domingo, 28 de novembro de 2021
Finanças em famíliaCOLUNA

Finanças em família

Carol Stange

Educadora em finanças pessoais e criadora da marca “Como enriquecer seu Filho”.

O perigo de se ter apenas uma fonte de renda

Quando a única fonte de renda se origina de um emprego, uma demissão é um risco constante

12 maio 2021 - 15h30
O perigo de se ter apenas uma fonte de renda

Foco, disciplina, estratégia e ousadia costumam ser as palavras mais citadas para quem busca ter mais de uma fonte de renda. Mesmo que você não tenha a ambição de ser o próximo milionário da família, certamente você deseja ter mais conforto imediato e maior liberdade financeira no futuro, certo? 
 
Quando a única fonte de renda se origina de um emprego, uma demissão é um risco constante. Quando a fonte de renda vem de um pequeno negócio, as crises e os inúmeros imprevistos podem acabar comprometendo o faturamento ou até mesmo a viabilidade do negócio.
 
A verdade é que não existe nenhuma fonte de renda 100% segura e eterna: há imprevistos, transições de carreira, instabilidades no mercado, possíveis mudanças de cidade, alterações na saúde ou disposição e eventos que fogem completamente ao nosso controle e planejamento. Entender essa realidade e criar um plano B — ou até mesmo um plano C — é essencial.
 
Pare e responda
 
O primeiro passo para quem deseja diversificar suas fontes de renda é parar e pensar. Eu sei, parece óbvio, mas muitos pequenos empreendedores se lançam no mercado no "feeling", no sentimento de que o caminho parece ser "por aqui". Eu gosto de pedir aos meus mentorados que respondam à seguinte brincadeira:
 
"Vamos supor que você tenha recebido uma herança capaz de pagar todas as suas despesas para o resto da vida. Você não precisa mais trabalhar. Parece excelente, não? Mas há uma condição: você precisa desempenhar uma atividade não remunerada 5 dias por semana, 8 horas por dia. Qual atividade você escolheria?"
 
Confesso que é divertido ver como essa resposta não é simples ou fácil! As atividades que enxergamos dependem do meio onde fomos criados, de onde vivemos atualmente, das nossas aptidões, habilidades, conhecimentos, gostos pessoais e experiências acumuladas. 
 
Quando meus mentorados descobrem que, por causa de todos esses pontos, a resposta para a brincadeira da herança é mais desafiadora do que pode parecer, é comum que acabem surgindo respostas prontas como: comprar imóveis para alugar, abrir uma empresa, comprar uma franquia, importar algum produto ou começar uma marca própria. Todos essas opções são mais complexas e demandam infinitamente mais tempo, energia e capital do que a sugestão que vou te dar a seguir.
 
Pode (e deve) ser mais simples
 
Você pode começar sua segunda fonte de renda de uma forma mais simples, rápida, sem grandes investimentos financeiros (às vezes até sem investimento financeiro algum) e, ainda, usando aquilo que você já tem, seja conhecimento, seja um bem.
 
Dando um exemplo prático: pessoas que atuam na área administrativa ou financeira dentro de uma grande empresa podem usar a bagagem adquirida ao longo dos anos de experiência para ofertar serviços para outras empresas como auditores, treinadores e consultores. Quem trabalha na área de marketing, design e programação também pode atuar como freelancer se cadastrando em plataformas como 99freelas e Workana, por exemplo.
 
Quando falamos de um bem, as opções são igualmente diversificadas: o aspirador de pó importado usado apenas uma vez por semana pode ser alugado para os vizinhos nos outros dias da semana. Aquele jogo de jantar
usado poucas vezes ao longo de uma década de casamento pode ser alugado sob demanda nos sites de artigos para festas. As roupas das crianças que não servem mais e os brinquedos que não despertam mais interesse podem ser vendidos nos sites e grupos de desapego. A vaga desocupada na garagem pode ser alugada. E ainda temos os talentos e hobbies!
 
Pense de forma criativa
 
Sabe aquelas fotos belíssimas que você tira, usando apenas o celular? Há uma gama enorme de pessoas querendo aprender as táticas e os segredos para suas próprias fotos. Além disso, há sites que compram suas fotos, mesmo que caseiras. 
 
E os elogios que você recebe das outras mães por causa da paciência com que você ajuda seu filho com aquela difícil matéria escolar? As aulas de reforço podem se estender para os coleguinhas de sala. Se você gosta de escrever textos, é possível ganhar dinheiro com isso se tornando um ghostwriter nas horas livres.
 
Existem infinitas possibilidades, tudo depende dos seus gostos, objetivos e habilidades. Claro que uma mentoria profissional pode fazer toda a diferença no processo, mas uma pesquisa rápida na internet te mostrará que não faltam exemplos de gente que começou uma atividade paralela sem grandes ambições, enxergou uma oportunidade de negócio mais elaborada e acabou multiplicando sua renda familiar e se tornando, dessa forma, menos dependente da fonte de renda principal. 
 
Não há problema algum em começar pequeno. O problema está em não ter coragem de começar. Aumentar sua renda certamente pode adiantar seus planos de independência financeira e trazer mais conforto imediato
para você a sua família.

A opinião e as informações contidas neste artigo são responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, a visão da SpaceMoney.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content