terça, 17 de maio de 2022
Finanças comportamentaisCOLUNA

Finanças comportamentais

Rodrigo Wiethorn

Especialista em comportamento do consumidor e marketing digital.

FOMO: como o Fear of Missing Out influencia suas decisões?

Mecanismo emocional pode ser controlado para evitar impulsos indevidos na hora de investir

31 março 2022 - 12h24
FOMO: como o Fear of Missing Out influencia suas decisões?

Os sentimentos de ganho e perda são os que mais influenciam nossas decisões, sejam elas pequenas, como a roupa que vamos vestir hoje, ou grandes, como qual será nosso próximo investimento.

Ainda que a racionalidade fale mais alto em alguns momentos, as emoções sempre exercem grande influência na maneira como vemos as situações e fazemos uma escolha. Dessa maneira, aprender como driblar os gatilhos mentais que nos levam por caminhos não tão benéficos é essencial.

Entre eles, um dos mais presentes e influentes é o Fear of Missing Out, ou simplesmente FOMO.

Traduzido ao pé da letra como o medo de perder, essa é uma estratégia que muitas empresas e pessoas usam para te convencer a fazer o que eles desejam movido pela aversão à perda que todos nós carregamos.

Para não cair mais nessa armadilha, vamos descobrir tudo o que precisamos sobre o FOMO!

O que é o FOMO?

O FOMO é uma estratégia de persuasão que vai trabalhar com as emoções de ganho e perda e como elas nos afetam. Caracterizada pelo medo constante de estar de fora, e querer seguir com a corrente, o Fear of Missing Out funciona como um gatilho mental de pertencimento.

Sabe aquela expressão “maria-vai-com-as-outras”? 

Por mais que muitas vezes ela seja usada de maneira pejorativa, todos nós somos “marias-vai-com-as-outras” no dia a dia. E o FOMO nos prova isso!

Campanhas de marketing que focam em gatilhos de escassez, últimas chances e queima de estoque usam dessa estratégia do medo de perder para convencer seus clientes. Do mesmo modo, o alarde de última oportunidade nos convence de que efetuar aquela ação naquele momento é a melhor opção, tudo por conta desse medo de ficar de fora.

Não apenas em relação às compras que o FOMO nos influencia. Quem nunca passou a ouvir uma banda, experimentou uma comida, ou até mesmo viu uma série apenas porque todos estavam falando dela? Esse é um exemplo do Fear of missing out em nosso dia a dia.

Outro exemplo bem comum dessa estratégia é quando temos receio de perder alguma novidade por estarmos offline ou até mesmo dormindo. Novamente esse medo da perda volta com tudo para nos convencer a agir de determinada maneira ou comprar determinada coisa.

Apenas com essa explicação já temos uma bela noção do quão perigoso o FOMO pode ser em nosso cotidiano, imagine então em relação aos nossos investimentos?

Vamos mergulhar um pouco mais fundo nesse assunto no próximo tópico!

O FOMO em meus investimentos

Nem sempre nadar a favor da corrente é a melhor opção quando tratamos de nossos investimentos. 

Sabemos como o mercado pode ser instável, e ter um amplo conhecimento é muito mais seguro do que confiar no que todo mundo está fazendo. Mas por vezes, nosso próprio cérebro nos prega peças e acabamos caindo no FOMO.

O grande perigo do Fear of Missing Out é que na maioria das vezes ele vai nos convencer a fazer coisas e tomar decisões que não faríamos se não fosse esse medo constante de perder.

Isso não significa que todas as decisões tomadas com base no FOMO são ruins. Apenas quer dizer que a falta de análise pode nos prejudicar em determinados momentos simplesmente por não termos um panorama geral da situação.

A pergunta que nos resta, então, é como fugir disso tudo?

Entretanto, a resposta é que simplesmente não podemos! O FOMO faz parte de uma ferramenta muito antiga do nosso cérebro que nos ajuda a tomar decisões e economizar energia, é o que chamamos de Sistema Piloto Automático. Contudo, isso não quer dizer que não podemos diminuir suas ações.

A busca constante por informações do seu mercado vai te ajudar a manter sempre um lado racional ligado quando o Fear of Missing Out chegar até você. Desse modo, ainda que se sinta influenciado por esse medo da perda, as chances de você tomar uma decisão impulsiva e ruim diminuem drasticamente.

Conclusão

O FOMO é uma estratégia de influência vista como um bicho de sete cabeças por muitos, mas não há a necessidade de encararmos ele dessa maneira.

Por mais perigoso que possa parecer, a verdade é que o FOMO nos ajuda em muitos aspectos do nosso cotidiano. Quando tratamos dos investimentos, então, basta ficar um pouco mais de olho para que essa ferramenta aja a seu favor!
 

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content