Menu
Busca domingo, 17 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Petrobras

Petrobras: Resultados operacionais para o 3º tri agradam analistas; ações caem

21 outubro 2020 - 14h37Por Investing.com

Investing.com - Depois de ter publicado fortes números operacionais na noite de terça-feira e elevado suas metas de produção para o ano, as ações da Petrobras operavam em queda de 0,84% às 14h35, na contramão da alta de 0,53% do Ibovespa.

Desde a divulgação dos resultados, recebida com bons olhos pelos analistas, a XP, o Safra, o Goldman Sachs, o UBS-BB e o BTG Pactual (SA:BPAC11) reforçaram suas recomendações de Compra para as ações da empresa, com preço-alvo médio de R$ 30,95 para PETR4.

Entre outros números, a companhia informou que sua produção de petróleo e gás somou 2,952 milhões de barris de óleo equivalente ao dia (boed) no terceiro trimestre, aumento de 2,6% ante o mesmo período do ano passado e um crescimento de 5,4% ante o segundo trimestre, e a produção de petróleo no Brasil ante o período anterior cresceu mais de 5%, para 2,36 milhões de barris por dia (bpd).

Os principais motivos para o aumento da produção foram a maior eficiência operacional das plataformas instaladas no Campo de Búzios, o crescimento da produção da P-70, localizada no Campo de Atapu e a redução das perdas por indisponibilidade de linhas submarinas, com o desenvolvimento de novas tecnologias. A empresa ainda citou "normalização da produção das plataformas que haviam sido paradas em função da Covid-19 no segundo trimestre".

No refino, a petroleira destacou que "a retomada da demanda no mercado doméstico resultou em recuperação das vendas e da produção de derivados".

Com a força do pré-sal, a empresa revisou para cima sua meta de produção no ano. "Estimamos que a produção média em 2020 chegue em 2,84 milhões de boed, sendo 2,28 milhões de bpd de óleo, com variação de 1,5% para cima ou para baixo, superando o limite superior (2,5%) das metas originalmente divulgadas para o ano (2,7 milhões de boed e 2,2 milhões de bpd)", afirmou.

Vale ressaltar que o crescimento da produção acima do esperado não resultou em estoques excessivos, "o que seria possível face à expressiva redução da demanda global por petróleo", disse a Petrobras.

XP

A XP viu com bons olhos os números, principalmente o aumento de produção de petróleo no pré-sal e a maior taxa de utilização do parque de refino, “embora eles tenham vindo em linha com as estimativas que embasaram nossa prévia de resultados do 3T20”, completa.

Para o terceiro trimestre, a XP espera resultados significativamente melhores do que no 2T20, devido à elevação na produção de petróleo, à maior taxa de utilização do parque de refino e aos maiores preços médios do Brent. Sobre o guidance de produção para 2020, a corretora diz estar em linha com suas estimativas, de 2,90 mboed de produção total e 2,34 mbpd de produção de petróleo.

A XP mantém recomendação de Compra para as ações, com preço-alvo de R$ 30 para PETR4 e R$ 29 para PETR3 (SA:PETR3).

Safra

Para o terceiro trimestre, o Safra estima Ebitda ajustado de R$ 27,4 bilhões, baixa de 15% em relação ao 2º trimestre; lucro líquido de R$ 1,2 bilhão; Ebitda de R$ 27,1 bilhões para o segmento de E&P e Ebitda de R$ 3,7 bilhões para o segmento de Refino. A projeção anual do Safra também está em linha com o novo guidance da Petrobras.

O banco manteve sua recomendação de Compra e elevou os preços-alvo para as ações da companhia, de R$ 27,20 para R$ 29,70 em PETR3 e de R$ 26,10 para R$ 28,50 para PETR4. A avaliação se deve ao fato de o banco acreditar “que o foco contínuo nas operações nos campos de pré-sal, que continuam a apresentar bom desempenho, deve ser benéfico para os resultados e a avaliação.”

Outros pontos positivos apresentados pelo bancos são a sólida geração de fluxo de caixa e o plano estratégico, que sinaliza concentração de esforços nos principais direcionadores de valor.

No entanto, o Safra apresenta também alguns riscos para a performance da empresa, como a persistência dos preços do petróleo na casa dos US$ 40, a ingerência política e outra greve de caminhoneiros.

BTG Pactual

O BTG espera que a Petrobras continue a se beneficiar dos preços crescentes do petróleo do real ainda desvalorizado. Além disso, defende que o crescimento da produção e a contínua melhora do mix devem contribuir para a alavancagem operacional e as margens.

As estimativas do banco para o 3T20 são de receita líquida de R$ 74,9 bilhões, Ebitda ajustado de R$ 37,7 bilhões e lucro líquido de R$ 1,5 bilhão.

O BTG mantém recomendação de Compra, com preço-alvo de US$ 12.

UBS-BB

O UBS mantém sua visão positiva sobre a Petrobras devido ao foco no negócio principal, ao aumento na lucratividade e na diminuição da potencial interferência de seu acionista controlador. Além disso, o banco destaca o processo de desinvestimento e a rápida desalavancagem.

A expectativa do banco é que a produção de petróleo da companhia no Brasil cresça em 3% em 2020 e 2% em 2021, para 2,23 mbd e 2,27 mbd, respectivamente.

O UBS recomenda Compra, com preço-alvo de R$ 27 para PETR4.

Goldman Sachs

O Goldman Sachs aponta que os resultados divulgados sinalizam que o guidance de 2020 é possível, e continua a ver uma assimetria positiva de médio e longo prezo nos atuais níveis de preço da Petrobras.

O novo guidance está em linha com a estimativa do Goldman de 2,27 MMbpd em 2020

Os principais riscos para os resultados levantados pelo banco são preços de petróleo muito baixos, riscos de câmbio, produção menor do que a esperada e intervenção do governo na precificação.

O banco mantém recomendação de Compra, com preço-alvo de R$ 38,30 para PETR4 e R$ 42,20 para PETR3

Com colaboração da Reuters

Veja os fatores que influenciam os mercados hoje

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: