domingo, 16 de junho de 2024
Educação financeira

O caminho para avançar além do acesso à saúde financeira

Estudo exclusivo do Nubank (ROXO34) e Mastercard aborda temática com análise de dados

18 abril 2024 - 12h40Por Redação SpaceMoney

O Nubank (ROXO34) e a Mastercard divulgaram hoje resultados de um estudo que mede o impacto da inclusão financeira em pessoas físicas, incluindo aqueles que historicamente estão à margem do sistema bancário tradicional no Brasil.

O estudo fornece uma visão das experiências dos clientes ao acessar e usar soluções e ferramentas financeiras, e o impacto dessas experiências em sua capacidade de avançar em direção à segurança e à saúde financeiras.

A estrutura de quatro partes usada no estudo – acesso, uso, segurança, saúde – ilustra a jornada holística e não linear da inclusão financeira. Embora o estudo tenha sido desenvolvido no Brasil, a metodologia permite que os insights sejam potencialmente aplicados em outros países ao redor do mundo.

O estudo, que analisou comportamentos e necessidades dos consumidores por meio de dados quantitativos anonimizados e agregados e pesquisas qualitativas com clientes e não clientes do Nubank, sugere que o Brasil se destaca na América Latina por estar em um estágio de crescente inclusão financeira, com 70% de penetração de cartões (ou seja, pessoas físicas que possuem cartão de débito ou crédito, segundo o Global Findex do Banco Mundial). 

O país também possui 55% de uso do cartão e um alto nível de uso de pagamentos em tempo real. A eliminação de barreiras típicas de infraestrutura para inclusão financeira torna o Brasil um mercado vantajoso para estudar o processo e o impacto da inclusão financeira, independentemente dessas barreiras.

Os dados revelaram que proporcionar às populações desbancarizadas e sub-bancarizadas (ou seja, aquelas que não têm acesso ao crédito e dependem fortemente de dinheiro) acesso a serviços financeiros pode potencialmente gerar um impacto econômico e social significativo. 

60% dos clientes do Nubank passaram do acesso financeiro para o uso em 24 meses, e 40% em 12 meses, independentemente do nível de renda. O estudo também sugere que fazer pagamentos com cartões pré-pagos pode ser um trampolim para acessar produtos financeiros avançados.

Mais de três quartos (80%) das pessoas que usaram um cartão pré-pago o usaram como seu primeiro produto financeiro, 67% passaram a acessar produtos de empréstimo, e 36% progrediram para fazer investimentos.

Ferramentas de pagamento digital acompanhadas de educação financeira, como exemplo as "Caixas de Dinheiro" do Nubank, oferecem planejamento financeiro em combinação com contas poupanças com juros.

Incentivar o uso responsável do crédito e investir em micro, pequenas e médias empresas podem ser maneiras fundamentais de trazer mais pessoas para a economia digital e ajudar a acelerar sua jornada no longo prazo rumo a saúde financeira sustentável.

 

(Informações de Nubank Assessoria)