domingo, 16 de janeiro de 2022
Finanças comportamentaisCOLUNA

Finanças comportamentais

Rodrigo Wiethorn

Especialista em comportamento do consumidor e marketing digital.

Framing: Como a persuasão te influencia na hora de investir

Aprenda sobre essa técnica para não ser levado a decisões erradas com seu dinheiro

08 dezembro 2021 - 16h42
Framing: Como a persuasão te influencia na hora de investir

A persuasão é uma arma extremamente importante para as relações humanas em todos os seus aspectos, seja para convencer um amigo a ir em um determinado restaurante, seja para escolher os melhores investimentos para a sua empresa.

O lado negativo dessa forma de convencimento extremamente eficaz ocorre quando caímos nela sem nem perceber, seguindo por caminhos que nem sempre são os melhores para nós e nossos negócios.

São inúmeras as estratégias de convencimento que utilizam da persuasão para guiar as pessoas. Entretanto, a mais poderosa delas é o Framing.

Além de ser muito empregado no campo dos investimentos, ele se destaca por ser dificilmente localizado, a não ser que você saiba como.

Assim, vamos te ensinar tudo o que precisa sobre o framing para que você não seja capturado por ele e ainda consiga usá-lo a seu favor em seus investimentos!

O que é o Framing?

No mundo do cinema, a palavra framing significa parte, um pequeno trecho do todo de uma cena recortada para indicar um sentido. Diferentes framings trazem diferentes respostas, pois eles que ditam o enquadramento de uma cena e, portanto, o seu significado.

Para os investimentos, o framing tem o mesmo sentido. Ele é um recorte intencional e cuidadoso de uma situação ou perspectiva, emoldurado de modo que sejamos capazes de entender aquela situação da maneira que o emissor do framing deseja.

Esse enquadramento tem por principal função nos convencer de algo. Desse modo, para que entenda melhor, veja esse exemplo de campanha comercial, na qual o framing é sempre bem exposto. 

Imagine que você se deparou com uma campanha de conscientização sobre cintos de segurança, na qual ela fala que mais de 4 mil pessoas morrem por ano pela falta de seu uso. Esse é um enquadramento.

Outro framing que poderia ser trazido é o de que 13 mil pessoas são salvas por ano por conta do uso do cinto.

Por mais que esses dados representam uma mesma ideia - a do uso do cinto de segurança é importante - seu framing foi diferente. Apesar do primeiro enquadramento trazer um número menor, o que poderia impactar mais, o medo de estar entre essas 4 mil pessoas é mais intenso do que estar entre as 13 mil que se salvam.

Assim, o framing dado consegue persuadir melhor aqueles que têm contato com ele.

O Framing e os investimentos

Agora que já sabemos o que é essa estratégia de persuasão, precisamos entender como ela influencia os nossos investimentos.

Do mesmo modo que a campanha de cintos de segurança enquadra suas perspectivas de modo que se tornem mais enfáticas e convincentes, os investidores também fazem isso. Desse modo, tudo se trata da forma como se fala e não do que se fala!

A técnica de persuasão que surgiu no livro Thinking, Fast and Slow, de Daniel Kahneman e Amos Tversky, na década de 1970, tinha como principal pilar de pensamento o uso do contexto como uma ferramenta de convencimento.

Em termos de investimento, esse conceito se iguala a realidade do mercado, ou seja, como anda cada setor e o que podemos prever sobre ele.

Nem sempre as tendências sobre investimentos são totalmente confiáveis, afinal esse é um campo que pode se alterar muito rápido. Porém, é por meio desse conhecimento que conseguimos nos unir contra o framing.

Comece a reparar na forma em que os investimentos são apresentados a você. Qual a ordem de informações que são dadas? Por que elas estão organizadas nesta sequência? Como isso se encaixa no meu mercado?

Seguindo essas três perguntas simples, você conseguirá entender qual o enquadramento daquele investimento e saber se ele é ou não interessante para você, sem cair em armadilhas de persuasão.

Conclusão

O framing deixou de ser uma estratégia que se restringia aos profissionais de marketing há muito tempo. Hoje ele se espalha por todos os campos de nossas vidas sem que nem percebamos.

Entender o que esse enquadramento significa e como ele funciona é o jeito mais simples e seguro de ter um panorama geral e certeiro sobre os seus investimentos. Além, é claro, de ser uma arma muito bem-vinda quando quiser convencer um amigo a ir no restaurante que você deseja!

A opinião e as informações contidas neste artigo são responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, a visão da SpaceMoney.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content