quinta, 11 de agosto de 2022
[OGF - VIP - SPACENOW DESKTOP - TESTE A/B - 22-6-2-22]
O que influencia o dia

Ata do Copom, petróleo, estagflação na Europa e mais: veja as principais notícias de hoje (22)

Fique por dentro dos cinco principais assuntos que movimentarão os mercados em todo o mundo nesta terça-feira

22 março 2022 - 08h46Por Investing.com
[HURST - MODELO 2 - BILBOARD TOPO 2 -970 X 250 CANAIS]

Por Geoffrey Smith e Ana Beatriz Bartolo

Investing.com - Os rendimentos dos títulos americanos continuam em alta depois que o presidente do Federal ReserveJerome Powell, colocou em jogo aumentos maiores e mais rápidos nas taxas de juros.

O Banco Central Europeu tenta minimizar os riscos de estagflação enquanto os governos da zona do euro preparam uma rodada de subsídios aos combustíveis.

[HURST -  MODELO 3 - SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

O Copom divulga a ata da sua última reunião.

Os lucros da Nike (NYSE:NKE) (SA:NIKE34) impressionaram na segunda-feira, enquanto Carnival (NYSE:CUK) e Adobe (NASDAQ:ADBE) (SA:ADBE34) devem divulgar seus números mais tarde.

A nova fábrica alemã da Tesla abre para negócios.

[HURST -  MODELO 1 - SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

A China Evergrande (OTC:EGRNY) tem uma nova divulgação chocante. 

Um dólar mais caro tira vantagem dos preços do petróleo antes dos dados semanais de estoque da API.

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na terça-feira, 22 de março:

[OGF - VIP -  SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

1. Powell coloca os patins sob títulos

Os rendimentos dos títulos dos EUA continuaram em alta durante a noite após um dos maiores ganhos de um dia em uma década na segunda-feira, em resposta ao presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, que alertou que maiores aumentos nas taxas de juros podem ser necessários nos próximos meses.

Powell virou os mercados de cabeça para baixo na segunda-feira, e alertou que o mercado de trabalho está "extremamente apertado" e a inflação "muito alta". Ele disse que o Fed “pode muito bem chegar à conclusão de que precisamos nos mover mais rapidamente” do que o esperado atualmente.

O benchmark 10-year Treasury yield saltou para negociar a 1,10% às 08h22. O rendimento de cinco anos, mais sensível às taxas de juros de curto prazo, está agora acima do de 10 anos em 1,09%, enquanto o rendimento de dois anos está em 1,51%.

Aguarde mais comentários sobre as perspectivas do chefe do Fed de NY, John Williams, Loretta Mester, de Cleveland, e Mary Daly, de São Francisco, mais tarde.

2. BCE minimiza temores de estagflação enquanto a zona do euro prepara subsídios aos combustíveis

O vice-presidente do Banco Central Europeu, Luis De Guindos, minimizou as sugestões de que a zona do euro caminha para a estagflação este ano, e disse que o banco ainda espera um crescimento superior a 2%, mesmo que a inflação permaneça mais alta por mais tempo.

Os comentários estabilizaram o euro, que caiu abaixo de US$ 1,10 novamente após os comentários de Powell, que por sua vez vieram após dados mostrarem que os preços ao produtor alemão subiram quase 26% no ano em fevereiro.

De Guindos também deu luz verde a uma série de subsídios à energia que estão em fase de implementação pelos estados da zona do euro em resposta ao aumento nos preços dos combustíveis.

Os líderes da UE devem se reunir na quinta-feira para discutir essas medidas, juntamente com o endurecimento das sanções à Rússia.

O Wall Street Journal informou na segunda-feira que a UE se aproxima de seguir os EUA ao proibir as importações de petróleo russo, embora a Alemanha e a Hungria ainda se oponham.

3. Mercado de ações americanas

As ações dos EUA devem abrir ligeiramente em alta mais tarde, tendo terminado em território negativo na segunda-feira em resposta aos comentários de Powell.

Às 08h19, os futuros da Nasdaq 100 avançavam 0,20%, enquanto os da Dow Jones e da S&P 500 subiam 0,44% e 0,28%, respectivamente.

Haverá dados econômicos da Redbook Research e do Richmond Fed, enquanto a operadora de cruzeiros Carnival e a gigante do software Adobe devem divulgar seus resultados também.

Outras ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem a Nike, cujo balanço na segunda-feira superou as expectativas, apesar da queda nas vendas na China, e a Tesla (NASDAQ:TSLA), cuja nova fábrica na Alemanha começa a produção na terça-feira.

A incorporadora Evergrande voltou a causar ondas de choque nos mercados chineses, depois de descobrir que mais de US$ 2 bilhões de seu dinheiro haviam sido dados como garantia de empréstimos e, portanto, poderiam ser apreendidos por bancos credores.

O anúncio explica a suspensão abrupta das ações da Evergrande em Hong Kong na segunda-feira e levanta novas questões sobre os padrões de divulgação corporativa na China, uma situação preocupante tanto para o mercado local quanto para a luta contínua com os reguladores dos EUA sobre a transparência de contas chinesas.

Houve notícias mais brilhantes, no entanto, do Alibaba (NYSE:BABA), que aumentou seu programa de recompra em outros US$ 9 bilhões, para US$ 25 bilhões, dias depois que o vice-primeiro-ministro Liu He sinalizou uma flexibilização da repressão regulatória às maiores empresas de Internet do país.

4. Ata do Copom

O Comitê de Política Monetária (Copom) divulgou hoje cedo, 22, a sua ata sobre a reunião da semana passada, quando ficou decidido que a taxa Selic seria elevada a 11,75% ao ano.

No documento, o colegiado afirma que o ambiente externo se deteriorou “substancialmente”, ao referir-se a como a Guerra na Ucrânia aumentou as incertezas e criou um novo choque de oferta capaz de afetar negativamente a inflação global.

Sobre o Brasil, a ata do Copom destacou que o PIB do 4T21 veio acima do esperado e que os indicadores do mercado de trabalho apontam para uma recuperação consistente.

Indicadores relativos ao comércio e serviços mostraram evolução ligeiramente melhor que a esperada em janeiro, enquanto a indústria contraiu no mesmo mês.

O colegiado também afirmou que a alta nos preços no Brasil está mais persistente do que o esperado e projeta que para o fim de 2022, a inflação chegue a 7,1%, e para 2023, fique em 3,4%, ao considerar um dólar a R$ 5,05.

Assim, o Copom observa a Selic a 12,75% em 2022 e a 8,75% em 2023.

Nesse cenário, as projeções para a inflação de preços administrados são de 9,5% para 2022 e 5,9% para 2023.

O Copom também reafirma que a incerteza em relação ao futuro do arcabouço fiscal atual resulta na elevação dos prêmios de risco e aumenta o risco de desancoragem das expectativas de inflação.

Isso implica atribuir maior probabilidade para cenários alternativos que considerem taxas neutras de juros mais elevadas.

5. Petróleo cai em dólar mais caro; Inventários de API devidos

Os preços do petróleo caíram um pouco, mas permaneceram bem em meio a temores de que a UE, ao expandir seu pacote de sanções, acabe por apertar o mercado global à medida que compete por mais suprimentos não russos.

Às 08h20, os futuros de petróleo nos EUA subiam 0,18%, a US$ 110,17, enquanto os do Brent ganhavam 0,42%, a US$ 116,08.

Os preços foram atingidos pela alta do dólar, o que torna o petróleo mais caro para os importadores não-dólar, principalmente nos mercados emergentes.

Gana e Egito foram forçados a aumentar acentuadamente as taxas de juros na segunda-feira, enquanto a Hungria deve aumentar novamente em sua reunião de hoje.

De maior importância para o mercado físico, as refinarias de petróleo indianas aumentaram seus preços de referência, e aumentaram a perspectiva de destruição da demanda.

Isso também pode ser evidente, quando o American Petroleum Institute divulgar seus dados semanais de estoques às 17h30.

 

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: