Menu
Busca sexta, 17 de setembro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
petróleo

Petróleo escorrega com movimentos da China que ameaçam o crescimento

22 maio 2020 - 12h55Por Investing.com

Por Peter Nurse

Investing.com - Os preços do petróleo caíam na sexta-feira (22), pressionados pelas preocupações de uma desaceleração econômica prolongada na China, bem como pelo aumento da probabilidade de uma guerra comercial.

Às 12h10 (horário de Brasília), os contratos futuros do petróleo dos EUA eram negociados em baixa de 3,4%, a US$ 32,77 por barril. O contrato de referência internacional Brent caía 4,3%, para US$ 34,49.

Mais cedo na sexta-feira, a China, no Congresso Nacional do Povo, em Pequim, reduziu sua meta oficial de crescimento do PIB para este ano, pela primeira vez em 30 anos, sugerindo um período mais longo do que o esperado de incerteza econômica no maior importador mundial de petróleo.

O abandono da meta de crescimento pela China "pode ​​ser interpretado como um foco menor no investimento em infraestrutura e pode ser visto como negativo para o petróleo", disse Stephen Innes, estrategista-chefe de mercado global da AxiCorp, à Reuters.

"O mercado de commodities, em geral, estava procurando por um impulso em infraestrutura maior do Congresso Nacional do Povo, então é provável que haja um elemento de decepção".

Esta não foi a única notícia a sair de Pequim na sexta-feira, já que a China também anunciou planos para impor uma lei de segurança nacional em Hong Kong - uma ação que aumentou as tensões com o Ocidente, e os EUA em particular.

O presidente Donald Trump prometeu retaliação se os privilégios existentes de Hong Kong forem encerrados. O que essa retaliação incluiria ainda não se sabe, mas foi somente em janeiro que as duas potências econômicas mais poderosas do mundo assinaram um acordo comercial, sinalizando o fim de uma guerra comercial onerosa. Este acordo agora parece ameaçado.

Essa notícia anulou a positividade recente, em que o petróleo bruto subiu cerca de 80% este mês, com os cortes na produção e a demanda começando a retornar.

De fato, a consultoria IHS Markit estimou a demanda chinesa de petróleo em mais de 90% dos níveis normais pré-covid no final de abril, e subindo ainda mais. Além disso, a demanda por gasolina deverá aumentar nos Estados Unidos, com o próximo fim de semana do Memorial Day dando início à temporada de verão.

Em breve serão divulgados os últimos dados sobre plataformas de petróleo em operação da Baker Hughes, às 14h. Os números serão de particular interesse, uma vez que os preços estão atingindo níveis que podem levar as empresas a retomar parte da produção.

Na semana passada, os dados demonstraram que a contagem de plataformas caiu de 292 para 258 na semana anterior.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: