sábado, 04 de dezembro de 2021
Finanças para jovensCOLUNA

Finanças para jovens

Larissa Brioso

Educadora Financeira na Mobills

Como começar a investir? As melhores dicas para iniciantes!

Para quem está dando os primeiros passos nesse universo, ter uma vida financeira organizada é essencial

26 julho 2021 - 14h30
Como começar a investir? As melhores dicas para iniciantes!

Para conquistar a independência financeira é preciso fazer o dinheiro trabalhar para você. Ou seja, abdicar do prazer momentâneo de gastar para investir esperando colher os resultados dos seus ativos. Isso acontece porque o mercado recompensa, de certa forma, aqueles que têm paciência para ‘emprestar’ o seu dinheiro em busca de um retorno.

Todavia, apesar de termos cada vez mais pessoas investindo, muitas ainda não conhecem a importância de adquirir ativos ao invés de passivos financeiros, que tiram dinheiro do nosso bolso. Na verdade, o endividamento das famílias brasileiras tem crescido devido à falta de planejamento. Para contornar essa situação e ter uma vida financeira mais equilibrada, a organização financeira é essencial. Então, veja, a seguir, dicas para começar a investir e mudar de vida.

Defina os seus objetivos financeiros

Um objetivo financeiro é aquilo que você deseja alcançar financeiramente, seja no curto prazo (até 2 anos), médio prazo (2 a 5 anos) ou longo prazo (acima de 5 anos). 

Eles são essenciais na nossa jornada como investidores pois nos guiam em nossas escolhas de investimentos. Afinal, quando sabemos onde queremos chegar, fica muito mais fácil pensar em estratégias e, no caso, ativos, que vão nos ajudar a conquistar nossos objetivos mais rapidamente.

Conheça o seu perfil de investidor

Nosso perfil de investidor diz respeito à nossa aversão ao risco dos ativos financeiros. Nesse sentido, para fazer escolhas de investimentos alinhadas às suas expectativas, é preciso saber se você é um investidor mais conservador, moderado ou agressivo. De todo modo, vale ressaltar que para quem está começando a investir, é interessante fazer investimentos mais conservadores e estudar mais sobre o assunto para então diversificar a carteira.

Defina uma meta de poupança mensal

Deixar sobrar dinheiro no fim do mês não é nem de longe uma boa opção para quem deseja investir. Por isso, faça uma reflexão sobre sua renda líquida (descontada de taxas e impostos) e seus gastos fixos e variáveis. A partir disso, veja qual a sua capacidade de poupar dinheiro para os seus objetivos. Caso não tenha muito dinheiro livre, pense em maneiras de otimizar a renda, seja economizando ou ganhando uma renda extra.

Escolha uma corretora de valores

Uma corretora de valores nada mais é do que uma instituição financeira responsável pela intermediação entre você e as aplicações financeiras. Logo, é importante ter atenção quanto à escolha da sua corretora. Confira as taxas, o portfólio de ativos, selos e certificações, atendimento e plataforma para avaliar qual atende melhor às suas necessidades. Além disso, lembre-se de verificar se a mesma é autorizada a atuar no mercado financeiro.

Monte sua reserva de emergência

Formar a reserva financeira é, basicamente, a porta de entrada para o mundo dos investimentos. Isso porque ela é essencial e existem investimentos seguros e com facilidade de resgate para fazermos aplicações com esse objetivo. De maneira simples, essa reserva deve ser capaz de te ajudar a superar obstáculos financeiros que surgem e não estão inclusos no seu orçamento. O ideal é que você guarde, pelo menos, o equivalente a 6 vezes os seus gastos mensais para imprevistos.

Quando o assunto é reserva financeira, cuidado para não pular etapas. Nesse início, busque ativos com maior segurança e menor liquidez. Assim, ao surgir uma necessidade, você conseguirá ter o dinheiro disponível com uma maior facilidade e sem prejuízos.

Estude sobre investimentos

O conhecimento sobre investimentos abre portas para a independência financeira. Sabendo disso, busque estudar mais sobre o funcionamento do mercado, os tipos de ativos e como tomar decisões inteligentes com base em seus objetivos.

Atualmente, temos boas fontes de informação, seja por meio de livros, blogs, redes sociais, aplicativos, podcasts etc. O importante é encontrar aquela que mais lhe agrada para continuar aprendendo a cada dia mais sem desistir no caminho.

A opinião e as informações contidas neste artigo são responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, a visão da SpaceMoney.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content