Menu
Busca sexta, 15 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
petróleo preços

Petróleo cai com declarações do Fed e Casa Branca, golpe duplo para otimismo

13 maio 2020 - 17h17Por Investing.com

Por Barani Krishnan

Investing.com - O dia uniu um conjunto de dados inesperadamente otimista sobre os estoques de petróleo, mas não conseguiu garantir um dia vencedor para os touros da commodity nos Estados Unidos.

Os preços do petróleo caíram 2% ou mais na quarta-feira (13), com o mercado ignorando o relatório da Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês) sobre uma queda surpreendente nos estoques de petróleo na semana passada. Além de uma queda maior do que o esperado na gasolina para se concentrar na avaliação severa do presidente do Federal Reserve, Jay Powell, da economia atingida pelo coronavírus.

Traders e investidores de petróleo também reagiram tardiamente ao especialista em doenças infecciosas da Casa Branca, Dr. Anthony Fauci, que disse que os estados dos EUA não deveriam se apressar para reabrir suas economias dos bloqueios da covid-19 sem cumprir os requisitos que lhes foram dados.

O WTI de junho, índice de referência para o petróleo bruto dos EUA, caía 45 centavos de dólar, ou 1,7%, a US$ 25,33 por barril.

O Brent para entrega em julho, a referência mundial em petróleo negociada em Londres, caía 82 centavos de dólar, ou 2,7%, para US$ 29,16.

"Após o ganho de 17% do petróleo na semana passada, o rali está ficando instável esta semana", disse Ian Stewart, da Energy Intelligence, de Nova York. “Enquanto o futuro avança, o excesso de petróleo físico continua a fluir para os tanques e o caminho da recuperação da demanda permanece altamente incerto. Os novos carregamentos do mar do Norte, que ajudam a fixar o preço dos futuros do Brent, ainda enfrentam um mercado com pouca demanda.”

Tamas Varga, da PVM Oil, disse que a cautela com a economia e a saúde pública também pesam sobre investidores e traders.

"O crescimento previsto e previsível da demanda não está definido: se a segunda onda do coronavírus se espalhar globalmente novamente, as bolsas de valores arrastarão os preços do petróleo no futuro próximo", disse Varga em nota de pesquisa.

Os estoques de petróleo dos EUA viram uma queda inesperada na semana passada, informou a EIA na quarta-feira, aliviando bastante as preocupações de que os Estados Unidos em breve ficarão sem espaço para armazenar o petróleo produzido no país.

Os estoques de petróleo bruto caíram em 745.000 barris na semana encerrada em 8 de maio, informou o EIA. As expectativas eram de um crescimento de cerca de 4,15 milhões de barris, segundo previsões compiladas pelo Investing.com.

Esse foi o primeiro declínio nos estoques de petróleo dos EUA desde o final de janeiro.

Além disso, os estoques de petróleo bruto também caíram em 3 milhões de barris no centro de armazenamento de Cushing, Oklahoma, para petróleo entregue de contratos vencidos do WTI.

Os estoques de Cushing estavam crescendo em até 5 milhões de barris por semana nas últimas semanas, provocando especulações de que o centro, com capacidade de 76 milhões de barris, ficaria sem espaço antes do final deste mês. O medo de uma lotação de Cushing foi o que levou os futuros do WTI a seus primeiros preços negativos no final de abril.

Além do armazenamento, a produção de petróleo dos EUA caiu em 300.000 barris por dia na semana passada, elevando para 1,5 milhão de bpd o declínio total desde que a produção atingiu um recorde de 13,1 milhões de bpd em meados de março.

A EIA também disse que os estoques de gasolina caíram em 3,5 milhões de barris na semana passada, contra as previsões de uma queda de 2,2 milhões de barris.

Enquanto isso, os estoques destilados aumentaram em 3,5 milhões de barris, em comparação com as expectativas de um crescimento de cerca de 2,9 milhões de barris.

Os preços do petróleo subiram logo após a divulgação dos dados da EIA, mas o entusiasmo durou pouco, com o mercado voltando ao vermelho por causa da avaliação de Powell sobre a economia.

Powell alertou para um longo caminho de recuperação da economia em um momento em que muitos estão preocupados com a possibilidade de que a reabertura muito rápida possa desencadear uma segunda onda de infecções por covid-19. Chamando a crise causada pela pandemia de "significativamente pior" do que qualquer recessão desde a Segunda Guerra Mundial, ele também criticou o conselho do presidente Donald Trump de que o banco central corte as taxas para menos de zero, uma ferramenta que o chefe do Fed disse que ainda não está provada ser eficaz.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: