Menu
Busca sexta, 17 de setembro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile

Após prejuízo de R$ 110 milhões em fevereiro, ação da IRB sobe na B3

25 maio 2020 - 12h19Por Investing.com
Por Gabriel Codas Investing.com - Após iniciar a sessão com queda de mais de 2% na B3, as ações do IRB ganharam força e passaram a subir quase 3%, porém abaixo dos ganhos do Ibovespa hoje. A Superintendência de Seguros Privados (Susep) divulgou o resultado líquido da resseguradora em fevereiro, prejuízo de R$ 110,6 milhões, com as despesas financeiras disparando para R$ 627,8 milhões no período. Por volta das 11h08, os papéis subiam 2,93% a R$ 7,38. O Ibovespa tinha alta de 3,48% a 85.036 pontos. No mês de fevereiro, o IRB teve insuficiência de provisões técnicas e levou à atuação do regulador. A diferença entre as necessidades de provisões, de R$ 9,8 bilhões, e os ativos elegíveis, de R$ 9,5 bilhões era de R$ 300 milhões.

Solvência

Na última semana, a companhia realizou uma reunião com clientes para esclarecer que, apesar da fiscalização da Susesp, não apresenta problemas de solvência e que irá cumprir seus contratos. As informações são da edição desta segunda-feira do Valor Econômico. O jornal explica que a relação entre os ativos que a empresa detém e as provisões deve ser superior a 100% e, naquele momento, era de 98%. Com o passar dos meses, esse percentual se deteriorou, com a companhia explicando que a desvalorização do real prejudicou essa diferença entre março e abril. O ressegurador argumenta que tem condições de suprir o problema transformando os ativos que hoje são considerados inelegíveis em elegíveis. Uma forma de fazer isso seria a venda da participação imobiliária e transformação dos recursos em aplicação financeira. No entanto, uma dúvida que segue no mercado é se a questão não poderia ter sido resolvida em fevereiro. Para tranquilizar os clientes sobre a situação da empresa, o IRB ressaltou que o seu índice de solvência estava em 235% em fevereiro, sendo o desejável é maior que 100%. Mudanças na diretoria O Valor informou no final de semana que a companhia demitiu na sexta-feira o contador Paulo Daniel Araújo da Rocha, diretor de controladoria da resseguradora, por justa causa sob a alegação de “fraude em contratos”. A publicação destaca que Rocha estava no IRB desde 2012, tendo entrado como gerente de controladoria, contabilidade e tributos e, em maio de 2017, ano do IPO do IRB, foi promovido a diretor. De acordo com fontes, Rocha já estava afastado da empresa há mais de um mês e internamente a justificativa seria a suspeita de covid 19. Compra de carteiras Na sexta-feira, a Reuters informou que o IRB Brasil (SA:IRBR3) está em negociações avançadas para comprar carteiras de resseguros no Brasil e na América Latina, à medida que rivais estrangeiras reduzem operações na região. Com a crise econômica deflagrada pela Covid-19, algumas resseguradoras globais têm mostrado interesse em sair total ou parcialmente da América Latina para se concentrar nas regiões de suas matrizes, Estados Unidos e Europa, abrindo espaço para consolidação, disseram as fontes, sem revelar nomes das empresas. "A crise está acelerando movimentos no setor", disse uma das fontes. "E o IRB está negociando a compra de carteiras e fazendo alianças com mais seguradoras", acrescentou a outra fonte, ambas pedindo anonimato, porque o assunto não é público.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: