quinta, 09 de dezembro de 2021
Pará

Operadoras locais podem comprar ativos fatiados da Oi em 2020, diz Estadão

25 setembro 2019 - 10h10Por Investing.com
Investing.com - Cada dia que passa, a saída mais provável para a Oi superar a recuperação judicial parece ser mesmo a venda fatiada de suas operações de telefonia móvel, fixa e infraestrutura para três companhias que já atuam no país. As informações constam na edição desta quarta-feira da Coluna do Broad, do Estadão. A publicação informa que o modelo já teria apoio dentro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a expectativa é que esse desdobramento aconteça no ano que vem, quando a companhia deve estar sem caixa caso não consiga a venda de outros ativos ou levantar recursos por empréstimos. Os acionistas, que em muitos casos são ex-credores que tiveram as dívidas convertidas em ações, dão sinais de que não devem mais injetar capital na Oi. Desta forma, a coluna informa que para a TIM, Vivo e Claro a venda fatiada seria uma boa opção, uma vez que apenas teriam que esperar que esses ativos “caiam no colo”. O jornal destaca que a Telefônica (Vivo) e a Telecom Itália (TIM) já mostraram interesse na compra da operação de telefonia móvel da Oi. Além disso, existem conversas em andamento com a americana AT&T e com a China Telecom. Um ponto positivo, informa a publicação, é a recente mudança no marco regulatório do setor, que ainda espera pela sanção presidencial, e ajudou a atrair interessadas na Oi. Até mesmo as operações de telefonia fixa, considerado obsoleto, tem potencial de atrair investidores.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content