quarta, 29 de maio de 2024
SpaceMercado

Destaques corporativos: Americanas (AMER3), CCR (CCRO3), EDP Brasil (ENBR3), Vale (VALE3) e mais

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

01 junho 2023 - 16h40Por Redação SpaceMoney
EDPEDP - Crédito: Reuters

Americanas (AMER3), CCR (CCRO3), EDP (ENBR3) e Vale (VALE3) protagonizam o noticiário corporativo desta quinta-feira (1).

Leia mais: SpaceDica: As ações mais recomendadas da semana de 29 de maio a 2 de junho

 

SpaceMercado

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Informe corporativo

Americanas (AMER3) - A Americanas (AMER3) informou aos seus acionistas e ao mercado em geral que os trabalhos de revisão e avaliação, pela companhia e pelos seus assessores e auditores independentes, dos efeitos das inconsistências em lançamentos contábeis redutores da conta de fornecedores nas demonstrações financeiras da varejista relativas aos exercícios já encerrados, inclusive o exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2022, continuam em curso.

Estes trabalhos ocorrem em paralelo e estão sujeitos à conclusão da apuração acerca das circunstâncias que ocasionaram as referidas inconsistências contábeis, conduzidas pelo Comitê Independente, cujos trabalhos também permanecem em curso.

Dessa forma, embora tais trabalhos ainda não tenham sido concluídos e, portanto, não seja possível determinar com segurança a data de entrega das demonstrações financeiras anuais completas relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2022, a empresa estima poder divulgar tais informações até o dia 31 de agosto.

A companhia reiterou que os trabalhos descritos acima visam garantir que as demonstrações financeiras reflitam adequadamente a sua posição patrimonial e financeira e de suas controladas, bem como à apuração acerca das circunstâncias que ocasionaram as referidas inconsistências contábeis.

 

B3 (B3SA3) - A B3 informou que a partir de quinta-feira (1°) passa a aceitar o registro de derivativos de crédito de empresas brasileiras.

(E-investidor)

 

Braskem (BRKM5) - A gestora Apollo chegou a sondar grupos e fundos brasileiros com vistas a participar, com uma posição minoritária, do consórcio que pretende comprar 100% da petroquímica Braskem (BRKM5), apurou o jornal Valor.

De acordo com a reportagem assinada por Stella Fontes e Mônica Scaramuzzo, intermediários do fundo norte-americano procuraram há cerca de três semanas a 23S Capital, que tem a Votorantim e o fundo Temasek, de Cingapura, como sócios, e a Brasil Warrant Gestão de Investimentos, family office dos Moreira Salles, mas os contatos não evoluíram, segundo duas fontes a par do assunto.

 

CCR (CCRO3) - A CCR (CCRO3) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que, na quarta-feira (31), foi informada de que na véspera (30) foi aprovada pelos órgãos competentes da Costa Rica a adenda n°4 ao contrato para la Gestión Interesada de Los Servicios Aeroportuarios prestado em el Aeropuerto Juan Santamaria, firmado por sua controlada indireta Aeris, com a gestora do Aeroporto Internacional Juan Santamaria e o Consejo Técnico de Aviación Civil, que vai vigorar a partir de 30 de maio.

O aditivo busca a recomposição do equilíbrio da equação econômico-financeira do Contrato de Gestão Interessada, no montante de US$ 109.270.679,76, devido às perdas incorridas pela Aeris relativas à pandemia de COVID-19, que vai ser realizada mediante extensão do prazo da concessão por dez anos adicionais ao período originalmente contratado, bem como implementação de uma tarifa adicional por Recuperación Económica del COVID-19, no valor de USD 1,56, a ser cobrada por passageiro que entre e-ou saia do Aeroporto Internacional Juan Santamaria.

 

Copel (CPLE6) - A agência de classificação de risco Fitch Ratings reafirmou o rating ‘AAA (bra)’ de longo prazo da Copel (CPLE6) e de suas subsidiárias integrais Copel Geração e Transmissão (“Copel GeT”) e Copel Distribuição (“Copel Dis”), o mais alto possível na escala da Fitch.

Ao mesmo tempo, a perspectiva dos ratings corporativos foi mantida como estável.

A preservação do rating ‘AAA (bra)’ reflete, principalmente, o sólido perfil de negócios da Copel, com importantes e rentáveis ativos de geração, transmissão e distribuição de energia que contribuem para diluir riscos operacionais e regulatórios; a reduzida alavancagem financeira e significativa posição de liquidez, beneficiadas pela expectativa de fluxos de caixa livre (FCFs) positivos; e a expectativa de manutenção de seu forte perfil financeiro.

Segundo o relatório da Fitch, destacam-se os seguintes fundamentos:

  • - (i) forte perfil de negócios justificado pelo benefício da diversificação e da relevância de seus ativos operacionais no setor elétrico brasileiro, que possibilita diluir eventuais riscos operacionais e regulatórios;
  • - (ii) robusta geração de caixa com destaque para o negócio de geração e distribuição;
  • - (iii) FCF positivo cujo desempenho dos principais negócios suporta os investimentos esperados do biênio;
  • - (iv) ganhos de eficiência na distribuição devido, sobretudo, ao crescimento de mercado acima da média nacional, ganhos consistentes de eficiência e modernização da rede;
  • - (v) alavancagem financeira conservadora, inferior a 2,5 vezes; e
  • - (vi) menores preços afetam a geradora pela exposição ao risco de recontratação da energia em cenários de preços reduzidos. 

 

A companhia destacou que a preservação do rating na nota máxima da escala da Fitch confirma o seu compromisso com a agenda estratégica sustentável de aumento da eficiência em todos os negócios, disciplina na alocação de capital e avanços em governança corporativa.

 

Ecorodovias (ECOR3) - O governo publicou no Diário Oficial da União (DOU) decreto no qual qualifica o empreendimento público federal da Rodovia BR-101/ES/BA no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República - a última fase administrativa que antecede à assinatura do termo aditivo ao contrato de concessão que vai regulamentar a fase de relicitação.

(Investing.com)

 

EDP Brasil (ENBR3) - Em 25 de maio, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) deferiu o pedido de registro da OPA da controladora EDP Portugal, no âmbito da oferta pública para a aquisição de ações (OPA) da EDP Brasil (ENBR3).

A realização do leilão dos papéis deve ocorrer no dia 11 de julho.

Em sucessão ao evento, o cancelamento de registro de companhia aberta na categoria A, a conversão para categoria B e a saída do segmento Novo Mercado da B3 (B3SA3) são as fases seguintes.

 

Embraer (EMBR3) - Em decisão de anteontem (30), juiz da 3ª Vara Federal de São José dos Campos negou uma liminar que pedia a proibição ou o estabelecimento de limite para a contratação de engenheiros de empresas estratégicas de Defesa no país, inclusive a Embraer (EMBR3), pela Boeing.

Segundo o Valor apurou, cerca de 100 engenheiros da empresa brasileira, que participaram de projetos estratégicos, já foram contratados pela concorrente norte-americana.

 

Engie (EGIE3) - A Engie (EGIE3) concluiu a venda da totalidade da participação na usina Pampa Sul.

 

Espaçolaser (ESPA3) - O conselho de administração da Espaçolaser (ESPA3) aprovou a eleição de Magali Leite para o cargo de diretora financeira e de relações com investidores (RI).

 

Eternit (ETER3) - Luis Augusto Barcelos Barbosa, diretor presidente, vai ser sucedido por Paulo Roberto de Oliveira Andrade, atual membro do conselho de administração da Eternit (ETER3).

 

Fleury (FLRY3) - A Moody’s elevou o rating corporativo de Fleury (FLRY3) para AA+.br, de AA.br, em revisão para elevação. Ao mesmo tempo, elevou os ratings das debêntures sem garantia real para AA+.br, de AA.br / em revisão para elevação, com perspectiva positiva.

 

IRB (IRBR3) - O IRB Brasil RE (IRBR3) agora se apresenta IRB (Re). Apresentada hoje (1) pela companhia, a releitura da marca ou rebranding  coincide com a inauguração da nova sede, no Ventura Corporate Towers, no centro do Rio de Janeiro.

O projeto gráfico, baseado em logo tipográfica, traduz o momento de transformação do ressegurador.

“Essa marca sintetiza a evolução do IRB: uma empresa cada vez mais ágil, que se comunica melhor e, sobretudo, valoriza as pessoas e o conhecimento. Temos uma equipe altamente capacitada, que conhece o negócio e faz a diferença. E, agora, com a nova sede, temos um ambiente moderno, mais aberto, que favorece a integração, a troca de conhecimento entre as áreas e a proximidade com os clientes e parceiros de negócios”, afirma Marcos Falcão, CEO do IRB (Re).

A nova marca, desenvolvida após meses de imersão, entrevistas com stakeholders e análises de contexto, tem como pilar estratégico o conhecimento.

“Construímos um conhecimento único sobre resseguros no Brasil, que pode contribuir muito para o desenvolvimento da sociedade. Estamos transformando uma marca sóbria em uma marca comunicativa, que fala. Que sente a necessidade de participar, de se relacionar com todos os seus públicos, realçando seu papel de marca protetora”, explica Daniele Sibucs, gerente de Marketing do IRB (Re).

 

Log (LOGG3) - Foi concluída a venda dos ativos LOG Fortaleza II, LOG Goiânia II e LOG Recife para o Fundo de Investimento Imobiliário (FII) BTG PACTUAL LOGCP.

A companhia recebeu a primeira parcela no valor de R$ 366,678 milhões.

(Investing.com)

 

Marcopolo (POMO4) - A Marcopolo (POMO4) deve integrar aumento de capital da canadense NFI Group Inc..

 

Méliuz (CASH3) - Encerrou-se na quarta-feira, 31 de maio, o prazo para que os acionistas da Méliuz (CASH3), a seu livre e exclusivo critério, pudessem ajustar sua posição acionária em lotes múltiplos de 100 (cem) ações, mediante negociação na B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão, de modo a assegurar a titularidade de um número inteiro de ações em decorrência da operação.

Na data desta quinta-feira, 1 de junho, ocorre a efetivação da operação na B3.

Desta forma, as posições acionárias serão simultaneamente grupadas e desdobradas, nas proporções de 100:1 e 1:10, respectivamente, e serão negociadas na B3 a partir das posições resultantes da operação.

Os acionistas que detenham ações em números não múltiplos de 100 (cem) terão suas posições grupadas sendo as frações separadas e aglutinadas para posterior leilão, de modo que a posição após a operação vai ser representada pelo múltiplo de 100 (cem) imediatamente anterior à posição previamente detida.

Eventuais frações de ações remanescentes da operação serão separadas e aglutinadas em números inteiros e vendidas em leilão, em data a ser divulgada oportunamente (observado que serão realizados tantos leilões quanto forem necessários).

 

Após a liquidação financeira do leilão, o produto líquido vai creditado aos titulares das frações grupadas na proporção das respectivas frações, em data a ser comunicada posteriormente, da seguinte forma:

  • - (a) acionistas com ações depositadas no banco escriturador das ações da companhia (Itaú Corretora de Valores S.A.) e com dados cadastrais atualizados: valores serão depositados na conta corrente indicada no cadastro do respectivo acionista;
  • - (b) acionistas com ações depositadas na Central Depositária da B3: valores serão creditados diretamente à Central Depositária, que vai se encarregar de repassá-los ao respectivo acionista por meio de seu agente de custódia; e
  • (c) demais acionistas: valores ficarão à disposição na companhia para recebimento pelo respectivo acionista mediante atualização cadastral para crédito destes valores.

 

Nubank (NUBR33) - O Nubank (NUBR33) vai investir até 700 bilhões de pesos colombianos (aproximadamente US$ 160 milhões) adicionais em suas operações na Colômbia até 2025, disse o diretor financeiro do banco digital para o país na quarta-feira (31), informou Nelson Bocanegra para a agência Reuters.

A soma adicional, proveniente de recursos próprios, vai elevar os investimentos no terceiro maior mercado do Nubank, atrás do Brasil e do México, para 2 trilhões de pesos (cerca de US$ 454 milhões).

(Reuters)

 

Oi (OIBR3)(OIBR4) - A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aplicou multas de R$ 3,7 milhões em caso que analisa irregularidades relacionadas à estrutura de controle e à implementação de operação societária da Oi (OIBR3)(OIBR4), em 2014. Entre os condenados, estão o ex-presidente Zeinal Bava e o ex-diretor financeiro Bayard Gontijo.

(Valor)

 

Petrobras (PETR3)(PETR4) - A Petrobras (PETR3)(PETR4) iniciou a produção na plataforma Almirante Barroso, no campo de Búzios.

 

Em fato relevante publicado na manhã desta quinta-feira (1), a Petrobras (PETR3)(PETR4) informou que o seu conselho de administração aprovou ontem (31) a revisão dos elementos estratégicos para o Plano Estratégico 2024-2028 (PE 2024-28), bem como o direcionador de CAPEX de baixo carbono para a faixa entre 6% e 15% do CAPEX total para os cinco primeiros anos do novo Plano, em observância às práticas de governança vigentes, ao compromisso com a geração de valor e à sustentabilidade financeira de longo prazo da companhia.

O CAPEX de baixo carbono considera projetos em energias renováveis e em descarbonização das operações, que deverão dentro da governança estabelecida, passar pelos processos de planejamento e aprovação previstos nas sistemáticas aplicáveis, com sua viabilidade técnica e econômica demonstrada.

 

A Petrobras (PETR3)(PETR4) anunciou às distribuidoras, nesta quinta-feira (1º), uma redução média de 12,6% no preço do querosene de aviação (QAV).

Os novos preços valem a partir desta quinta-feira.

A companhia informou tratar-se do quarto mês consecutivo de queda no preço do insumo. A redução acumulada no preço do QAV comercializado pela Petrobras no ano chega a 35,0%, detalhou a estatal.

 

Leia mais: Petrobras (PETR3)(PETR4) confirma reunião com Apollo e Adnoc, mas nega decisão sobre Braskem (BRKM5)

 

Rede D’Or (RDOR3) - A Rede D’Or (RDOR3) descontinuou a divulgação de projeções de hospitais de seu formulário de referência por término de períodos aplicáveis.

 

Vale (VALE3) - Na quarta-feira (31), a Vale (VALE3) informou que chegou, em conjunto com BHP, Samarco e determinados credores que detêm mais de 50% dos títulos de dívida e dívidas bancárias sem cobertura da joint venture (JV), em um acordo vinculante, que estabelece os parâmetros da reestruturação da dívida da empresa a ser implementada por meio de um plano de reestruturação consensual, sujeito à aprovação da maioria dos credores e à homologação do juízo da recuperação judicial (RJ).

Nos termos acordados, a Samarco deve concluir a RJ com uma estrutura de capital enxuta. Os pagamentos aos credores financeiros serão feitos ao longo do tempo, de acordo com o ramp-up operacional e geração de fluxo de caixa da Samarco.

O desembolso da Samarco para financiar a reparação vai ser limitada a US$ 1 bilhão entre 2024 e 2030, com contribuições adicionais a depender do excesso de fluxo de caixa gerado pela companhia.

O saldo remanescente da reparação deve ser dividido igualmente entre a Vale e a BHP.

 

Yduqs (YDUQ3) - A FMR LLC (Fidelity) passou a deter 15.610.285 ações ordinárias, o equivalente a aproximadamente 5,05% do total de ações ordinárias de emissão da Yduqs (YDUQ3).

 

SpaceCriptos

Criptomoedas hoje: Bitcoin (BTC) aos US$ 26 mil, com folga no teto da dívida dos EUA aprovada

 

SpaceFIIs

Ifix hoje: veja FIIs que pagam dividendos nesta quinta-feira (1º)

 

SpaceNews

1ª página: as notícias dos principais jornais brasileiros nesta quinta-feira (1º)

IBGE: PIB cresce 1,9% no primeiro trimestre deste ano, com impulso da Agropecuária

TSE libera para julgamento ação que pode deixar Jair Bolsonaro inelegível

 

SpaceProventos

Dividendos: Melnick (MELK3) paga R$ 23 milhões hoje (1º)

Dividendos e JCP: BB (BBAS3) vai pagar R$ 2,2 bilhões, com data de corte hoje (1º)

JCP: Banestes (BEES3)(BEES4) passa a negociar ações ex-direitos a R$ 7 milhões

JCP: Bradesco (BBDC3)(BBDC4) paga proventos mensais hoje

JCP: BRB (BSLI3) vai pagar R$ 16,6 milhões, com data de corte hoje (1º)

JCP: Itaú (ITUB4) paga proventos mensais hoje

JCP: Itaúsa (ITSA4) passa a negociar suas ações ex-direitos hoje (1º)

JCP: Telefônica Brasil (VIVT3) altera valores por ação

 

SpaceRecomendações

B3 (B3SA3): BofA eleva projeção de lucro por ação em 2024

Bradesco (BBDC4): Itaú BBA reduz expectativas de lucro líquido para 2023 e 2024

BRF (BRFS3): Investimento de Salic e Marfrig (MRFG3) resolve problema de dívida da empresa, diz BTG

EcoRodovias (ECOR3) desponta como investimento atraente, diz BTG

Grupo Mateus (GMAT3): vale a pena comprar ações da favorita do Itaú BBA no setor?

Marcopolo (POMO4): BTG Pactual reitera recomendação de compra, com otimismo na demanda de ônibus

Movida (MOVI3) salta 8,6%; Bradesco BBI recomenda compra na ação com perspectivas positivas

Petrobras (PETR4): Revisão do Plano Estratégico 2024-28 traz riscos para estatal, diz Goldman Sachs

Porto (PSSA3): quanto a empresa vai lucrar em 2023 e em 2024, para o UBS BB

Rede DOr (RDOR3): Itaú BBA vê plano de expansão como ambicioso

Vale (VALE3): Itaú BBA destaca acordo da Samarco com credores como fato positivo
 

 

SpaceTrade

Day Trade: Azul (AZUL4), Caixa Seguridade (CXSE3) e mais ações para comprar, por Ágora e PagBank

Day Trade: BB Seguridade (BBSE3), Unipar (UNIP6) e mais ações para vender hoje, por Ágora e PagBank

Long & Short: Copasa (CSMG3) e Engie (EGIE3) são recomendadas por BTG para operação

Swing Trade: compre Helbor (HBOR3) e ganhe até 4,90% hoje, diz Ágora

Swing Trade: venda BTG (BPAC11) e ganhe até 4,98% hoje, diz Ágora

Swing Trade: ganhe até 10,8% com a compra e venda de três ações, segundo PagBank

 

SpaceDicas

As ações mais recomendadas para junho, com 16 carteiras

 

Comgás (CGAS5), IGB (IGBR3), Unipar (UNIP5) e as ações mais caras da B3 ao fim de maio

Marisa (AMAR3), Méliuz (CASH3), Saraiva (SLED4) e as ações mais baratas da B3 ao fim de maio