domingo, 28 de novembro de 2021
Recomendação

BTG e XP iniciam CSN Mineração com Compra por preços do minério de ferro

Segundo os analistas do BTG Pactual, a companhia tem um histórico de crescimento forte e deve dobrar os volumes de minério de ferro para 60 milhões de toneladas até 2024

26 março 2021 - 14h24Por Investing.com

Por Ana Carolina Siedschlag, da Investing.com - O BTG Pactual (SA:BPAC11) e a XP Investimentos iniciaram a cobertura da CSN (SA:CSNA3) Mineração com recomendações de Compra e preço-alvo de R$ 13 e R$ 14, respectivamente, citando visões positivas para os preços das commodities e boas perspectivas para pagamento de dividendos.

Segundo os analistas do BTG Pactual, a companhia tem um histórico de crescimento forte e deve dobrar os volumes de minério de ferro para 60 milhões de toneladas até 2024, em projetos de risco baixo.

Eles citam que a mineradora deve pagar em torno de 18% a 19% em dividendos em 2021 e 15% em 2022, volume sem precedentes para as empresas do segmento, e que o fato das operações estarem vindo de um único ativo torna o negócio menos arriscado.

O banco de investimentos aponta ainda que o preço-alvo escolhido para o momento ainda não incorpora alguns projetos, em que eles esperam criar mais confiança conforme a execução.

Eles também reiniciaram a cobertura de CSN com recomendação de Compra e preço-alvo de 45, citando a soma levantada com a oferta pública inicial do braço de mineração, de R$ 4,5 bilhões, que deve ajudar a acelerar os planos de desinvestimento.

O que dizem os analistas da XP

Já a XP Investimentos escreve, em relatório, que o otimismo com a CSN Mineração vem dos preços das commodities e dos volumes esperados para a empresa daqui para frente, seguindo os projetos de expansão. Eles esperam um crescimento expressivo na produção da companhia nos próximos anos.

Eles apontam ainda preferir a CSN à Vale (SA:VALE3) por estimarem um crescimento mais forte e dividendos mais elevados, além de gostarem do fato de a companhia ser 100% minério de ferro.

Os analistas escrevem que os principais riscos para a tese são os relacionados à demanda e produção de aço na China, além do gerenciamento de riscos em barragens inativas.

Segundo o relatório, a CSN Mineração é a primeira mineradora no Brasil a se tornar 100% independente das barragens de rejeitos devido ao processo de dry stacking.

Nesse mesmo relatório, a XP também atualizou o preço-alvo de CSN para R$ 55 por ação, baseado em uma perspectiva otimista acompanhando o potencial de alta do segmento de mineração, na qual a holding tem participação de 79%, além de um ambiente saudável para os preços do aço.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content