sábado, 22 de janeiro de 2022
[Square Banner - Mobile Topo 2] [300x250] [mobile] - Assessoria Ipê Investimentos 2022
[SpaceNow Desktop] [200x74] [spacenow] - Melhores oportunidades 2022
[SpaceNow Mobile] [150x74] [spacenow] - Melhores oportunidades 2022
Veja agora

AO VIVO: Ministério da Economia explica PEC dos Precatórios em entrevista

O secretário especial do Tesouro e Orçamento Bruno Funchal faz apresentação à imprensa da PEC dos Precatórios

10 agosto 2021 - 09h58Por Investing.com
[Billboard Topo 2] [970x250] [pagina-inicial] - Assessoria Ipê Investimentos 2022

Por Jessica Bahia Melo, da Investing.com - O secretário especial do Tesouro e Orçamento Bruno Funchal faz apresentação à imprensa da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Precatórios.

O presidente Jair Bolsonaro enviou a PEC ontem ao Congresso,  prevendo o parcelamento de dívidas judiciais do governo com empresas, servidores e beneficiários da Previdência. O governo estima para o ano que vem R$ 89,1 bilhões em precatórios. 

Segundo a Secretaria-Geral da Presidência da República, o cálculo de correção de dívidas judiciais deve utilizar somente a taxa Selic – hoje, para os precatórios alimentares, a correção inclui o IPCA mais o juro da poupança.

[04] [Square Detalhe Notícia] [300x250] [geral] Melhores investimentos 2022

Além disso, a proposta cria ainda um fundo a ser abastecido com recursos de venda imóveis, dividendos de empresas estatais, alienação de participações societárias, concessões e partilha de petróleo.  

As despesas do fundo não devem entrar no teto de gastos.

Regime de transição
O objetivo é reduzir o desembolso de recursos com os chamados "superprecatórios", acima dos R$ 66 milhões, ao longo de dez anos. As dívidas com valores até R$ 66 mil não entram no parcelamento.

Para valores entre R$ 66 mil e R$ 66 milhões, o pagamento em prestações será realizado quando o total de precatórios superar 2,6% da receita corrente líquida da União. Acima de R$ 66 milhões, o parcelamento será a regra.

Entrevista
Além de Funchal, participam da entrevista Jeferson Bittencourt, secretário do Tesouro Nacional; Ariosto Antunes Culau, secretário do Orçamento Federal; e Cristiano Lins de Morais, Procurador-Geral da Fazenda Nacional Substituto.

Confira a entrevista completa abaixo:

 

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content