizada pelas instâncias de governança até aquele momento.

 

Randon (RAPT4) registra leve queda na receita líquida em fevereiro

A Randon (RAPT4) registrou uma leve queda em sua receita líquida consolidada em fevereiro na base anual, com resultado de R$ 822,5 milhões. 

No mesmo mês de 2022, o montante foi de R$ 835 milhões, 1,5% maior que neste ano. 

Segundo as informações divulgadas pela companhia, a Fras-le, controlada da Randon, atingiu uma receita líquida consolidada de R$ 249,6 milhões. O resultado representa uma alta de 8,4% em relação a fevereiro do ano passado. 

 

Rumo (RAIL3): VP do conselho de administração renuncia

Luis Henrique Cals de Beauclair Guimarães renunciou ao cargo de vice-presidente do conselho de administração da Rumo (RAIL3).

Beauclair Guimarães vai permanecer à frente da presidência da Cosan (CSAN3), sua controladora.

Marcelo Eduardo Martins vai sucedè-lo na vice-presidência do colegiado, ao passo que Leonardo Pontes assume o cargo de membro do CA, com mandato até que seja realizada uma assembleia-geral ordinária.

 

UBS compra Credit Suisse, com assistência de liquidez do Banco Nacional da Suíça

No último domingo (19), o UBS confirmou a aquisição do Credit Suisse por US$ 3,2 bilhões. A operação foi costurada com o apoio do governo federal suíço, com a Autoridade Supervisora do Mercado Financeiro da Suíça (FINMA) e com o Banco Nacional da Suíça (SNB).

Com base na Portaria de Emergência do Conselho Federal, o Credit Suisse e o UBS podem obter um empréstimo de assistência de liquidez com status de credor privilegiado em caso de falência.

O valor total foi definido em até 100 bilhões de francos, o equivalente a US$ 108 bilhões.

Pelos termos afirmados, o Banco Nacional da Suíça pode conceder ao Credit Suisse um empréstimo de assistência de liquidez de até 100 bilhões de francos. 

Segundo o SNB, a provisão substancial de liquidez garantiria que ambos os bancos tenham acesso aos recursos necessários de liquidez.