quarta, 12 de junho de 2024
SpaceMercado

Balanços: Eletrobras (ELET3) e Natura (NTCO3) têm prejuízos no 4º tri; Inter (INBR32) lucra

Resultados foram divulgados entre a noite de segunda-feira (13) e a manhã desta terça-feira (14)

14 março 2023 - 11h50Por Redação SpaceMoney
EletrobrasEletrobras - Crédito: REUTERS/Brendan McDermid

Entre a noite de segunda-feira (13) e a manhã desta terça-feira (14), companhias como Eletrobras (ELET3)(ELET6) e Natura (NTCO3) divulgaram seus respectivos balanços financeiros referentes ao quarto trimestre de 2022.

Veja:

 

CBA (CBAV3) - A Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3) registrou um prejuízo líquido de R$ 80 milhões no 4º trimestre de 2022.

 

Direcional (DIRR3) - A Direcional (DIRR3) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 53,2 milhões no quarto trimestre de 2022, um crescimento de 4,5% em relação aos ganhos de R$ 50,9 milhões obtidos no mesmo período do ano anterior.

 

Eletrobras (ELET3)(ELET6) - A Eletrobras (ELET3)(ELET6) apresentou, no quarto trimestre de 2022, um prejuízo líquido de R$ 479 milhões, inferior ao lucro líquido de R$ 610 milhões obtido no mesmo intervalo do ano anterior.

O resultado foi impactado, negativamente, pela contabilização do Plano de Demissão Voluntária, realizado em dezembro de 2022, evento não recorrente, no montante de R$ 1,26 bilhão.

Além disso, houve a constituição de provisão de recebíveis da Amazonas Energia, no montante de R$ 2.528 milhões.

A companhia registra ainda a queda do resultado financeiro em R$ 946 milhões, em particular, pelo aumento de R$ 1,098 milhão das despesas financeiras com encargos de dívida, em função:

  • - da consolidação da SPE Santo Antônio Energia (+R$ 436 milhões) a partir do terceiro trimestre; e
  • - do impacto de R$ 888 milhões de despesas financeiras (IPCA + encargos) das obrigações junto à CDE (encargo de 7,6%) e projetos de revitalização das bacias hidrográficas e Amazonia Legal (encargo de 5,67%), como uma das condições para a obtenção das novas outorgas de concessão de geração de energia elétrica por mais trinta anos.

Compensaram, parcialmente, os efeitos negativos acima, reversão de perdas para investimentos em SPEs, com destaque para Saesa, Jirau, Sinop, IE Madeira e São Manoel, no valor líquido de R$ 918 milhões, bem como os deságios obtidos em acordos judiciais de empréstimo compulsório, no montante de R$ 563 milhões.

 

 

Inter (INBR32) - O Inter (INBR32) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 29,0 milhões no quarto trimestre de 2022. No mesmo período do ano anterior, havia obtido prejuízo de R$ 56,0 milhões.

 

Metal Leve (LEVE3) - A Metal Leve (LEVE3) registrou um lucro líquido ajustado de R$ 142,9 milhões no quarto trimestre de 2022, um crescimento de 8,7% em relação aos ganhos de R$ 131,5 milhões obtidos no mesmo período do ano anterior.

A receita líquida do período avançou 18,5%, a R$ 1,1 bilhão.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, por sua vez, se expandiu em 20,8%, a R$ 202 milhões.

 

Natura (NTCO3) - A Natura (NTCO3) registrou um prejuízo líquido atribuível a acionistas controladores de R$ 890,4 milhões no quarto trimestre de 2022, uma reversão do lucro líquido de R$ 695,5 milhões reportado no mesmo período do ano anterior.

A companhia alega que os números foram impactados por um menor EBITDA, impactado por R$ 383 milhões de impairment não caixa, além de maiores despesas financeiras líquidas e perdas de operações descontinuadas.

O indicador ajustado, entre outubro e dezembro, retraiu 29,0% na base de comparação anual, a R$ 1,09 bilhão.

A receita líquida consolidada somou cerca de R$ 10,4 bilhões, cifra 10,8% inferior ao apurado doze meses antes.

 

Recrusul (RCSL3) - A Recrusul (RCSL3) registrou uma receita líquida consolidada de R$ 74,1 milhões em 2022, um crescimento de 24,8% na comparação com o ano anterior.

 

Technos (TECN3) - A Technos (TECN3) registrou um lucro líquido de R$ 21,7 milhões no quarto trimestre de 2022, um crescimento de 20,1% em relação aos ganhos de R$ 18,1 milhões obtidos no mesmo período do ano anterior.

A receita líquida retraiu 2,9% em doze meses, a R$ 110,6 milhões.

O EBITDA ajustado, por sua vez, se expandiu em 14,5%, a R$ 31,6 milhões.