sábado, 27 de novembro de 2021
crédito imobiliário

Pedidos de troca de banco em crédito imobiliário crescem 96% em 2018, estima empresa

09 abril 2019 - 09h35Por Angelo Pavini
As movimentações de portabilidade imobiliária, nas quais o devedor pede para trocar o banco que fez seu empréstimo por um novo em melhores condições, alcançaram em 2018 mais de R$ 5,06 bilhões, um crescimento médio de 8,6% ao mês e total de 146% no ano em volumes contratados, na comparação com 2017. No total, foram fechados 17.158 contratos de portabilidade no ano passado, com um crescimento médio de 6,3% ao mês e total de 96% ao ano. O levantamento foi feito pela plataforma digital especializada em crédito imobiliário Melhortaxa com dados do Banco Central (BC) e da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). Com esse resultado, a portabilidade já representa cerca de 10% do mercado de crédito imobiliário, que movimentou, em 2018, R$ 57,39 bilhões em financiamentos de 176.136 imóveis. Os números expressivos refletem uma mudança importante no comportamento dos consumidores e também dos bancos. Segundo Paulo Chebat, diretor-geral da Melhortaxa, duas tendências foram identificadas no estudo: mais brasileiros passaram a conhecer a modalidade e a buscar ofertas com juros menores, e os bancos finalmente estabeleceram remunerações a parceiros estratégicos para a captação de operações de portabilidade imobiliária.

Portabilidade ganhou espaço com queda dos juros

As sucessivas quedas na taxa Selic, apesar do limitado repasse para as taxas do crédito imobiliário, foram um dos fatores determinantes para essa expansão, segundo o estudo. Com esse cenário, houve maior procura por informações sobre portabilidade. Acompanhando esse fluxo maior de interessados, os bancos também passaram a incentivar a captação de operações de portabilidade imobiliária, remunerando parceiros estratégicos que atraíssem devedores interessados na mudança, caso da própria Melhortaxa, afirma Ralph Silva, gestor de canais da empresa. Segundo ele, a empresa terminou o ano com cerca de 20 a 25 pedidos de portabilidade por dia Quer comprar fundos imobiliários com taxa zero de corretagem? Abra uma conta na XP Investimentos! Online! Grátis! Rápido! Os dados também refletem uma mudança no comportamento do consumidor, afirma a empresa. Desde 2006, o Conselho Monetário Nacional regulamentou e autorizou a portabilidade de crédito, que possibilita a transferência de operações de crédito (empréstimos e financiamentos) de uma instituição financeira para outra que ofereça melhores condições, beneficiando quem já tem um imóvel financiado com taxas mais altas. Segundo a Melhortaxa, uma parcela de R$ 3.500,00, em um empréstimo com saldo devedor de R$ 300.000,00 e 340 meses para pagar pode ser reduzida para cerca de R$ 3.238,00. Pode parecer uma pequena soma mensal, mas representa uma economia de mais de R$ 50.000,00 reais no contrato. “As pessoas estão descobrindo que podem portar seu crédito imobiliário feito em períodos de taxas mais altas”, diz Paulo Chebat.

Como fazer a portabilidade

Após a escolha do novo banco, o pedido de portabilidade deve ser realizado de forma eletrônica, por meio de um sistema de registro de ativos autorizado pelo Banco Central (BC) e pela instituição financeira credora original. Ela possui até 5 dias para renegociar e oferecer condições mais vantajosas, ou enviar as informações. Primeiramente, o cliente deve solicitar ao seu banco atual informações sobre a sua dívida (saldo devedor, número de parcelas a vencer, taxa de juros, entre outros). Com esses dados em mãos, é possível negociar as condições da nova operação com uma instituição financeira interessada. É importante observar o novo CET (Custo Efetivo Total) do financiamento para avaliar se a migração seria vantajosa. Para pessoas físicas, há uma restrição: o valor e o prazo da nova operação não podem ser superiores ao valor do saldo devedor e ao prazo remanescente da operação original a ser liquidada. Ao optar pela portabilidade, é importante observar outros custos adicionais, como o de avaliação (mesmo custo de um processo novo). Em geral, trata-se de um preço fixo, em torno de R$ 2.800,00 a R$ 3.300,00. Além disso, existe o custo da transferência de alienação junto ao cartório de registro de imóveis, em torno de R$ 700,00. Normalmente, em um financiamento novo, o cliente consegue incluir essas despesas no valor financiado – o que não é possível no caso da portabilidade, explica a Melhortaxa. . O post Pedidos de troca de banco em crédito imobiliário crescem 96% em 2018, estima empresa apareceu primeiro em Arena do Pavini.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content