Menu
Busca quarta, 27 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
preços petróleo

Preços do petróleo caem enquanto temores econômicos reaparecem

29 setembro 2020 - 12h56Por Investing.com

Por Geoffrey Smith, da Investing.com - Os preços do petróleo caíam na terça-feira (29) com o ressurgimento dos temores sobre a trajetória da demanda global em meio às perspectivas de um inverno no hemisfério norte com de restrições à atividade econômica causadas pelo combate ao coronavírus.

As quedas foram agravadas por fatores técnicos. O benchmark internacional Brent falhou em romper sua média móvel de 100 dias.

Às 12h55 (horário de Brasília), os futuros de petróleo dos EUA caíam 4,23%, a US$ 38,80 o barril, enquanto o Brent caía 3,97%, a US$ 41,17 o barril.

Embora parecesse não haver uma única notícia desencadeando a queda, a mudança ocorreu em um cenário de mortes por coronavírus em todo o mundo chegando a 1 milhão e com o vice-presidente dos Estados Unidos Mike Pence alertando que as taxas de infecção nos Estados Unidos devem aumentar nos próximos dias.

Alguns dos maiores traders de petróleo do mundo disseram, na terça-feira, que previam tempos difíceis pela frente.

"O cenário não parece muito bom", disse Torbjorn Tornqvist, presidente-executivo da Gunvor, em um painel de discussão organizado pela Reuters, observando que as recentes compras ativas por refinarias chinesas foram excessivas e levaram os petroleiros a se enfileirarem na costa chinesa para descarregar suas cargas.

Russell Hardy, CEO da maior casa comercial do mundo, Vitol, disse no mesmo evento que tinha "expectativas modestas" para os preços do petróleo, vendo o consumo permanecer estável até o próximo verão (no hemisfério norte).

Marco Dunand, o fundador e CEO de uma casa de comércio com sede na Suíça, entretanto, disse que não vê o consumo de petróleo voltando aos níveis pré-pandêmicos por alguns anos.

Em uma reunião de ministros de energia do G-20 na segunda-feira, o secretário-geral da Opep, Mohammed Barkindo, disse que os estoques comerciais nos países desenvolvidos provavelmente ficarão bem acima das médias históricas por algum tempo.

Barkindo disse que os estoques de petróleo da OCDE ficarão em torno de 120 milhões de barris acima da média de cinco anos ao longo do trimestre, e permanecerão acima da média em uma visão de cinco anos no primeiro trimestre do próximo ano, apesar de uma queda esperada.

Além disso, havia poucos sinais de construção de mercado em qualquer prêmio de risco geopolítico do conflito entre a Armênia e o Azerbaijão sobre o enclave de Nagorno-Karabak. A região fica a apenas alguns quilômetros da rota do oleoduto Baku-Tbilisi-Ceyhan, que transporta cerca de 1,2 milhão de bpd. Não há relatos de embarques interrompidos.

Veja os fatores que influenciam os mercados hoje

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: