segunda, 27 de maio de 2024
SpaceNow

IBOVESPA E DÓLAR HOJE - Reação ao corte na Selic, ajuda as companhias aéreas e juros nos EUA

Confira os principais fatores que influenciam os mercados financeiros em todo o mundo nesta quinta-feira, 1 de fevereiro

01 fevereiro 2024 - 18h17Por Redação SpaceMoney
B3B3 - Crédito: Paulo Whitaker, para a agência Reuters

Bem-vindo ao SpaceNow. Aqui, a SpaceMoney atualiza as principais notícias que impactam os mercados financeiros em todo o mundo.

 

Ibovespa e dólar hoje

Ibovespa, principal índice acionário da B3, encerrou em alta de 0,57%, a 127.283,98 pontos, nesta quinta-feira (1). 

dólar comercial (compra) encerrou em queda de 0,45%, a cotado R$ 4,915.

 

Outros índices

BDRs: BDRX: +0,24%

FIIs: Ifix: -0,37% 

Small caps: SMLL: -0,21%

 

Bolsas globais 

Ásia [Encerrados]

Nikkei 225 (Japão): +0,61%

Shanghai Composite (China): -1,48%

 

Europa [Encerrados]

DAX 30 (Alemanha): -0,26%

FTSE 100 (Reino Unido): -0,11%

CAC 40 (França): -0,89%

 

EUA [Encerrados]

Dow Jones: +0,97%

S&P 500: +1,25%

Nasdaq 100: +1,30%

 

EWZ

O iShares MSCI Brazil ETF (EWZ) registrou alta de 1,12%, a US$ 33,29 em NY

 

Juros futuros (DIs)

Ativo Variação (p.) Último Preço
DI1F25

-0,06

9,925

DI1F26 -0,05

9,61

DI1F27

-0,045

9,745

DI1F29

-0,055

10,18
DI1F31

-0,05

10,42
DI1F33

-0,05

10,52

 

Commodities

Petróleo - O petróleo WTI para março de 2024 se desvalorizou em 0,11%, a US$ 75,77 por barril, enquanto o petróleo tipo Brent para março de 2024 recuou 0,24%, a US$ 80,35 por barril. 

Confira os principais fatores que influenciam o Ibovespa, o dólar e os mercados financeiros em todo o mundo nesta quinta-feira, 1 de fevereiro

 

Brasil

Agenda:

  • Às 8:00, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas divulgou o IPC-S semanal.
  • O S&P Global lança, às 10:00, o PMI da indústria de transformação em janeiro.

 

Inflação pelo IPC-S cresce 0,61% na quarta quadrissemana de janeiro, aponta FGV

 

O IPC-S da quarta quadrissemana de janeiro de 2024 subiu 0,61% e acumula alta de 3,36% nos últimos 12 meses, segundo o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição para o resultado do IPC-S partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação cuja taxa de variação passou de 2,11%, na terceira quadrissemana de janeiro de 2024 para 2,59% na quarta quadrissemana de janeiro de 2024.

Leia mais.

 

Copom: Banco Central reduz taxa Selic em 0,50 p.p., a 11,25% ao ano 

Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) decidiu por mais um corte de 0,50 ponto percentual (p.p.) na taxa básica de juros (Selic), a 11,25% ao ano. 

A decisão, anunciada nesta quarta-feira, 31 de janeiro, veio em linha com o consenso de mercado. Em comunicado, a autarquia antecipou novos cortes da mesma magnitude nas próximas reuniões. 

 

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) classificou de “injustificável” a decisão do Copom. Em nota, o presidente da entidade, Ricardo Alban, disse que o Banco Central deve ter maior compreensão da realidade brasileira e pediu mais ousadia no ritmo de queda da taxa Selic para diminuir significativamente o custo financeiro das empresas.

“É necessário e desejável maior agressividade do Copom para que ocorra uma redução mais significativa do custo financeiro suportado por empresas, que se acumula ao longo das cadeias produtivas, e consumidores. Sem essa mudança urgente de postura, seguiremos penalizando não só a economia brasileira, mas, principalmente os brasileiros, com menos emprego e renda”, criticou Alban. Antes da reunião do Copom, a CNI tinha soltado nota pedindo um corte de 0,75 ponto percentual.

 

Orçamento de 2024

O Vice-líder do governo na Câmara, deputado Pedro Paulo vai apresentar um projeto de lei ou uma emenda para oficializar um mecanismo que bloqueie menos recursos do Orçamento de 2024, conforme apurou O Globo.

Pelo texto do arcabouço aprovado em 2023, o contingenciamento este ano poderia chegar a R$ 53 bilhões

Mas o entendimento do Ministério da Fazenda é de que o número máximo teria que ser de R$ 23 bilhões, porque é preciso respeitar a expansão de gastos mínima prevista no arcabouço fiscal, que é de 0,6% acima da inflação.

 Preocupado com a LRF, o governo Lula formalizou a consulta ao TCU para saber se a imposição de um bloqueio menor no Orçamento de 2024 em um cenário de grande frustração de receitas pode gerar punição aos gestores.

 Recentemente, a área técnica do TCU apontou que a expectativa de receitas do governo este ano está “superestimada” e que a falta de credibilidade aponta para déficit fiscal de -0,5% do PIB, ao invés de zero.

 Em estudo divulgado ontem, a Secretaria de Política Econômica (SPE) da Fazenda renovou o otimismo com a arrecadação, projetando 19,2% do PIB, contra receita líquida de 17,5% em 2023, no governo Bolsonaro.

Bom Dia Mercado

 

Socorro às companhias aéreas

 

O presidente da Petrobras (PETR3)(PETR4), Jean Paul Prates, afirmou, em entrevista ao Broadcast, que a estatal está disposta a colaborar com o debate sobre a situação do setor aéreo, mas que não vai reduzir o preço do combustível com um “canetaço”.

 Desde o ano passado, o valor do querosene de aviação (QAV) já foi reduzido em quase 41%, segundo ele, e “abaixar artificialmente o preço representaria a Petrobras subsidiar um setor”, alertou o presidente da estatal.

 O governo Lula marcou reunião para hoje com as companhias aéreas para discutir um pacote de socorro.

 Uma das opções ventiladas na imprensa seria a Petrobras baixar o preço do querosene de aviação (QAV) em 0,5% ou as companhias se juntarem para comprar o combustível diretamente da estatal, reduzindo o custo em até 8%.

Bom Dia Mercado

 

Fiscalização das apostas esportivas

O Ministério da Fazenda criou a Secretaria de Prêmios e Apostas, que cuidará da regulamentação e fiscalização das apostas esportivas de quota fixa, conhecidas como bets, e os jogos on-line.

Segundo a pasta, a secretaria será responsável ainda por autorizar distribuição de prêmios, brindes, exploração de loterias, ações de combate à lavagem de dinheiro, monitoramento do mercado e prevenção ao jogo compulsivo.

A secretaria terá três subsecretarias e 38 profissionais lotados.

Em dezembro de 2023, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que regulamenta as bets, apostas esportivas de quota fixa em que o apostador sabe exatamente qual a taxa de retorno no momento da aposta.

A medida tributa empresas e apostadores e define regras para a exploração do serviço, além de determinar a partilha da arrecadação.

A lei abrange apostas virtuais, apostas físicas, evento real de temática esportiva, jogo on-line e eventos virtuais de jogos on-line.

Agência Brasil

 

Reforma administrativa

 

O ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse ao Valor que o governo já está fazendo a reforma e rejeitou a possibilidade de o Executivo apoiar qualquer PEC sobre este tema.

 A declaração vai na contramão do que vem defendendo Lira, que tenta destravar na Câmara a tramitação de uma proposta que foi apresentada em 2020 pelo ex-ministro da fazenda Paulo Guedes, ainda na gestão de Bolsonaro.

 “O novo concurso nacional é uma reforma administrativa profunda. O que [o governo] não tem é uma proposta de destruição do serviço público feita pelo Guedes, que precisava de uma PEC, para tirar da Constituição”, disse Padilha.

Bom Dia Mercado

 

EUA

Agenda:

  • Às 10:30 sai o volume de pedidos de auxílio-desemprego semanal
  • Às 12:00, o Instituto para Gestão de Oferta (ISM) divulga o índice da industria de transformação em janeiro.

 

FOMC: Banco Central dos EUA mantém intervalo dos juros em 5,25% a 5,50% ao ano

Nesta quarta-feira, 31 de janeiro, o Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos) optou pela manutenção do intervalo da taxa de juros (fed funds) no patamar de 5,25% a 5,50% ao ano. 

A decisão veio em linha com as expectativas do mercado. Investidores voltam a atenção agora para a coletiva de imprensa com o presidente da autarquia, Jerome Powell, às 16h30 (no horário de Brasília). 

 

E corte nos juros?

 

No recado explícito de Powell, março é “cedo demais” para cortar juro. Nova York eliminou boa parte da precificação dovish do 1Tri (35%) e jogou para maio (94%), porque a esperança é a última que morre, mas morre.

 Segundo o presidente do Fed (banco central americano), não há confiança suficiente de que a inflação está voltando à meta de 2% de modo sustentado e será necessário continuar a observar. A mensagem do Fomc é que vai ganhar tempo antes de agir.

 Antes mesmo de Powell praticamente descartar um relaxamento monetário em março, o statement do Fed já havia revelado algumas mudanças de linguagem que esvaziavam a chance de o ciclo de corte começar mais cedo.

 Embora tenha retirado o trecho sobre um possível aperto monetário adicional, o Fed alterou logo no primeiro parágrafo a avaliação sobre o desempenho da economia, de “desacelerou” para “tem se expandido em ritmo sólido”.

 Ao manter a taxa básica entre 5,25% e 5,50% ontem, o Fed observou que o juro americano está no pico, mas que promover um desaperto monetário muito cedo pode acarretar o risco de reversão do progresso inflacionário.

 Sobre o mercado de trabalho, disse que segue “apertado”, apesar de dar sinais de um quadro de maior equilíbrio. Isso leva a crer que, mesmo que venha fraco amanhã, o payroll não deve sensibilizar o Fed a cortar o juro em março.

 Convencido de que o Fomc não está com pressa, o Morgan Stanley espera o primeiro corte só para junho.

 Segundo a ferramenta do CME, depois do Fed, o cenário de uma queda acumulada de 150pb da taxa básica este ano ficou um pouco menos provável (39,5% para 38,8%), mas ainda é a principal aposta dos investidores em NY.

 Foi Powell falar ontem, para as bolsas em NY acelerarem o pessimismo na reta final dos negócios.

Bom Dia Mercado

 

Balaços

A expectativa no mercado americano é pelos balanços da noite desta quinta-feira (1), com mais três gigantes do setor de tecnologia: Apple, Amazon e Meta.

Bom Dia Mercado

 

Europa

Alemanha

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da Alemanha subiu de 43,3 em dezembro para 45,5 em janeiro, atingindo o maior nível em 11 meses, segundo pesquisa final divulgada nesta quinta-feira, 1 de fevereiro, pela S&P Global em parceria com o Hamburg Commercial Bank.

O resultado definitivo de janeiro ficou levemente acima da estimativa preliminar e da previsão de analistas consultados pela FactSet, de 45,4 em ambos os casos. Apesar do avanço, a leitura abaixo da marca de 50 indica que a produção manufatureira alemã segue em contração.

 

Reino Unido

PMI industrial

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial do Reino Unido subiu de 46,2 em dezembro para 47 em janeiro, segundo dados finais publicados nesta quinta-feira, 1, pela S&P Global em parceria com a CIPS.

O resultado definitivo de janeiro, porém, ficou abaixo da estimativa preliminar e da previsão de analistas consultados pela FactSet, de 47,3 em ambos os casos. A leitura abaixo de 50 também indica que a atividade manufatureira britânica segue em contração.

 

Zona do Euro

PMI industrial

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial da zona do euro subiu de 44,4 em dezembro para 46,6 em janeiro, atingindo o maior nível em dez meses, segundo pesquisa final divulgada nesta quinta-feira, 1 de fevereiro, pela S&P Global em parceria com o Hamburg Commercial Bank.

A leitura definitiva de janeiro confirmou a estimativa preliminar e veio em linha com a previsão de analistas consultados pela FactSet. O resultado abaixo da barreira de 50, no entanto, indica que a produção manufatureira do bloco segue em contração.

 

Desemprego

A taxa de desemprego da zona do euro permaneceu na mínima recorde de 6,4% em dezembro de 2023, o mesmo nível do mês anterior, segundo dados com ajustes sazonais divulgados nesta quinta-feira, 1 de fevereiro, pela agência oficial de estatísticas da União Europeia, a Eurostat.

O resultado de dezembro veio em linha com a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal. A Eurostat calcula que havia 10,909 milhões de desempregados na zona do euro em dezembro.

Em relação a novembro, o número de pessoas sem emprego na região teve queda de 17 mil.

 

Esta matéria contém informações complementares levantadas pelo site Bom Dia Mercado.