sexta, 24 de maio de 2024
SpaceMercado

Eletrobras (ELET3), Itaú (ITUB4), Natura (NTCO3) e Petrobras (PETR4): destaques do dia (14)

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

14 março 2023 - 11h48Por Redação SpaceMoney

Eletrobras (ELET3), Itaú (ITUB4), Natura (NTCO3) e Petrobras (PETR4) protagonizam o noticiário corporativo desta terça-feira (14).

SpaceMercado

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Informe corporativo

3R (RRRP3): Schroder Brasil reduz participação acionária

O Schroder Brasil informou que a sua participação passou a ser de 9.745.561 ações ordinárias de emissão da 3R Petroleum (RRRP3), o que equivale a aproximadamente 4,8% de seu capital social.

Adicionalmente, a gestora esclareceu em sua notificação que a operação possui viés exclusivamente financeiro, sem o objetivo de alterar a estrutura societária ou administração da companhia.

Por fim, o Schroder Brasil informou não deter outros valores mobiliários referenciados em ações da 3R, bem como não detém qualquer acordo de acionistas que limite o exercício do seu direito de voto ou de comprar ou vender valores mobiliários emitidos pela empresa.

 

Americanas (AMER3) vai à Justiça por sigilo em investigação sobre rombo contábil

A Americanas (AMER3) foi à 4ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Rio de Janeiro com um pedido para que a instância reconsidere o fim do sigilo sobre as investigações do rombo contábil de R$ 20 bilhões, informou a repórter Talita Nascimento para o jornal O Estado de S.Paulo.

A empresa alega que foram juntados aos autos documentos e informações prestadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). À autarquia, a varejista entregou informações confidenciais, sensíveis e sigilosas.

O pedido encaminhado à Justiça do Rio de Janeiro foi assinado pelos escritórios Basílio e Salomão de advocacia.

 

Assaí (ASAI3) pode movimentar R$ 2,9 bilhões, com oferta secundária de 174 mi de ações de Casino

Nesta terça-feira (14), o Assaí (ASAI3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que foi protocolado, nesta data, junto a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o pedido de registro de oferta pública de distribuição secundária de, inicialmente, 174.000.000 ações ordinárias de emissão da companhia e de titularidade da Wilkes Participações S.A., sociedade controlada pelo grupo francês Casino.

De acordo com o site InfoMoney, com base no número de ações da oferta e o valor de fechamento de segunda-feira (13), de R$ 16,69, a operação pode movimentar aproximadamente R$ 2,904 bilhões.

 

Camil (CAML3): S&P revisa perspectiva de rating de estável para negativa

A S&P Global Ratings alterou a perspectiva do rating de crédito de emissor de longo prazo na Escala Nacional Brasil da Camil de estável para negativa.

Nesta segunda-feira (13), a S&P Global Ratings também reafirmou seus ratings de emissor ‘BB-’ na escala global e ‘brAAA’ na Escala Nacional Brasil. 

A perspectiva negativa do rating pode continuar caso a Camil não recupere a rentabilidade e refinancie sua dívida de curto prazo nos próximos 3-6 meses, pressionando assim a liquidez, enquanto o índice de dívida sobre EBITDA continua próximo de 4x, segundo a S&P. 

AGO

A Camil Alimentos S.A. (CAML3), informou aos seus acionistas e ao mercado em geral que a próxima Assembleia Geral Ordinária da Companhia será realizada em 30 de junho de 2023 (“AGO”). 

"A Companhia esclarece que oportunamente disponibilizará as demais informações relacionadas à AGO, nos termos da legislação aplicável", diz o comunicado divulgado nesta terça-feira (14). 

 

CCR (CCRO3): conselho de administração elege Miguel Setas como CEO

A CCR (CCRO3) informou nesta segunda-feira (13) que seu conselho de administração aprovou a eleição de Miguel Nuno Simões Nunes Setas para a posição de CEO, com mandato a partir do dia 24 de abril de 2023. 

Para assumir o posto, o executivo deixou a presidência do conselho de administração da EDP Brasil (ENBR3).

 

Cielo (CIEL3): vendas no varejo caem 0,7% em fevereiro, aponta indicador da companhia

As vendas no varejo brasileiro em fevereiro recuaram 0,7%, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês do ano passado, apontou o Índice Cielo do Varejo Ampliado, da empresa de pagamentos Cielo (CIEL3).

Foi a primeira retração do setor após quinze meses de alta, afirmou a companhia.

 

CPFL (CPFE3) inicia operação do empreendimento Sul II

Na terça-feira (13), a CPFL Energia (CPFE3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral a entrada em operação do empreendimento Sul II, composto pelas linhas de transmissão 230 kV Porto Alegre, Vila Maria e Osório, além das suas novas Subestações Porto Alegre 1, Vila Maria e Osório 3, com potência adicional de 549 MVA e tensão de 230/69 kV, 230/138kV, 230kV, respectivamente.

A entrada ocorreu a partir da obtenção do Termo de Liberação Definitivo emitido pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (“ONS”) para as instalações.

Sul II trata-se de um empreendimento do Lote 11, do Leilão de Transmissão nº 4/2018, realizado em dezembro de 2018, 100% controlado pela CPFL Geração.

O ativo possui uma RAP prevista de R$ 43,1 milhões (valor referente ao ciclo 2022-2023).

 

O empreendimento está localizado no Estado do Rio Grande do Sul, com a construção de:

  • - i) nova subestação compacta isolada a gás Porto Alegre 1, duas LTs subterrâneas, uma delas de 4,3 quilômetros para a conexão da Subestação Porto Alegre 8 e outra de 3,6 quilômetros para conexão da subestação Jardim Botânico;
  • - ii) nova subestação Vila Maria 230/138 kV, com quatro entradas provenientes do seccionamento da LT Circuito Duplo Passo Fundo/Nova Prata 2;
  • - iii) nova subestação compacta isolada a gás Osório 3, interligada com três entradas - duas LTs provenientes do seccionamento da LT Lagoa dos Barros/Osório 2 e uma chegada de LT GRA3-OSO3 de 65,5 quilômetros. 

 

Com isso, o portfólio de ativos de transmissão em operação da CPFL Energia passa a contar com a CPFL Transmissão, CPFL Piracicaba, CPFL Morro Agudo, CPFL Maracanaú, CPFL Sul I e CPFL Sul II, com uma RAP de aproximadamente R$ 1.058 bilhão e cerca de 6,4 mil quilômetros de LTs.

 

EDP (ENBR3): Miguel Setas deixa presidência do conselho de administração

Na segunda-feira (13), a EDP Brasil (ENBR3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral a renúncia de Miguel Nuno Simões Nunes Ferreira Setas ao cargo de presidente de seu conselho de administração.

O executivo permanece em suas funções até o dia 12 de abril.

A acionista controladora da companhia tem a intenção de recomendar a indicação, para avaliação dos membros do colegiado, o nome de Ana Paula Garrido de Pina Marques para substituí-lo.

 

Gafisa (GFSA3): Guilherme Luis Pesenti renuncia ao cargo de diretor

A Gafisa (GFSA3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que Guilherme Luis Pesenti e Silva renunciou ao cargo de diretor da companhia. A empresa não informou um substituto. O executivo liderava o braço de Propriedades Comerciais.

 

Localiza (RENT3): subsidiária vai emitir R$ 1,5 bilhão em debêntures

Na segunda-feira (13), a Localiza (RENT3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que seu conselho de administração aprovou na presente data a outorga de fiança em favor dos debenturistas da 12ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, com garantia fidejussória adicional, em série única, com prazo final em 20 de março de 2025 da subsidiária Localiza Fleet S.A..

Serão emitidas 1.5 milhão de debêntures, com valor nominal unitário de R$ 1.000,00, o que nos traz o montante de R$ 1.500.000.000,00.

Os recursos obtidos pela Fleet com a oferta serão utilizados para recomposição de caixa.

 

Petrobras (PETR3)(PETR4): venda do Polo Bahia Terra está em fase de negociação

A Petrobras (PETR3)(PETR4), em relação às notícias veiculadas na mídia, informou na manhã desta terça-feira (14) que o processo de desinvestimento do Polo Bahia Terra encontra-se na fase de negociação com o consórcio de empresas Eneva (ENEV3) e PetroRecôncavo (RECV3).

Entretanto, a companhia acrescenta que não foi tomada qualquer decisão pela diretoria executiva e pelo conselho de administração a respeito desses ativos.

Adicionalmente, eventuais decisões pretendidas com relação a investimentos e alienações de ativos deverão ser analisadas pelas devidas instâncias de governança.

 

Petrobras (PETR3)(PETR4) reitera atuação para retomar a produção do Polo Bahia Terra até abril

A Petrobras (PETR3)(PETR4) afirmou na manhã desta terça-feira (14) que tem tomado todas as providências necessárias para a retomar a produção do
Polo Bahia Terra até o mês de abril.

A operação do Polo foi paralisada a pedido da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) no fim do ano passado e, desde então, a companhia segue cronograma proposto ao órgão regulador para voltar a produção.

Adicionalmente, eventuais decisões pretendidas pela nova administração com relação a investimentos e alienações de ativos deverão ser analisadas pelas devidas instâncias de governança.

Fatos julgados relevantes serão tempestivamente comunicados ao mercado, completou a estatal.

 

Prio (PRIO3): Truxt Investimentos eleva participação acionária

Na última segunda-feira (13), a Prio (PRIO3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral ter recebido da Truxt Investimentos uma correspondência na qual informam à companhia deter 46.041.740 ações ordinárias de seu capital social.

A quantidade representa um percentual de 5,190% do capital social da petroleira.

Os investidores declararam que as movimentações realizadas não objetivam alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da companhia.

 

Santander (SANB11) eleva juros do crédito imobiliário pela 2ª vez no ano 

O Santander (SANB11) vai subir as taxas de juros dos financiamentos imobiliários a partir desta terça-feira (14) pela segunda vez neste ano, de acordo com informações do jornal O Estado de S.Paulo.

A taxa para novos empréstimos vai ser a partir de 10,49% ao ano mais a taxa referencial (TR).

Em fevereiro, o banco já havia subido a taxa do crédito imobiliário de 9,49% a.a. + TR para 9,99% a.a. + TR.

De acordo com o veículo, com esse novo aumento, o Santander se iguala ao Bradesco (BBDC4) e ao Itaú (ITUB4), que também oferecem taxas de a partir de 10,49% a.a. + TR.

A Caixa Econômica Federal (CEF), líder de mercado, pratica taxas entre 8,5% a.a. + TR e 10,25% a.a. + TR, enquanto o Banco do Brasil (BBAS3) oferece taxas a partir de 9,67% a.a. + TR, complementou a reportagem.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

 

Taurus (TASA4) obtém financiamento de R$ 175 milhões com Finep

A Taurus (TASA4) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que assinou um contrato com a FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, para obtenção de financiamento parcial do Plano Estratégico de Inovação para Competitividade (PEI).

O valor financiado foi de R$ 175.710.888,55, com uma contrapartida de 10% da fabricante de armas (R$ 19.523.432,07) efetivada seis meses anteriores ao protocolo. O valor total do projeto foi calculado em R$ 195.234.320,62.

Há uma incidência de taxa de juros de longo prazo (TJLP) de 0,385% ao ano e prazo de carência de trinta e seis meses, com um prazo total do contrato em 144 meses. O montante vai ser liberado em seis parcelas semestrais.

A aprovação da linha de crédito junto ao Finep representa um importante marco para a companhia, o acesso aos financiamentos públicos, de acordo com a Taurus.

 

Vale (VALE3): companhia aprova nomes de candidatos para conselho de administração

O conselho de administração da Vale (VALE3) aprovou os nomes aos cargos de presidente e vice-presidente do colegiado. Daniel Stieler candidatou-se à presidência do conselho de administração, enquanto Marcelo Gasparino ficou como candidato a vice. 

 

Balanços

CBA (CBAV3) - A Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3) registrou um prejuízo líquido de R$ 80 milhões no 4º trimestre de 2022.

 

Direcional (DIRR3) - A Direcional (DIRR3) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 53,2 milhões no quarto trimestre de 2022, um crescimento de 4,5% em relação aos ganhos de R$ 50,9 milhões obtidos no mesmo período do ano anterior.

 

Eletrobras (ELET3)(ELET6) - A Eletrobras (ELET3)(ELET6) apresentou, no quarto trimestre de 2022, um prejuízo líquido de R$ 479 milhões, inferior ao lucro líquido de R$ 610 milhões obtido no mesmo intervalo do ano anterior.

O resultado foi impactado, negativamente, pela contabilização do Plano de Demissão Voluntária, realizado em dezembro de 2022, evento não recorrente, no montante de R$ 1,26 bilhão.

Além disso, houve a constituição de provisão de recebíveis da Amazonas Energia, no montante de R$ 2.528 milhões.

A companhia registra ainda a queda do resultado financeiro em R$ 946 milhões, em particular, pelo aumento de R$ 1,098 milhão das despesas financeiras com encargos de dívida, em função:

  • - da consolidação da SPE Santo Antônio Energia (+R$ 436 milhões) a partir do terceiro trimestre; e
  • - do impacto de R$ 888 milhões de despesas financeiras (IPCA + encargos) das obrigações junto à CDE (encargo de 7,6%) e projetos de revitalização das bacias hidrográficas e Amazonia Legal (encargo de 5,67%), como uma das condições para a obtenção das novas outorgas de concessão de geração de energia elétrica por mais trinta anos.

Compensaram, parcialmente, os efeitos negativos acima, reversão de perdas para investimentos em SPEs, com destaque para Saesa, Jirau, Sinop, IE Madeira e São Manoel, no valor líquido de R$ 918 milhões, bem como os deságios obtidos em acordos judiciais de empréstimo compulsório, no montante de R$ 563 milhões.

 

Inter (INBR32) - O Inter (INBR32) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 29,0 milhões no quarto trimestre de 2022. No mesmo período do ano anterior, havia obtido prejuízo de R$ 56,0 milhões.

 

Metal Leve (LEVE3) - A Metal Leve (LEVE3) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 142,9 milhões no quarto trimestre de 2022, um crescimento de 8,7% em relação aos ganhos de R$ 131,5 milhões obtidos no mesmo período do ano anterior.

A receita líquida do período avançou 18,5%, a R$ 1,1 bilhão.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, por sua vez, se expandiu em 20,8%, a R$ 202 milhões.

 

Natura (NTCO3) - A Natura (NTCO3) registrou um prejuízo líquido atribuível a acionistas controladores de R$ 890,4 milhões no quarto trimestre de 2022, uma reversão do lucro líquido de R$ 695,5 milhões reportado no mesmo período do ano anterior.

A companhia alega que os números foram impactados por um menor EBITDA, impactado por R$ 383 milhões de impairment não caixa, além de maiores despesas financeiras líquidas e perdas de operações descontinuadas.

O indicador ajustado, entre outubro e dezembro, retraiu 29,0% na base de comparação anual, a R$ 1,09 bilhão.

A receita líquida consolidada somou cerca de R$ 10,4 bilhões, cifra 10,8% inferior ao apurado doze meses antes.

 

Technos (TECN3) - A Technos (TECN3) registrou um lucro líquido de R$ 21,7 milhões no quarto trimestre de 2022, um crescimento de 20,1% em relação aos ganhos de R$ 18,1 milhões obtidos no mesmo período do ano anterior.

A receita líquida retraiu 2,9% em doze meses, a R$ 110,6 milhões.

O EBITDA ajustado, por sua vez, se expandiu em 14,5%, a R$ 31,6 milhões.

 

Divulgarão seus resultados ainda nesta terça-feira (14):

Empresa Código Data Horário
Cury CURY3 14 de março Depois do fechamento
CVC CVCB3 14 de março Depois do fechamento
Enjoei ENJU3 14 de março Depois do fechamento
Hermes Pardini PARD3 14 de março Depois do fechamento
Localiza RENT3 14 de março Depois do fechamento
Méliuz CASH3 14 de março Depois do fechamento
Stone STOC31 14 de março Depois do fechamento
TC TRAD3 14 de março Depois do fechamento
Terra Santa  LAND3 14 de março Depois do fechamento

 

Dividendos e JCP

Banco de Brasília (BSLI3) vai pagar R$ 343,3 milhões

Na segunda-feira (13), o Banco de Brasília (BSLI3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que o seu conselho de administração autorizou o pagamento de R$ 343,3 milhões em dividendos complementares.

Os proventos correspondem ao valor bruto de:

- R$ 0,000924577 por ação ordinária - ON (BSLI3); e
- R$ 0,001017035 por ação preferencial - PN (BSLI4).


Farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária na próxima quarta-feira, 15 de março.

Pagamentos serão efetuados no dia 24 de março.

 

Itaú (ITUB4) vai pagar R$ 0,262 por ação

Na segunda-feira (13), o Itaú (ITUB4) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que o seu conselho de administração aprovou o pagamento de R$ 0,262 em juros sobre o capital próprio (JCP) por ação.

De acordo com o banco privado, farão jus aos créditos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão de 23 de março (quinta-feira da semana que vem).

Pagamentos serão efetuados até o dia 31 de agosto.

 

Raízen (RAIZ4) vai pagar R$ 919 milhões

Na segunda-feira (13), a Raízen (RAIZ4) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que vai pagar R$ 919 milhões em dividendos.

O montante equivale a R$ 0,08906570698 por ação, sem retenção de Imposto de Renda (IR) na fonte.

Os referidos dividendos terão como base de cálculo a posição acionária da próxima quinta-feira, 16 de março, e considera um total de 10.318.224.950 ações de emissão própria, desconsideradas as ações em tesouraria.

A partir do pregão seguinte, de sexta-feira, 17 de março, as ações passarão a serão negociadas ex-direitos.

Pagamentos serão efetuados no dia 27 de março.

 

Último dia para ter R$ 435 milhões de Gerdau (GGBR4) e Metalúrgica Gerdau (GOAU4) 

Em 28 de fevereiro, a Gerdau (GGBR4) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que havia aprovado na mesma data o pagamento de dividendos, que, por sua vez, constituem pagamentos referentes ao exercício social do ano passado.

A companhia vai distribuir R$ 332,7 milhões. O montante equivale a R$ 0,20 por ação.

Já a Metalúrgica Gerdau (GOAU4) vai distribuir R$ 103,2 milhões. O montante equivale a R$ 0,10 por ação.

Créditos serão efetuados no dia 24 de março.

Farão jus aos proventos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão de 14 de março. A partir do pregão seguinte, os papéis passarão a ser negociados ex-direitos.

Créditos serão efetuados no dia 23 de março.

Farão jus aos proventos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão desta terça-feira, 14 de março. A partir de amanhã (15), os papéis passarão a ser negociados ex-direitos.

 

Vale (VALE3) ajusta valor por ação a ser pago no próximo dia 22

Na segunda-feira (13), a Vale (VALE3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que houve alteração do número de ações em tesouraria em função do pagamento da remuneração de longo prazo (“matching”) de seus executivos.

Dessa forma, o valor bruto final dos dividendos por ação, para pagamento em 22 de março de 2023, passou a ser no valor de R$ R$ 1,8276461291 por ação.