Menu
Busca sábado, 16 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Renda fixa

O papel da renda fixa no cenário de instabilidade e juros baixos

09 julho 2020 - 13h24Por Francis Wagner

O cenário atual é marcado por incertezas políticas e econômicas. Soma-se a isso o surgimento da Covid-19, principal responsável por diminuir as projeções de crescimento de muitos economistas. Tal fato impacta diretamente os investidores. Isso porque o governo precisa realizar medidas que estimulem o consumo. Entre tantos pacotes de liquidez, para dar maior dinamismo à economia e principalmente fomentar o consumo, uma das ações realizadas com o mesmo objetivo foi a redução da taxa Selic. Essa taxa está no menor patamar histórico, trazendo à tona uma nova realidade para os investidores de renda fixa que desejam diversificar seus investimentos. No entanto, quando se tem por objetivo liquidez imediata nada mudou. Tendo em vista que o investidor pode precisar do valor a qualquer momento, como por exemplo em uma emergência, é necessário que o dinheiro esteja disponível rapidamente em uma instituição sólida. Pensando nisso, a renda fixa tem o importante papel de trazer segurança ao investidor. Por outro lado, nessa nova realidade é comum encontrar investidores preocupados com a tomada de decisão em como distribuir os investimentos nas diversas categorias de ativos. Por isso, acompanhar a economia é crucial para entender o cenário como um todo e tomar melhores decisões. Entretanto, Este acompanhamento deve ser feito de maneira natural e sem neuroses. É altamente desaconselhável realocação dos ativos, alterando o portfólio, a cada divulgação econômica. E, pior, a cada saída de ministros na política e projeções econômicas feitas por analistas. Acima de tudo, é importante focar no longo prazo e na constância nos aportes. Para diversificação, existem muitos ativos em renda fixa que se destacam como oportunidade em meio ao caos econômico. Uma delas é o CCB (Cédula de Crédito Bancário), que na prática é um documento garantindo o valor investido, na data acordada, assim como os juros da aplicação. Em segundo lugar, alguns CCBs estão com taxas de 200% CDI, sendo uma boa opção para investidores que procuram diversificação em renda fixa. Além disso, vale lembrar que os investidores, a partir de agora, precisarão correr mais riscos nos investimentos para obter taxas mais atrativas. Uma dica é começar a pesquisar ativos em renda fixa que não possuem FGC (Fundo Garantidor de Créditos), mas que beneficie o investidor com outras garantias. Dessa forma, será possível ter perspectivas de retornos maiores que o CDI e que a inflação. Dado que estamos em um momento de crise, a renda variável está com mais oscilações quando comparado a um cenário de estabilidade econômica. Com a volatilidade do mercado em alta, essa pode não ser uma boa opção para investidores inexperientes. A bolsa de valores, em teoria, deveria ser a grande beneficiada com as quedas na taxa Selic. Entretanto, a instabilidade criada pela Covid-19 trouxe, como resultado para as empresas um trade de maior risco. Com perspectivas de um novo corte na taxa Selic também é interessante para o médio prazo os investimentos pré-fixados. Assim, o investidor garante rentabilidade real acima da inflação neste cenário. Dessa forma, ainda há grandes oportunidades dentro da renda fixa, com retornos tão agressivos quanto nas ações de algumas empresas. O que o investidor terá que se habituar é garimpar os ativos e focar em conhecimento para treinar o olhar quando estas chances aparecerem. O conhecimento lhe dará discernimento para ponderar sobre as notícias e fará com que a queda na taxa de juros não seja o fator determinante para se desesperar, pois ainda há bons ativos em renda fixa. Bons investimentos e até a próxima!!

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: