segunda, 15 de abril de 2024
Política

O que acontece na política - Lula e Nicolás Maduro; Jair Bolsonaro na embaixada húngara

E, ainda, repercussão do projeto de lei (PL) que regulariza a atividade profissional de motoristas de aplicativos preocupa o Palácio do Planalto

27 março 2024 - 11h16Por Redação SpaceMoney

Paulo Gonet, procurador-geral da República, vai se dedicar pessoalmente para analisar a ida do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) à embaixada húngara, onde permaneceu por dois dias, como revelado pelo jornal “The New York Times”, informou o colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

De acordo com a apuração, providências sobre o caso seriam tomadas apenas na segunda-feira, em razão do prazo dado por Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), para que a defesa do ex-mandatário se pronunciasse em quarenta e oito horas, e pelo feriado da Páscoa.

Mônica Bergamo, colunista do jornal Folha de S.Paulo, informa que os advogados Daniel Tesser, Fabio Wajngarten e Paulo da Cunha Bueno vão afirmar que dias antes da visita à sede diplomática húngara, a Polícia Federal (PF) prendeu diversos de seus ex-auxiliares. Se Moraes quisesse levá-lo também à prisão, teria determinado seu recolhimento na mesma ocasião.

Igor Gadelha, colunista do site Metrópoles, informa que o suposto álibi a ser apresentado pela defesa seria o argumento de que Jair Bolsonaro ingressou na embaixada cerca de uma hora após divulgar vídeo nas redes sociais em que convocava apoiadores para a manifestação na Avenida Paulista, no qual prometia estar presente.

 

E por também falar em Alexandre de Moraes...

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes copiou, ao menos, trinta e três parágrafos de cinco textos dele mesmo, sem esclarecer que os trechos não eram inéditos, na tese apresentada no início do ano para se candidatar a professor titular na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), informou o colunista Guilherme Amado, para o site Metrópoles.

De acordo com a apuração, os fragmentos usados por Moraes, quase sempre na íntegra, incluem um discurso dele, votos no TSE e no STF, e dois artigos publicados pelo próprio.

A prática não configura ilegalidade, mas pode levantar questionamentos no meio acadêmico, reportou Amado.

 

Cronograma das forças policiais...

Investigadores que trabalham no inquérito sobre a trama golpista instalada na cúpula do governo Jair Bolsonaro (PL) para impedir a posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) especulam que o ex-presidente da República poderia ser condenado pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) ainda no fim deste ano, em dezembro, de acordo com o cronograma desenhado pelos mesmos sobre o caso, informou a colunista Malu Gaspar, do jornal O Globo.

À coluna, fontes compartilham que até julho deve ser concluído o relatório em que a Polícia Federal (PF) deve indiciar o político por crimes como golpe de Estado, abolição violenta do Estado Democrático de Direito e associação criminosa.

 

Do lado da família Cid...

O general Mauro Lourena Cid, pai do tenente-coronel Mauro Cid, prestou depoimento nesta quinta-feira (26) na sede da Polícia Federal, em Brasília. O advogado do militar, Cezar Bittencourt - advogado do general e do filho - disse ao blog de Andreia Sadi, do g1 e da GloboNews, que o depoimento ocorreu “sem surpresas”.

O depoimento foi um recado para o filho seguir em colaboração com a Polícia Federal, assinalou Valdo Cruz, do g1 e da GloboNews. Para interlocutores, a PF fez questão de ouvir o pai antes de o filho prestar novo depoimento.

De acordo com o advogado, Lourena Cid disse à PF que não escondeu joias de Jair Bolsonaro e “apenas procurou avaliar dois conjuntos que recebeu de suas viagens no exterior”.

Em Miami, o militar soube dos avaliadores - ainda segundo a defesa - que os presentes não tinham valor algum e eram de latão.

 

Comunicação ruidosa...

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem se preocupado com a repercussão do projeto de lei (PL) que regulariza a atividade profissional de motoristas de aplicativos.

De acordo com a colunista Bela Megale, do jornal O Globo, o petista tem destacado que ser preciso mostrar que o governo quer manter a “autonomia” dos motoristas e conferir a eles garantias trabalhistas. Lula pontua, por exemplo, ser importante mostrar que não existe obrigação alguma de sindicalização da categoria.

Integrantes do governo federal defendem ser necessário deixar claro que a contribuição ao INSS seria obrigatória apenas para aqueles que ainda não contribuem com a Previdência Social.

O projeto prevê que os trabalhadores recolham 7,5% sobre os valores referentes à remuneração, enquanto e os empregadores recolherão 20%.

 

Lula entre líderes internacionais...

Ao jornal O Estado de S.Paulo, analistas disseram que a ditadura de Nicolás Maduro acabou de vez com qualquer ilusão de eleições livres e justas na Venezuela. 

Essa, segundo analistas ouvidos pelo periódico, era justamente a aposta do Palácio do Itamaraty, que evitava fazer críticas públicas ao regime - até agora.

Como mostrou o veículo, o Brasil se irritou com a quebra do acordo e o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) avalia fazer uma crítica pública, depois do esforço para reabilitar Nicolás Maduro.

E, ainda, no Pará (PA), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cometeu uma gafe nesta terça-feira, 26, ao confundir o presidente da França, Emmanuel Macron, com o ex-presidente do país Nicolas Sarkozy.

O deslize foi durante a condecoração do líder indígena Raoni Metuktire com a Ordem Nacional da Legião de Honra, maior honraria concedida pelo governo francês.

 

As informações são de Folha de S.Paulo, g1, GloboNews, Metrópoles, O Estado de S.Paulo e O Globo.