domingo, 14 de agosto de 2022
[OGF - VIP - SPACENOW DESKTOP - TESTE A/B - 22-6-2-22]
Desempenhos mistos

Após balanços: AES Brasil (AESB3), Fleury (FLRY3) e Porto (PSSA3) caem, enquanto Tupy (TUPY3) sobe

Companhias deram tração à temporada de resultados do segundo trimestre deste ano

05 agosto 2022 - 10h54Por Redação SpaceMoney
[HURST - MODELO 2 - BILBOARD TOPO 2 -970 X 250 CANAIS]

Entre a noite de quinta-feira (4) e a manhã desta sexta-feira (5), mais companhias deram tração à temporada de balanços do segundo trimestre deste ano. Veja como estavam os desempenhos das ações das empresas por volta das 10:30:

AES Brasil (AESB3) - A geradora de energia AES Brasil registrou um lucro líquido R$ 9,3 milhões no segundo trimestre de 2022, queda de 65% frente o resultado ajustado de igual etapa de 2021, de R$ 26,6 milhões.

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 239,4 milhões, uma baixa de 6,3% ante igual período de 2021. (O Estado de S.Paulo)

[OGF - VIP -  SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

As ações caíam 3,18%, a R$ 10,65.

Alpargatas (ALPA4) - No segundo trimestre, a Alpargatas, dona da Havaianas, registrou um recuo de 40% no lucro líquido atribuído aos sócios em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 64,2 milhões. (Valor)

As ações caíam 6,97%, a R$ 20,82.

[HURST -  MODELO 3 - SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

Bradesco (BBDC3)(BBDC4) - O Bradesco encerrou o segundo trimestre de 2022 com lucro líquido recorrente de R$ 7,041 bilhões, um aumento 11,4% em relação ao mesmo período do ano passado. (O Estado de S.Paulo)

BBDC3 caía 1,84%, a R$ 14,80. BBDC4 caía 2,57%, a R$ 17,81.

Fleury (FLRY3) - O Grupo Fleury registrou lucro líquido de R$ 70,5 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 7,6% em relação ao mesmo período de 2021. O EBITDA recorrente, por sua vez, foi de R$ 298 milhões, crescimento de 19,6% na mesma base comparativa, com 26,8% de margem. (O Estado de S.Paulo)

[HURST -  MODELO 4 - SQUARE DETALHE NOTÍCIA 300X 250]

As ações caíam 1,87%, a R$ 16,23.

Grendene (GRND3) - Ante o mesmo período do ano passado, o lucro líquido contábil saltou 98%, para R$ 65,7 milhões, enquanto o lucro líquido recorrente (que exclui fatores extraordinários) cresceu 67,9%, para R$ 66,2 milhões. (Valor)

As ações caíam 2,26%, a R$ 7,35.

Lojas Renner (LREN3) - A Lojas Renner registrou lucro líquido de R$ 360,4 milhões no segundo trimestre deste ano, avanço de 86,6% na comparação com igual período de 2021. Em relação ao segundo trimestre de 2019, período pré-pandemia, a alta foi de 56%.

O EBITDA somou R$ 685,7 milhões entre abril e junho, avanço de 45,1% em relação ao mesmo período do ano passado. (Valor)

As ações caíam 0,88%, a R$ 28,00.

Ouro Fino (OFSA3) - A companhia registrou um lucro líquido ajustado de R$ 23,6 milhões, queda de 18,8% em relação ao mesmo intervalo do ano passado.

As ações caíam 1,52%, a R$ 22,71.

Porto (PSSA3) - O lucro líquido recorrente da holding Porto (antiga Porto Seguro) recuou 76,4% no segundo trimestre de 2022, para R$ 89,4 milhões, na comparação com o mesmo período de 2021. Já o lucro líquido total foi de R$ 131,5 milhões, com uma queda de 80% na mesma base de comparação. (Valor)

As ações caíam 3,64%, a R$ 18,79.

São Carlos (SCAR3) - A companhia registrou prejuízo líquido de R$ 27,5 milhões no segundo trimestre, que reverte os ganhos de R$ 7,5 milhões no mesmo intervalo do ano passado.

O EBITDA foi de R$ 45,8 milhões, crescimento de 7,3% em um ano.

As ações subiam 0,03%, a R$ 25,40.

Sanepar (SAPR4)(SAPR11) - A Sanepar registrou lucro líquido de R$ 233,7 milhões no segundo trimestre de 2022, retração de 29,57% em relação ao informado doze meses atrás. (Valor)

SAPR4 caía 2,80%, a R$ 3,82, e SAPR11 caía 2,90%, a R$ 18,77.

Simpar (SIMH3) - O grupo Simpar registrou lucro líquido (atribuído aos controladores da empresa) de R$ 102 milhões no segundo trimestre, uma redução de 61,84% na comparação com o mesmo período de 2021. O lucro líquido total foi de R$ 213 milhões, uma queda anual de 45,6%. 

O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 76,5%, para R$ 1,7 bilhão. (Valor)

As ações caíam 2,66%, a R$ 10,98.

Tenda (TEND3) - A incorporadora Tenda registrou prejuízo atribuído aos controladores de R$ 144,4 milhões no segundo trimestre, e reverteu, assim, o lucro de R$ 33,8 milhões informado um ano antes. (Valor)

As ações caíam 2,67%, a R$ 4,38.

Tupy (TUPY3) - A Tupy viu o seu lucro líquido atribuído aos controladores disparar 477,3% no segundo trimestre deste ano, para R$ 181,7 milhões. (Valor)

As ações subiam 2,91%, a R$ 24,39.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: