Menu
Busca quarta, 20 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
consumo

Inflação pesa mais no bolso do idoso: 4% em 12 meses

11 julho 2019 - 18h13Por Angelo Pavini
O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos, registrou no segundo trimestre de 2019 variação de 0,97%, informou hoje a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em 12 meses, o IPC-3i acumula alta de 4,00%, puxado pelo custo dos remédios. Com este resultado, a variação do indicador ficou acima da taxa acumulada pelo IPC-BR, que acompanha a inflação para famílias que ganham até 30 salários mínimos e que foi de 0,83% no segundo trimestre e de 3,73% em 12 meses.O IPC-BR é um dos componentes do IGP-DI, que tem também os preços no atacado (IPA) e na construção civil (INCC). O IPC-3i também ficou acima do acumulado em 12 meses pelo IPCA do IBGE, usado pelo Banco Central (BC), e que subiu 3,37%.

Plano de saúde, tomate e remédio para pressão em alta

Os itens que mais puxaram o custo de vida dos idosos no segundo trimestre foram Plano e Seguro Saúde, com 1,94% de alta (impacto de 0,19 ponto percentual no índice), Gasolina, com 2,02% (0,07 ponto de impacto), Tomate, 18,38% (0,07 ponto no índice geral) Remédio para Pressão, 2,46% (0,06 ponto) e Condomínio, 0,92% de aumento (impacto de 0,05 ponto).

Mexerica, álcool, laranja e alface em queda

O que aliviou o bolso dos idosos foi a mexerica, com queda de 35,36% (-0,07 ponto percentual de impacto no índice geral), a laranja pera, -17,28% (-0,05 ponto), a alface, -10,74% (-0,03 ponto), o álcool combustível, -6,40% (-0,03 ponto) e a maçã, -7,32% (-0,03 ponto no índice geral).

Alívio em relação ao 1º trimestre

Na passagem do primeiro trimestre de 2019 para o segundo trimestre de 2019, a taxa do IPC-3i registrou decréscimo de 0,52 ponto percentual, passando de 1,49% para 0,97%. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Alimentação, cuja taxa passou de 3,49% para 0,02%. O item que mais influenciou o comportamento desta classe de despesa foi frutas, que variou de -7,94 no Segundo Trimestre, ante 8,34%, no anterior. Contribuíram também para o decréscimo da taxa do IPC-3i os grupos: Habitação (1,46% para 0,79%), Comunicação (0,17% para 0,13%) e Despesas Diversas (0,69% para 0,68%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: tarifa de eletricidade residencial (3,09% para 0,18%), pacotes de tele¬fonia fixa e internet (1,97% para 0,29%) e cartório (3,62% para -0,09%). Em contrapartida, os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (1,28% para 2,05%), Transportes (0,14% para 0,77%), Vestuário (-0,32% para 2,09%) e Educação, Leitura e Recreação (1,09% para 1,90%) apresentaram avanço em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: medicamentos em geral (0,42% para 3,11%), gasolina (-1,32% para 2,02%), roupas (-0,18% para 2,29%) e passagem aérea (-11,18% para 12,77%). A próxima divulgação do IPC-3i, referente ao 3° trimestre de 2019 acontecerá no dia 11/10/2019. O post Inflação pesa mais no bolso do idoso: 4% em 12 meses; plano de saúde puxa e mexerica alivia o custo de vida da terceira idade apareceu primeiro em Arena do Pavini.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: