quarta, 22 de maio de 2024
Ações

WEG (WEGE3): o que esperar do balanço do 1º trimestre de 2024?

Em relatório, o analista Pedro Pimenta destacou que a base de comparação anual seria forte, devido a demanda bastante aquecida e preços elevados, além da acomodação dos custos de matéria-prima ocorrida no período

21 abril 2024 - 12h00Por Lucas de Andrade

A EQI Research aguarda resultados positivos para WEG (WEGE3) no primeiro trimestre de 2024, com crescimento de 8% na receita líquida e 5,5% no EBITDA (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), com manutenção da margem EBITDA acima de 20%.

 

 

Em relatório, o analista Pedro Pimenta destacou que a base de comparação anual seria forte, devido a demanda bastante aquecida e preços elevados, além da acomodação dos custos de matéria-prima ocorrida no período.

A plataforma aguarda que os números sejam impulsionados pela divisão de Geração, Transmissão e Distribuição (GTD), tanto no Brasil quanto no mercado externo, que tem capturado uma demanda robusta de segmentos de data center e leilões de transmissão.

Adicionalmente, Pimenta ressalta que a carteira com um mix maior de produtos de ciclo longo (aproximadamente 40%) tem impulsionado as margens da companhia.

A alta demanda tem suportado a manutenção de preços ainda elevados, e adia a normalização esperada pelo mercado, na avaliação do analista.

Esses efeitos devem compensar as quedas de volumes e preços significativas nos negócios de geração solar e eólica, assim como na divisão motores industriais (EEI), especula.

A margem líquida deve apresentar diminuição de 0,70 p.p. frente ao primeiro trimestre retrasado e 4 p.p. frente ao quarto trimestre de 2023, impactada pela maior alíquota de imposto de renda (20,00% vs. 17,00% anterior) que entrou em vigor em janeiro de 2024 e deve compensar a estrutura de caixa líquido.
 

 

Tags: WEG, WEGE3