Menu
Busca quinta, 28 de outubro de 2021
Atualização

Credit Suisse vê IPCA de 8,7% em 2021 com dinâmica inflacionária "muito desfavorável"

A estimativa anterior do banco de investimento, feita na semana passada, era de avanço de 8,5% do índice neste ano

24 setembro 2021 - 15h18Por Reuters

Por Luana Maria Benedito, da Reuters - O Credit Suisse ajustou para cima sua projeção para a alta do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano, a 8,7%, avaliando que o Brasil vive uma dinâmica "muito desfavorável" de inflação.

A estimativa anterior do banco de investimento, de apenas uma semana atrás, era de avanço de 8,5% do IPCA em 2021.

Segundo relatório divulgado nesta sexta-feira, assinado por Solange Srour, economista-chefe do banco no Brasil, e Lucas Vilela, economista, o ajuste para cima veio na esteira da divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), que subiu 1,14% neste mês.

Essa foi a alta mais acentuada para um mês de setembro desde 1994, início do Plano Real, e o acumulado em 12 meses chegou a 10,05%, alcançando os dois dígitos pela primeira vez desde 2016.

"No geral, os resultados de hoje mostram que uma dinâmica de inflação muito desfavorável está continuando", escreveram Srour e Vilela. Eles apontaram pressões disseminadas entre os setores, não apenas nos preços de bens, mas também de serviços, com estes apresentando maior demanda e custos mais elevados.

 

Para 2022, o credor suíço manteve, por ora, projeção de avanço de 5,2% do IPCA, mas disse que os riscos estão inclinados para taxa mais alta.

Em relação à política monetária, o Credit Suisse (SIX:CSGN) continua esperando que a taxa Selic encerre 2021 em 8,25% e 2022 em 9,75%, como havia projetado na semana passada. "Desnecessário dizer, mas os riscos estão inclinados para cima", afirmaram os especialistas da casa.

Por Luana Maria Benedito

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: