Menu
Busca quarta, 20 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Petróleo

Petróleo tem baixa, consolidando-se após extensão do acordo da Opep+

08 junho 2020 - 11h07Por Investing.com

Por Peter Nurse

Investing.com - Os mercados de petróleo caíam na segunda-feira (8), consolidando-se após fortes ganhos recentes, apesar de um grupo de grandes produtores de petróleo concordar em estender cortes na produção.

Às 11h05 (horário de Brasília), os contratos futuros de petróleo dos EUA eram negociados em baixa de 1,69%, a US$ 38,88 por barril. O contrato de referência internacional Brent caía 0,81%, para US$ 41,52.

No fim de semana, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados concordaram em estender os cortes massivos na produção por mais um mês, com os líderes do grupo - principalmente Arábia Saudita e Rússia - também convencendo outros membros a cumprir suas promessas de reduzir a produção.

O petróleo dobrou desde abril, com os cortes da Opep + diminuindo um excesso global e a demanda se recuperando. Os futuros do Brent registraram um sexto aumento semanal na sexta-feira, a maior sequência de ganhos desde maio de 2018.

Somando-se às notícias positivas, as importações de petróleo da China subiram para uma alta histórica no mês passado, subindo para 47,97 milhões de toneladas em maio, ou 11,34 milhões de barris por dia, de acordo com dados da alfândega de domingo. Isso representa um salto de 15% em relação a abril e 160.000 barris por dia a mais do que o recorde anterior, estabelecido em novembro.

A Saudi Aramco (SE:2222) também aumentou seus preços do petróleo Arab Light em US$ 6,10 por barril em junho, de acordo com uma lista de preços consultada pela Bloomberg, o maior aumento em pelo menos 20 anos.

Dito isto, mais ganhos podem ser difíceis de alcançar, como testemunhado pela queda de segunda-feira.

"Não existe mecanismo de fiscalização", disse o ING sobre o acordo do fim de semana, em uma nota de pesquisa para clientes, "é difícil acreditar que países como o Iraque de repente começarão a cumprir o acordo".

Além disso, a reabertura de dois grandes campos de petróleo na Líbia, após um bloqueio de meses, poderia significar mais produção.

"O potencial retorno da produção da Líbia também pode causar desafios consideráveis ​​para a liderança da Opep", disse Helima Croft, chefe de estratégia global de commodities da RBC Capital Markets, à CNBC.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: