sexta, 03 de dezembro de 2021
Ouro

Um dia após derreter, ouro se firma abaixo de US$ 1.900

10 novembro 2020 - 18h24Por Investing.com

Por Barani Krishnan, da Investing.com - O ouro recuperou algumas perdas após a queda épica de segunda-feira, enquanto o clima de risco em Wall Street ajudou o metal amarelo a encontrar abrigo por menos de US$ 1.900 a onça.

O contrato futuro do ouro para entrega em dezembro negociado em Nova York subiu US$ 22, ou 1,2%, a US$ 1.876,40 a onça.

Um dia antes, o contrato futuro de ouro de referência sofreu seu maior colapso desde o início de agosto, caindo mais de US$ 100 ao atingir mínima de quase quatro meses de US$ 1.848, antes de se estabelecer a queda em US$ 88, ou 4,5%.

A liquidação veio depois que a Pfizer (NYSE:PFE) (SA:PFIZ34) anunciou um progresso substancial em seu programa de vacinas contra Covid-19, surpreendendo os mercados e redirecionando dinheiro de ativos seguros para os de risco.

O ouro à vista, que reflete as negociações em tempo real em barras de ouro, subiu US$ 14,72, ou 0,8%, para US$ 1.877,15 às 16h50.

“O ouro está desfrutando de um leve alívio hoje, mas não está longe do fundo de sua mínma de três meses”, disse Craig Erlam, analista da OANDA em Nova York.

Eren Sengezer concordou em um blog postado na FX Street. “Apenas uma quebra decisiva acima de US$ 1.900 poderia atrair mais compradores e ajudar o XAU/USD a se livrar da pressão de baixa”, disse ele, usando o símbolo de negociação para ouro e sua contra-negociação, o dólar.

Erlam disse que o ouro pode permanecer em um caminho de alta se o Federal Reserve e o Banco Central Europeu continuarem a disponibilizar fundos aos mercados e os governos forem forçados a afrouxar ainda mais os cordões da bolsa. “Isso pode pressionar o dólar em 2021 e ser outro fator de suporte para o ouro”, disse ele.

Nos Estados Unidos, particularmente, o presidente eleito Joe Biden e seu governo democrata em transição estão tentando encontrar aprovação para um estímulo fiscal para aliviar os impactos econômicos da Covid-19, já que o coronavírus continua a atingir níveis recordes de infecções. Eles provavelmente enfrentarão forte resistência de republicanos no Senado e do presidente em exercício Donald Trump, que se recusou a admitir sua derrota na eleição da semana passada.

Veja os fatores que influenciam os mercados hoje

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content