sábado, 18 de maio de 2024
SpaceMercado

Via (VIIA3) e Magazine Luiza (MGLU3) disparam, seguidas por Raízen (RAIZ4); setor de educação cai

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada

27 março 2023 - 11h52Por Lucas de Andrade

Às 11:34 desta segunda-feira (27), o Ibovespa subia 0,68%, aos 99.505 pontos. Via (VIIA3)(+3,74%), Magazine Luiza (MGLU3)(+3,72%) e Raízen (RAIZ4)(+3,32%) lideravam as altas do índice.

Cogna (COGN3)(-3,24%), BRF (BRFS3)(-2,43%) e Yduqs (YDUQ3)(-2,35%) destacavam-se negativamente na ponta oposta.

 

SpaceMercado

Veja aqui as principais notícias das grandes empresas brasileiras, entre avisos aos acionistas, comunicados ao mercado, fatos relevantes e mais informações da imprensa especializada:

 

Dasa (DASA3) - A Diagnósticos da América – Dasa (DASA3) informou que pretende fazer uma oferta pública de distribuição primária de ações ordinárias. O valor soma R$ 1,5 bilhão e, em razão da operação, engajou Bradesco BBI, BTG Pactual (BPAC11) e Itaú BBA, bem como suas respectivas afiliadas localizadas nos Estados Unidos para a coordenação da potencial oferta.

A Dasa destacou ainda que planeja lançar a oferta após a divulgação dos resultados do exercício social de 2022, previsto para o próximo dia 28 de março.

A precificação deve ocorrer ao longo do mês de abril.

No âmbito da transação, a Dasa quer emitir um bônus de subscrição a cada 10 novas ações emitidas, e cada bônus de subscrição daria direito ao investidor de subscrever uma nova ação, no prazo de até vinte e quatro meses contados da liquidação da oferta e pelo mesmo preço das ações emitidas na potencial oferta.

As janelas serão posteriormente fixadas pelo conselho de administração. 

Acionistas controladores se comprometeram a exercer parcialmente seu direito de prioridade na potencial oferta e subscrever ações de emissão da companhia correspondentes ao montante financeiro de R$ 1 bilhão.

BTG Pactual se comprometeu a prestar garantia firme de colocação de ações objeto da potencial oferta, correspondentes ao montante financeiro de R$ 500 milhões, em ambos os casos ao preço de R$ 8,50.

 

Engie (EGIE3) - A Engie (EGIE3) informou que, na última quinta-feira (23), a unidade geradora 1 da Eólica Santo Agostinho recebeu autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para iniciar suas operações comerciais. 

 

Eternit (ETER3) - O conselho de administração da Eternit (ETER3) aprovou um programa de recompra em que podem ser readquiridas até 115.000 ações ordinárias, que representam 0,2% do total de ações em circulação da classe e espécie. 

O programa encerra-se em 26 de março do próximo ano.

 

Lupatech (LUPA3) - A Lupatech (LUPA3) aprovou a emissão de debêntures mandatoriamente conversíveis em ações para colocação privada, com valor total de até R$ 25 milhões, em série única.

Em outra frente, que firmou contrato com a BPS Capital Gestão de Ativos, que se comprometeu a subscrever debêntures representativas do montante de até R$ 10 milhões.

A consumação do investimento se sujeita à cessão de direitos de preferência por acionistas da companhia referente à participação acionária necessária à subscrição, pela BPS, de, ao menos, debêntures representativas do montante de R$ 5 milhões, além de outras condições suspensivas usuais.

 

Petrobras (PETR3)(PETR4) - A Petrobras (PETR3)(PETR4) assinou contrato com a empresa Toyo Setal Empreendimentos para conclusão das obras da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) do Polo Gaslub de Itaboraí, no Rio de Janeiro.

 

Balanços

Boa Safra (SOJA3) - A Boa Safra (SOJA3) registrou um lucro líquido de R$ 105,2 milhões no quarto trimestre de 2022, cifra 241% superior ao apurado no mesmo intervalo do ano anterior.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 118,8 milhões no período, um crescimento de 171,3% em doze meses.

A receita líquida totalizou R$ 690,1 milhões, expansão de 71,1% na mesma base de comparação.

 

Cemig (CMIG4) - A Cemig (CMIG4) apresentou um lucro líquido de R$ 1,4 bilhão no quarto trimestre de 2022, uma expansão de 46,1% em doze meses.

O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 1,7 bilhão no período, um crescimento de 11,1% na mesma base de comparação

A receita líquida de vendas totalizou R$ 9,74 bilhões entre outubro e dezembro passados, avanço de 1% em relação ao registrado no mesmo período do ano anterior.

 

PDG (PDGR3) - A PDG (PDGR3) registrou um prejuízo líquido de R$ 358,3 milhões no quarto trimestre de 2022. O resultado reverte os ganhos líquidos de R$ 348,6 milhões apurados no mesmo período do ano anterior.

 

Tegra - A incorporadora Tegra registrou um lucro líquido de R$ 40,6 milhões no quarto trimestre do ano passado, recuo de 13,0% ante o mesmo período de 2021.

A receita líquida da companhia caiu 2% na mesma base de comparação, a R$ 389,7 milhões.

 

Veja a agenda de balanços que serão divulgados nesta segunda-feira:

Empresa Código Data Horário
Bradespar BRAP4 27 de março Antes da abertura
Dexxos  DEXP3 27 de março Antes da abertura
Dotz DOTZ3 27 de março Antes da abertura
Ânima ANIM3 27 de março Depois do fechamento
ClearSale CLSA3 27 de março Depois do fechamento
Espaçolaser ESPA3 27 de março Depois do fechamento
Rede D Or RDOR3 27 de março Depois do fechamento
Saraiva SLED3 27 de março Depois do fechamento
Tupy TUPY3 27 de março Depois do fechamento

 

Veja a agenda de balanços que serão divulgados ao longo desta semana:

Empresa Código Data Horário
Alphaville AVLL3 28 de março Depois do fechamento
Ambipar AMBP3 28 de março Depois do fechamento
Boa Vista BOAS3 28 de março Depois do fechamento
Cruzeiro do Sul CSED3 28 de março Depois do fechamento
Dasa DASA3 28 de março Depois do fechamento
Even EVEN3 28 de março Depois do fechamento
Fertilizantes Heringer FHER4 28 de março Depois do fechamento
Gafisa GFSA3 28 de março Depois do fechamento
Helbor HBOR3 28 de março Depois do fechamento
IMC MEAL3 28 de março Depois do fechamento
Kora  KRSA3 28 de março Depois do fechamento
Light LIGT3 28 de março Depois do fechamento
Melnick MELK3 28 de março Depois do fechamento
Mobly MBLY3 28 de março Depois do fechamento
Multi MLAS3 28 de março Depois do fechamento
Oncoclínicas ONCO3 28 de março Depois do fechamento
OSX OSXB3 28 de março Depois do fechamento
Qualicorp QUAL3 28 de março Depois do fechamento
Renova  RNEW4 28 de março Depois do fechamento
Springs  SGPS3 28 de março Depois do fechamento
Viver VIVR3 28 de março Depois do fechamento
WLM  WLMM4 28 de março Depois do fechamento
Agrogalaxy AGXY3 29 de março Depois do fechamento
Alper  APER3 29 de março Depois do fechamento
Americanas AMER3 29 de março Depois do fechamento
Azevedo & Travassos AZEV4 29 de março Depois do fechamento
Bahema BAHI3 29 de março Depois do fechamento
Celesc CLSC4 29 de março Depois do fechamento
Desktop DESK3 29 de março Depois do fechamento
Equatorial  EQTL3 29 de março Depois do fechamento
GetNinjas NINJ3 29 de março Depois do fechamento
Lupatech LUPA3 29 de março Depois do fechamento
Nexpe NEXP3 29 de março Depois do fechamento
Orizon ORVR3 29 de março Depois do fechamento
Veste VSTE3 29 de março Depois do fechamento
CR2 CRDE3 31 de março Depois do fechamento
Dommo  DMMO3 31 de março Depois do fechamento
Marisa  AMAR3 31 de março Depois do fechamento
Westwing WEST3 31 de março Depois do fechamento

 

SpaceProventos

A Cemig (CMIG4) informou aos seus acionistas, investidores e ao mercado em geral, no âmbito da divulgação de seu balanço financeiro do quarto trimestre do ano passado, que, ao longo do ano, registrou lucro líquido de R$ 4,094 bilhões. 

O número representa um avanço de 9,0% em relação ao consolidado do ano anterior.

E ainda, de acordo com a companhia, em 2022, os proventos declarados equivaleram a 12,2% de dividend yield (DY).

Do montante a ser distribuído, detalha a proposta, R$ 2,2 bilhões serão destinados a pagamento de dividendos obrigatórios aos acionistas em duas parcelas, uma no primeiro semestre e outra na segunda metade do ano.

R$ 1,9 bilhão serão declarados a título de juros sobre o capital próprio, já o saldo remanescente de R$ 249 milhões serão declarados como dividendos obrigatórios.

A decisão vai ser deliberada em assembleia-geral a ser realizada no próximo mês.

A Companhia Energética de Minas Gerais - Cemig (CMIG4), comunicou na última quarta-feira (22), que seu conselho de administração deliberou R$ 424.226 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP)

O valor bruto por ação foi definido em R$ 0,19, a ser compensado com o dividendo mínimo obrigatório do exercício de 2023, com retenção de 15% de Imposto de Renda (IR) na fonte. 

A data de corte foi programada para esta segunda-feira, 27 de março, aos acionistas que tiveram ações ordinárias e/ou preferenciais da companhia. 

O pagamento vai ser feito em duas parcelas iguais:

  • - a primeira até o dia 30 de junho de 2024; e
  • - a segunda até o dia 30 de dezembro de 2024

 

A Companhia Energética de Brasília, a CEB (CEBR3), informou que o seu conselho de administrações propôs pagar R$ 111,9 milhões em dividendos.

O montante corresponderia a R$ 1,49136978222 em ações ordinárias (CEBR3) e em ações preferenciais classe A (CEBR5). Para os papéis preferenciais classe B (CEBR6), o valor foi definido em R$ 1,64050676044.

Proventos compõem dividendos obrigatórios do exercício de 2022, declarou a companhia na última sexta-feira (24).

O pagamento vai ser deliberado em assembleia-geral ordinária (AGO), a ser realizada em 28 de abril. 

 

A Hypera (HYPE3) vai pagar R$ 194,8 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP), o correspondente a R$ 0,30791 por ação ordinária, com retenção de Imposto de Renda (IR) na fonte - exceto para os acionistas que sejam comprovadamente imunes ou isentos.

A distribuição líquida vai ser imputada ao montante total de dividendos que vier a ser declarado pelos acionistas da companhia para o exercício social deste ano, na forma da legislação e da regulamentação aplicáveis.

Com isso, os créditos serão efetuados até o final do exercício social de 2024, em data a ser oportunamente definida pela companhia.

Farão jus aos proventos investidores posicionados em base acionária ao fim da sessão da próxima quarta-feira, 29 de março. As ações de emissão própria serão negociadas “ex-juros sobre capital próprio” a partir do pregão seguinte, 30 de março.

Não vai incidência de qualquer atualização monetária.

A Hypera divulgou o cronograma do pagamento de juros sobre o capital próprio:

  • - aos acionistas com cadastro atualizado junto ao Bradesco (BBDC3)(BBDC4), mediante disponibilização, a partir da data do pagamento, em seus domicílios bancários, tais como fornecidos à instituição depositária;
  • - aos acionistas usuários das custódias fiduciárias, mediante crédito conforme procedimentos adotados pelas Bolsas de Valores;
  • - aos acionistas que mantiverem suas ações em custódia na Central Depositária da B3 (B3SA3);
  • - aos acionistas que não estiverem com cadastro atualizado, mediante comparecimento a uma das agências do Bradesco, para regularizar seus cadastros e receber o valor a que fizerem jus.

 

A Intelbras (INTB3) vai pagar R$ 38,9 milhões em juros sobre o capital próprio (JCP), o correspondente a R$ 0,118723243 por ação.

Farão jus aos créditos os acionistas titulares de ações de emissão da companhia ao fim do pregão da próxima quarta-feira, 29 de março. As ações serão negociadas “ex-juros sobre capital próprio” a partir do dia seguinte, 30 de março.

Os acionistas terão seus créditos a título de pagamento a partir do dia 15 de agosto.

Após deduzido o valor relativo ao Imposto de Renda Retido na Fonte – IRRF, na forma da legislação em vigor, importam o valor líquido de R$ 0,100914757 por ação - exceto para os acionistas que comprovarem até 30 de março, junto ao Itaú Corretora de Valores.

 

Em 12 de dezembro, a JHSF (JHSF3) informou a antecipação da distribuição de R$ 130 milhões em dividendos intermediários. O pagamento foi programado para ocorrer em quatro parcelas de R$ 32,5 milhões.

A data de corte para o pagamento foi definida para os dias 15 de dezembro de 2022, 17 de janeiro, 14 de fevereiro e 16 de março de 2023, respectivamente.

Créditos serão efetuados nos dias 26 de dezembro de 2022, 26 de janeiro, 27 de fevereiro e 27 de março de 2023.

 

Na segunda-feira (13), a Raízen (RAIZ4) comunicou aos seus acionistas e ao mercado em geral que vai pagar R$ 919 milhões em dividendos.

O montante equivale a R$ 0,08906570698 por ação, sem retenção de Imposto de Renda (IR) na fonte.

Os referidos dividendos terão como base de cálculo a posição de 16 de março, e considera um total de 10.318.224.950 ações de emissão própria, desconsideradas as ações em tesouraria.

A partir do pregão seguinte, 17 de março, as ações passaram a ser negociadas ex-direitos.

Pagamentos serão efetuados nesta segunda-feira, 27 de março.

 

A Vale (VALE3) informou que vai realizar o pagamento semestral de remuneração das debêntures participativas na próxima sexta-feira, 31 de março.

O montante corresponde ao valor bruto de R$ 1,640621971 por título, e totaliza R$ 637.478.524,16, aos detentores com posição em custódia na B3 (B3SA3) ou no Bradesco (BBDC3)(BBDC4), no fechamento do dia anterior, 30 de março.

O valor contempla os seguintes pagamentos:

  • - prêmio sobre venda do produto minério de ferro, R$ 618.509.291,88;
  • - prêmio sobre venda do produto concentrado de cobre, R$ 18.792.241,17; e  
  • - prêmio sobre alienação de direito minerário, R$ 176.911,11. 

A liquidação financeira vai ocorrer na próxima segunda-feira, 3 de abril, por meio da B3 (B3SA3) ou do Bradesco (BBDC3)(BBDC4), conforme agente custodiante do título. 

“Há incidência de imposto de renda na fonte na modalidade de rendimento referente a investimentos financeiros de renda fixa, sobre o montante a ser pago aos debenturistas, aplicando-se a alíquota relativa à situação individual do beneficiário, com exceção daquele que comprovar, de modo inequívoco, o seu direito à dispensa de retenção na forma da lei”, explicou a mineradora.