domingo, 05 de dezembro de 2021
Queda de ações

Visa fecha em baixa com receios quanto ao crescimento do ano que vem

No Brasil, os BDRs da companhia (SA:VISA34) fecharam em baixa de 7,4%

27 outubro 2021 - 18h21Por Investing.com

Por Daniel Shvartsman, da Investing.com - As ações da Visa (NYSE:V) caíram 6,9% na quarta-feira (27) apesar da empresa ter superado as estimativas para os seus resultados do 4º trimestre do ano fiscal na terça-feira, já que os investidores parecem preocupados com as perspectivas para o ano que vem.

No Brasil, os BDRs da companhia (SA:VISA34) fecharam em baixa de 7,4%.

A empresa de pagamentos registrou ganhos GAAP de US$ 1,65/ação, além de US$ 6,6 bilhões, ambos superiores às estimativas dos analistas. O número de transações processadas subiu 21% no ano a ano, enquanto os pagamentos aumentaram 17%, e o volume transfronteiras cresceu 38%, sinal de um aumento na atividade de viagens no último verão do hemisfério norte. O CEO da empresa, Al Kelly, afirmou: "O nosso desempenho foi impulsionado pela continuação da recuperação em muitas economias do mundo e pelo aumento da diversificação das nossas receitas, com novos fluxos e serviços de valor agregado".

A projeção da empresa para seu primeiro trimestre fiscal está entre 17% e 19%, com uma moderação esperada ao longo do resto do ano, à medida que retornam da recuperação das despesas da pandemia deste ano.

As reações dos analistas incluíram a manutenção da classificação de compra, porém com diminuição de preços alvo. Segundo o StreetInsider, John Davis, analista da Raymond James, afirmou: "Embora a redefinição da estimativa seja sem dúvida frustrante, já que provavelmente limita o intervalo da ação no curto prazo, ela deve arrumar a casa para que a empresa a supere e cresça ao longo de 2022, com a recuperação da viagens entre fronteiras, salvo algum soluço relacionado com a Covid".

Daniel Perlin, analista da RBC, escreveu que ""a impressão e a projeção do 4T/21 sugerem que os consumidores dos EUA continuam sua recuperação, com o investimento em viagens e restaurantes melhorando, o comércio eletrônico continuando saudável (embora ligeiramente mais baixo), o crédito se acelerando, e o débito permanecendo relativamente estável. Ao incorporar as projeções, estamos reduzindo nossas estimativas para o ano fiscal de 2022."

Preocupações com o crescimento de gastos silenciados estão impactando de forma negativa outras empresas de cartão de crédito, com a Mastercard (NYSE:MA) (SA:MSCD34) fechando em queda de mais mais de 6%, a Discover Financial Services (NYSE:DFS) (SA:D1FS34) recuando 6,2% e a Capital One Financial Corporation (NYSE:COF) (SA:CAON34), que também divulgou seus resultados ontem, caindo 7,5%. A American Express (NYSE:AXP) (SA:AXPB34) foi o ponto fora da curva, com queda de apenas1,6%.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content