terça, 16 de abril de 2024
SpaceDicas

Por que investir em previdência privada com o 13º salário?

Benefício pode ajudar a garantir tranquilidade após a aposentadoria

29 novembro 2023 - 14h04Por Redação SpaceMoney

No Brasil, se aposentar leva tempo e a maioria daqueles que conseguem o benefício ainda precisam trabalhar para complementar a renda, inferior à que tinham com salário.

Um estudo recente da Fenaprevi aponta para crescimento do interesse em “como se manter após parar de trabalhar”.

A pesquisa revelou, por exemplo, que quatro em cada dez entrevistados (42,0%) contam com o INSS quando pensam em se aposentar. Porém, a maioria deles (66,0%) não sabe quanto vai receber mensalmente.

Cerca de 57,0% dos ouvidos acreditam que vão cortar gastos nessa fase e, para apenas 12,0%, a fonte de renda após parar de trabalhar vai ser a previdência privada.

O cenário mostra o potencial de crescimento que a solução tem para alcançar ainda mais brasileiros, como uma forma segura de manter a independência financeira após tantos anos de contribuição.

Você pode utilizar o 13º salário como uma boa maneira de começar a investir em previdência privada.

Criado em 1962, o 13º salário corresponde a um mês de remuneração líquida paga ao colaborador proporcionalmente aos meses trabalhados ao longo do ano.

Por se tratar de um benefício, não pode ser contabilizado para despesas fixas do mês e, por isso, você encontra nele um bom modo de começar a investir, especialmente para aqueles que não costumam ter brechas no orçamento.

E aí entra a previdência privada como uma forma de planejamento financeiro. Uma vez aplicado, o dinheiro rentabiliza até o momento do resgate, na aposentadoria, e aumenta a renda futura.

Segundo a analista de previdência da be. smart Seguros, Ana Clara Souza, além de ser fácil, qualquer um pode investir, inclusive crianças.

“Para começar a investir na previdência privada, abra um plano com uma seguradora, em que serão estabelecidas as condições, tributações e valores. As contribuições são alocadas em um fundo, que pode ser multimercado ou renda fixa. Os investimentos podem começar em apenas R$ 100”, explica ela.

A analista ainda afirma que, antes do investimento começar, faz-se um estudo para prever a reserva financeira futura e a renda a ser proporcionada.

Para a analista de previdência da be. smart Seguros, investir o 13º em um plano PGBL desponta como a maior vantagem.

“Na próxima declaração do Imposto de Renda, se o cliente estiver enquadrado nas regras para o benefício, o valor aportado pode ser deduzido em até 12% da renda bruta anual tributável do titular do plano de previdência”, destaca Ana Clara.

De acordo com a profissional, espera-se entregar um rendimento de 7% a 8% ao ano. “Os profissionais responsáveis avaliam o mercado e o perfil do cliente para superar essas metas”, ressalta a executiva.

 

As informações são de Approach Comunicação.