quinta, 26 de maio de 2022
Investimentos e retornos do fundo imobiliário

Como pagar o aluguel investindo em fundo imobiliário?

Você não precisa ter uma renda individual alta para custear um aluguel

22 novembro 2021 - 15h36Por Redação SpaceMoney

Com a evolução do mercado, cada vez mais se torna acessível investir em ações e receber valores mensais que podem ser de grande auxílio para fechar o mês no positivo. Como, por exemplo, é possível pagar o seu aluguel com o retorno de investimentos em fundos imobiliários. 

Isso mesmo! Você não precisa ter uma renda individual alta para custear um aluguel e quem sabe morar mais próximo do seu serviço. Quer saber mais como utilizar esse tipo de investimento para alavancar o sonho da sua moradia? Continue então a leitura conosco!

Como funciona o fundo imobiliário?

Os fundos imobiliários são compostos pela junção de grupos de investidores que aplicam seus recursos em diferentes tipos de investimentos imobiliários. Pode-se pensar nessa modalidade como um “condomínio” de investidores. 

Nesse tipo de investimento, todos os ganhos são divididos entre o grupo, mediante a proporção da quantia aplicada. Podemos classificar os fundos imobiliários em três grupos distintos, veja:

Fundos de tijolo

Nessa categoria, os investimentos são direcionados para imóveis reais e os ganhos costumam ser com aluguéis. Entretanto, na carteira, eles podem se concentrar de maneiras distintas: 

- Aplicações em vários empreendimentos de diversas regiões, como, por exemplo, shoppings, prédios industriais, hotéis etc.; 

- Aplicação focada em apenas um tipo de imóvel.

Fundos de papel

Conhecidos também como recebíveis, esses fundos apresentam conexão com o mercado imobiliário. As carteiras desse grupo contém uma ampla gama de opções, como: 

- Letras de crédito imobiliário (LCI);

- Letras hipotecárias (LH); 

- Certificados de recebíveis imobiliários (CRI),

- Entre outros.

Fundos híbridos

Basicamente, os fundos híbridos são a mescla das opções anteriores. Sendo possível para o investidor montar uma carteira com ativos reais e títulos de mercado imobiliário.

Investimentos e retornos do fundo imobiliário

Segundo a Lei, todos os rendimentos desses fundos precisam ser distribuídos, no mínimo, uma vez por semestre. Logo, você acaba tendo uma frequência periódica de ganhos, onde muitos optam pelo pagamento mensal, possibilitando a recorrência da renda. 

Mas, é preciso muito para investir no fundo imobiliário? Atualmente, na bolsa de valores, você encontra cotas inferiores a R$100, sendo possível adquirir pequenas quantias. Entretanto, você não pode esquecer de certos custos de administração e gestão das cotas. 

Além disso, há também despesas em relação à negociação das cotas, existindo uma taxa de corretagem aplicada aos serviços de intermediação das corretoras. Ademais,  é importante se atentar aos possíveis riscos dessas ações. 

Apesar de serem reguladas e acompanhadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pela própria B3, existe um certo nível de risco presente nos fundos imobiliários. Categorizado como moderado para alto, os rendimentos podem apresentar variações por:

- Crises econômicas; 

- Potenciais econômicos de ativos reais; 

- Danos ambientais e externos (incêndios, enchentes, taxa de violência); 

- Pouca liquidez para negociações na bolsa; 

- Regulamentação do setor imobiliário brasileiro.

Como começar a investir?

Se é de seu desejo começar a investir em fundos imobiliários ou na bolsa de ações no geral, é interessante que você se atente a alguns passos de extrema importância.

1º Conheça seu perfil de investidor

Saiba em qual das classificações o seu perfil mais se correlaciona. Veja: 

- Conservador: segurança acima de rentabilidade 

- Moderado: equilíbrio entre risco e retorno 

- Arrojado: assume riscos mais altos visando um retorno maior.

2º Avalie as classificações de risco

As principais agências do mercado classificam todos os investimentos conforme seu grau de risco. Portanto, é muito importante alinhar a sua carteira com o seu perfil de investidor. 

Outra dica, é sempre apostar na diversidade de investimentos. Assim, você não precisará depender exclusivamente de apenas um fundo, aproveitando a rentabilidade de outras opções.

3º Tenha uma reserva de emergência

É ideal ter uma reserva emergencial antes de começar a investir, já que imprevistos podem acontecer. Se você estiver preparado para eles, investir nunca será um risco!

Pague seu aluguel com fundo imobiliário

Depois de avaliar o seu perfil de investidor, você poderá entender se as ações do fundo imobiliário se alinham contigo. Caso sim, você pode direcionar os seus pagamentos para a modalidade mensal. 

Dessa forma, você tem uma renda frequente — mesmo que variada — para direcionar ao pagamento do seu aluguel, aumentando suas chances de ganhos em todos os meses mediante a quantidade de cotas adquiridas.

E, o melhor de tudo, os fundos imobiliários não apresentam burocracia, uma vez que toda a documentação é tratada com as administradoras do fundo. Além, claro, do incentivo fiscal, que inibe você de pagar impostos sobre suas cotas. 

Agora que você já sabe como direcionar os investimentos do fundo imobiliário para o seu aluguel, que tal pensar nas suas opções de moradia? 

Conheça as opções de apartamentos para alugar na YUCA, uma startup que oferece diversas opções de moradias com todos os gastos incluídos na parcela mensal do aluguel. Acesse o link e confira a melhor forma de organizar os seus gastos com moradia!

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content