sexta, 03 de dezembro de 2021
Renner

Distribuição dos lucros da Renner não deve tornar a empresa mais atrativa

17 janeiro 2020 - 11h20Por Eduardo Guimaraes

Lojas Renner (LREN3) – Mudança na distribuição de lucros

O conselho de administração da Lojas Renner (LREN3) aprovou em reunião na quinta-feira (16) a distribuição de 50 por cento dos lucros líquidos do exercício de 2019. Para que a política seja implementada ainda precisara ainda passar pelo crivo dos acionistas em Assembleia Geral Ordinária que será realizada no dia 16 de abril de 2020.

Queda de braço entre siderúrgicas e montadoras de veículos (USIM5, CSNA3).

As siderúrgicas querem repassar aumento para montadoras. As empresas Usiminas (USIM5), Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) e ArcelorMittal vem travando disputas para tentar repassar o aumento no preço do aço praticado no mercado internacional bem como do câmbio nos contratos de fornecimento do produto para as montadoras. Atualmente há um entrave entre as fornecedoras de aço com as montadoras de veículos, que pretendem ampliar a produção em solo brasileiro com a crise na Argentina.

BR Distribuidora (BRDT3): desinvestimento da Stratura

A BR Distribuidora (BRDT3) assinou acordo de exclusividade por 90 dias com a Bitumina, empresa com sede em Dubai, para a venda de 100 por cento das ações que detém na Stratura Asfaltos, que atua na fabricação e distribuição de produtos para pavimentação.

E Eu Com Isso?

Lojas Renner (LREN3)

A companhia teve como política a distribuição de 40 por cento do lucro dos últimos exercícios. A mudança deve afetar pouco o retorno em dividendos da companhia e não deve transformar a Renner (LREN3) em uma empresa mais atrativa por isso.

Usiminas (USIM5)

A Usiminas (USIM5) tem forte exposição ao setor automotivo com 38 por cento de suas vendas indo para o setor automotivo. No pregão de ontem, as ações da Usiminas e da CSN subiram 2,9 e 0,89 por cento, respectivamente.

BR Distribuidora (BRDT3)

Vemos o desinvestimento da BR Distribuidora (BRDT3) na Stratura Asfaltos como positivo, dado que confirma sua estratégia de desinvestimento em ativos não diretamente correlacionados com o negócio principal, que é a distribuição e comercialização de produtos derivados do petróleo. É importante salientar que a Petrobras (PETR3 e PETR4) detém 37,5 por cento do capital da BR Distribuidora (cerca de 12,1 bilhões de reais) e, assim como sua controlada, tem demonstrado interesse em focar na sua atividade principal, que é a extração e produção de petróleo. A Petrobrás, por sua vez, planeja vender as ações que detém na distribuidora via oferta follow-on, que está prevista para ocorrer em fevereiro, bem como a venda de suas refinarias.
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content