Menu
Busca terça, 21 de setembro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
petróleo

Petróleo sobe com produtores concordando em cortes de produção

12 maio 2020 - 14h50Por Investing.com

Por Peter Nurse

Investing.com - Os mercados de petróleo subiam na terça-feira (12), impulsionados pelos cortes na produção de alguns dos maiores produtores do mundo, o que deve ajudar a diminuir o excesso de oferta que causou queda nos preços.

Às 12h15 (horário de Brasília), os contratos futuros do petróleo dos EUA eram negociados em alta de 5,8%, a US$ 25,54 por barril, enquanto os futuros do índice internacional Brent subiam 1,4%, para US$ 30,06.

A decisão da Arábia Saudita na segunda-feira de aumentar voluntariamente a extensão de seus cortes de produção em mais um milhão de barris por dia em junho, cortando sua produção total para 7,5 milhões de bpd, queda de quase 40% em relação a abril, aumentou a confiança de que o excesso de oferta que causou os preços negativos brevemente no mês passado pode em breve ser uma coisa do passado.

Os preços do Brent caíram 65% no primeiro trimestre, antes dos membros e aliados da Opep, conhecidos como Opep +, concordarem em reduzir a oferta em um recorde de 9,7 milhões de barris por dia.

"Essa redução na produção proporcionou excelentes perspectivas, incentivando outros membros da Opep + a cumprir e até oferecer cortes voluntários adicionais, o que deve acelerar o reequilíbrio dos mercados globais de petróleo", disse Stephen Innes, estrategista-chefe de mercado global da AxiCorp, em nota.

Os Emirados Árabes Unidos e o Kuwait seguiram o exemplo, enquanto o Cazaquistão também ordenou que os produtores reduzissem a produção de petróleo em cerca de 22% no período de maio a junho.

Os danos causados ​​pela queda nos preços do petróleo foram evidenciados na terça-feira pela gigante do petróleo da Arábia Saudita, Aramco (SE:2222), que registrou uma queda de 25% no lucro líquido do primeiro trimestre.

Ainda assim, mais ganhos no preço do petróleo podem ter que precisar de força para acontecer.

A recente recuperação de preços viu algumas das perfuradoras norte-americanas reabrindo os poços recentemente fechados, de acordo com a gigante Energy Pipeline (NYSE:ET).

Na região de Midland, na bacia do Permiano, cerca de 8% dos volumes de petróleo que alimentam a rede de tubulação da Energy Transfer foram fechados no início do mês, disse Mackie McCrea, diretor comercial da empresa, durante uma teleconferência na segunda-feira.

"Até hoje, vimos cerca de 25% disso voltar", disse McCrea.

Há também o perigo de que o pico de demanda de petróleo possa ser um dos legados do surto de coronavírus, disse o novo executivo-chefe da BP, Bernard Looney, ao Financial Times.

Mais tarde na terça-feira, o American Petroleum Institute divulgará sua medida dos estoques de petróleo nos EUA. Um relatório da consultoria privada Seevol na segunda-feira sugeriu que os estoques no centro nacional dos EUA em Cushing, Oklahoma, caíram em 2,17 milhões de barris na semana passada, reduzindo o risco de outra onda de preços negativos quando o contrato de junho do WTI expirar.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: