terça, 30 de novembro de 2021
Investimentos alternativosCOLUNA

Investimentos alternativos

Arthur Farache

Advogado e CEO da Hurst Capital.

Setor imobiliário está no topo das apostas dos investidores para 2021

Alguns componentes colaboram para confirmar a máxima de que os investimentos imobiliários geralmente conseguem permanecer inabaláveis

05 janeiro 2021 - 14h03
Setor imobiliário está no topo das apostas dos investidores para 2021

A difundida premissa que atribui ao setor imobiliário o papel de porto seguro para os investidores deve ser revigorada em 2021. Com tantas variáveis apontando expectativas positivas tanto da área produtiva (fabricantes de insumos da construção), como de incorporadores, a suposição é de que o mercado de imóveis se posicione como forte candidato entre os setores que devem receber as maiores quantidades de investimentos neste ano.

Alguns componentes colaboram para confirmar a máxima de que os investimentos imobiliários geralmente conseguem permanecer inabaláveis enquanto aqueles que acreditam em outras alternativas de rendimento costumam viver dias mais difíceis diante de conjunturas mais indefinidas.

Por um lado, embora tenha havido um movimento em direção à Bolsa nos últimos anos, há consenso de que esse cenário pode ser facilmente abalado de acordo com as notícias que começarem a chegar do combate à pandemia e com as medidas para organizar a economia após seu desaparecimento.

Qualquer informação sobre atrasos em processos envolvendo vacinas ou projetos de governos visando dar auxílios emergenciais são capazes de fazer os indicadores de valorização das ações oscilarem dos recordes de alta aos mais profundos vales.

Isso já foi visto muitas vezes em 2020 e os investidores de perfil mais conservador não vão querer experimentar esse frio na barriga por muito tempo este ano.

Vendas crescentes

Esse cenário torna a construção civil especialmente atraente. Principalmente porque nessa esfera de atuação têm sido registrados crescimentos vertiginosos influenciados pela forte demanda das famílias por residências maiores por conta do regime de trabalho em home office ditado pela pandemia.

No acumulado do terceiro trimestre de 2020, as vendas de imóveis totalizaram 39.617 unidades (+39,7%, na comparação com o mesmo período do ano passado), novo recorde histórico dos Indicadores Abrainc-Fipe, segundo dados da Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias).  Esses fatores, combinados às quedas de juros que repercutiram diretamente no financiamento de imóveis, compõem indiscutivelmente o quadro ideal para o setor imobiliário ser o grande protagonista em 2021. 

Enquanto isso, no cenário macroeconômico, pairam ainda várias incertezas que tornam o mercado acionário uma grande incógnita para 2021. Mesmo com o agronegócio despontando entre os setores promissores para o ano, rondam a bolsa de valores os temores em relação à situação fiscal do Brasil, por exemplo, com aumento da dívida pública, que deve chegar a 100 por cento do PIB (Produto Interno Bruto) ao final de 2020. A situação fiscal é um dos principais balizadores do comportamento das taxas de juros reais no longo prazo.

A construção civil, por outro lado, não cansa de colecionar cases de sucesso indiscutível, comportamento que se evidenciou em 2020 e que deve se estender para os próximos anos. Por exemplo, uma das maiores construtoras do setor anunciou em dezembro que projeta atingir um valor geral de vendas (VGV) de aproximadamente 1 bilhão de reais até 2023 com uma nova marca de imóveis que acabou de adquirir. Já estão previstos os lançamentos de quatro empreendimentos até junho de 2021, nas cidades de Belo Horizonte (MG), Campinas (SP), Salvador (BA) e Maceió (AL).

Cimento em alta

Outros gigantes do setor também sinalizaram disposição de direcionar investimentos maciços em novas moradias. No segmento de cimento, a alta projetada para as vendas deste ano é de 9,5% a 10%, de acordo com o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC). Portanto, está se demonstrando como praticamente imune diante dos efeitos nefastos que a pandemia promoveu em outras áreas que encolheram seus negócios visivelmente.

Com tantos sinais promissores indicativos de aceleração e aumento da produção de imóveis, o investidor poderá recorrer a vários instrumentos para direcionar seus recursos no mercado. No entanto, a incorporação imobiliária tem se destacado por oferecer a possibilidade de o investidor entrar em projetos devidamente bem estruturados, garantindo lucros já na venda das unidades. 

Em um horizonte onde esse setor tem como meta lançar empreendimentos em larga escala e a todo vapor nos próximos meses, as apostas em incorporação imobiliária devem ser bastante disputadas, além de representarem um ativo com um peso substancial no portfólio.

A opinião e as informações contidas neste artigo são responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, a visão da SpaceMoney.

Leia outros artigos de Arthur Farache:

 

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content