segunda, 06 de dezembro de 2021
Empreendedorismo Sem GlamourCOLUNA

Empreendedorismo Sem Glamour

Renatta Alarcon

Publicitária, produtora de conteúdo feminino, empreendedora digital e CEO da Reaw

Como conquistar um público fiel

No dia a dia de uma empreendedora, fazemos de tudo; mas sempre devemos nos manter atentas ao cenário macro 

24 novembro 2021 - 16h22
Como conquistar um público fiel

Quando eu imaginava uma mulher empreendedora, sempre me vinha à mente uma mulher bem-sucedida e com uma vida com 90% do tempo de felicidade e qualidade de vida. Não que isso não ocorra, mas até chegar lá é um longo caminho. Empreender é um estilo de vida, cheguei a essa conclusão nos últimos 15 anos. E não adianta querer que as pessoas pensem como você. 

Falar do começo da minha vida empreendedora é fácil, resumi em alguns minutos na coluna passada, mas é aqui que começam os desafios.

Fiquei por mais ou menos uns 2 anos dando conselhos amorosos todo santo dia, com sol ou chuva, atendendo a dezenas de mulheres que precisavam de um bom conselho ou simplesmente de um ombro amigo.

Fui me reestruturando financeiramente, mas aquele trabalho começou a me desestruturar emocionalmente, pois, sem ajuda de uma terapia, eu não tinha preparo psicológico para lidar com os problemas de tantas pessoas.

Homens idiotas

Eis que tive a idéia de criar um blog e um livro contando as histórias de relacionamento que não davam certo – mas com um viés divertido – para que as pessoas se identificassem e, quem sabe, conseguissem diminuir seu sofrimento.

O blog começou a crescer dia a dia, brasileiras do mundo todo acessavam o conteúdo e me mandavam suas histórias de relacionamento frustrados. Enquanto eu imaginava que uma editora pudesse lançar meu livro, eu ia enchendo o blog de conteúdo, e já nessa época – 2008 – consegui alguns patrocinadores para o blog.

Consegui nesse momento minha segunda forma de monetização empreendendo, mas dessa vez eu estava me divertindo.

Organicamente, meu blog alcançava trinta mil visitas em 2008. Você pode achar que é um número muito pequeno para os dias atuais, mas há treze anos era um ótimo alcance.

Fui convidada para lançar meu livro na bienal de 2008. Parece fácil pensar como ficou a cabeça de uma filha de professora de português escrevendo um livro sobre relacionamentos e lançando na bienal do livro. Incrível, não é?

Pois é, tirando o fato que o livro chamava “Homens idiotas” (eu escrevi num momento de raiva, quis trocar o nome, mas a editora não concordou). E não é que deu certo? Fui parar no Programa do Jô Soares por conta dele e do meu perfil empreendedor.

Meu blog então saltou da noite da minha entrevista para a manhã do dia seguinte para um milhão de visitas e eu recebi mais de 1000 e-mails em uma única noite. Não, não estamos falando de um influenciador digital dos dias de hoje, e sim, de uma publicitária que resolveu fazer alguma coisa para voltar a ter renda e recomeçar sua vida.

A entrevista foi um marco na minha história. Eu comecei a entender naquela época o que é olhar para seu público com atenção. Percebi então que meu público era 90% feminino, e que as mulheres gostam e precisam de mais atenção. Como pude demorar para perceber uma coisa tão óbvia?

Conquistar seu público

Uma lição para empreendedoras: as coisas óbvias também precisam ser ditas e nem sempre são óbvias quando estamos inseridas no operacional da empresa.

Você faz absolutamente tudo. Tem as idéias, as coloca em prática, cuida das vendas, financeiro, administrativo, operação, divulgação... e aí chega alguém de fora e te traz uma solução tão óbvia que você até se sente mal por não ter pensado ainda.

Não se sinta só. Se não todas, a maioria das empreendedoras já passou por isso. E não é falta de capacidade, fique tranqüila. O que muito provavelmente pode acontecer é que talvez a sua cabeça não esteja livre para pensar em opções e novas soluções, porque você está tão preocupada em fazer a empresa dar certo que tende a olhar apenas para o dia a dia sem ter a visão macro do seu negócio.  

Voltando, fiz uma super descoberta sobre o meu público, mas o que exatamente fazer com as informações que constatei? 

Primeiro fiz um trabalho manual (me lembro de passar dois meses respondendo e-mail por e-mail que recebi pedindo ajuda) sem cobrar absolutamente nada! O foco naquele momento era conquistar esse público.

Deu muito certo! Foram dias investindo em pessoas. E aqui, antes de continuar minha história, pergunto para você: Qual ação você já fez para conquistar seu público?

Não estou falando de anúncio para gerar leads, e sim, de alguma ação que provavelmente você não tenha lucrado imediatamente, mas que transformou seu público em público fiel.
Se não fez ainda, pense em alguma idéia, coloque em prática para que a gente volte a conversar na minha próxima publicação.

Vamos juntas, empreendedoras.

A opinião e as informações contidas neste artigo são responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, a visão da SpaceMoney.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content