Menu
Busca segunda, 18 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
Futuro do ibovespa

Futuro do Ibovespa se descola do exterior e abre em alta; dólar recua

24 setembro 2020 - 09h36Por Investing.com

Por Gabriel Codas - Investing.com - O índice futuro do Ibovespa inicia a sessão desta quinta-feira com alta de 0,38% aos 95.900 pontos às 09h20, com o dólar perdendo 0,43% a R$ 5,5705.

Os mercados sinalizam um dia sem rumo definido para a parte da manhã, como reflexo da fala de diversos membros do Federal Reserve, que deram sinais de que, na ausência de mais estímulos fiscais, haverá dificuldades na retomada econômica na maior economia do mundo.

Os investidores seguem com menor apetite ao risco, devido a temores em relação à reabertura dos esteira da disparada nos casos de Covid-19. Nos Estados Unidos, as chances de outro pacote de ajuda do Congresso que suavize o impacto da nova onda de infecções perdem força, à espera da eleição presidencial no país.

No Brasil, o foco é o Relatório Trimestral de Inflação e a entrevista coletiva do presidente do Banco Central Roberto Campos Neto e do diretor de política econômica da instituição Fabio Kanczuk às 11h00. Também segue no radar as propostas de reforma tributária, agora com o governo propondo novamente um novo formato da CPMF ante troca por desoneração da folha de pagamentos.

- Cenário Interno

Relatório Trimestral de Inflação

O Banco Central melhorou sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 a uma retração de 5,0%, sobre queda de 6,4% calculada em junho, conforme Relatório Trimestral de Inflação publicado nesta quinta-feira.

Ainda assim, a expectativa é um pouco pior que a estimativa oficial do Ministério da Economia, de um recuo de 4,7% para a atividade neste ano.

Para o ano que vem, o BC projetou uma alta de 3,9% para o PIB, mais otimista que o crescimento de 3,2% visto pelo Ministério da Economia.

Na semana passada, o BC manteve a Selic em sua mínima histórica de 2% ao ano após nove cortes consecutivos. Desde então, a autoridade monetária vem reforçando em suas comunicações que o espaço para reduzir ainda mais os juros, se existente, deve ser pequeno -- o que repetiu no relatório.

Confiança do Comércio

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas avança 3,0 pontos em setembro, passando de 96,6 para 99,6 pontos, registrando a quinta alta consecutiva. Em médias móveis trimestrais, o indicador apresenta crescimento de 5,1 pontos.

“Em setembro, a confiança do comércio manteve a trajetória positiva iniciada em maio, alcançando o nível pré-pandemia. A alta, assim como no mês anterior, foi influenciada pela melhora da percepção com o momento presente e pelo aumento gradual das expectativas em relação aos próximos meses. Essa combinação sugere uma percepção mais favorável do setor sobre a recuperação do volume de vendas no mês, mas projetando ainda de forma cautelosa os próximos meses, potencialmente influenciados pela proximidade do fim dos programas de auxílio, lenta recuperação da confiança dos consumidores e cenário desafiador do mercado de trabalho. “, avalia Rodolpho Tobler, Coordenador da Sondagem do Comércio da FGV IBRE. 

Nova CPMF

A criação de um novo imposto semelhante à extinta CPMF, ideia que o Executivo tenta viabilizar, ainda encontra resistência e dificuldades entre parlamentares, mesmo diante da posição mais confortável do governo no Congresso com sua recém formada base de apoio após a aproximação com o chamado centrão.

A vontade é antiga, dentro da equipe econômica, e ressurgiu recentemente com o debate sobre as desonerações da folha de pagamento de 17 setores que podem ser prorrogadas no próximo ano, caso o Congresso derrube veto presidencial que as encerra neste ano.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira que o estímulo à geração de empregos demandará uma “substituição tributária”, mas a ideia para bancar a desoneração da folha das empresas segue sendo a criação de um novo --e amplo-- imposto sobre transações.

Segundo uma fonte que preferiu não ser identificada, a ideia já contaria com o aval do presidente Jair Bolsonaro.

Covid-19

O Brasil registrou nesta quarta-feira 869 novos óbitos em decorrência da Covid-19, o que eleva o total de mortes pela doença no país a 138.977, segundo dados do Ministério da Saúde.

Também foram notificados 33.281 novos casos da doença provocada pelo coronavírus, com o total de infecções confirmadas no país atingindo 4.624.885.

O Brasil é o segundo país com maior número de mortes por Covid-19 no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, e o terceiro em número de casos, abaixo dos EUA e da Índia.

Embora na última semana epidemiológica o país tenha registrado aumentos nos números de casos e óbitos em relação à semana anterior, autoridades do ministério disseram nesta quarta-feira que os números do Brasil seguem com tendência de queda, defendendo que os dados das duas últimas semanas epidemiológicas sejam analisados conjuntamente.

- Cenário Externo

Zona do euro

O desemprego continuará a aumentar na zona do euro e há pouco espaço de alta na demanda por bens de consumo mesmo que a economia se recupere da recessão sem precedentes, disse o Banco Central Europeu em boletim econômico nesta quinta-feira.

O desemprego vai aumentar já que a taxa atual não captura totalmente o impacto da pandemia de coronavírus e os dados são impactados por esquemas de subsídio ao emprego, disse o BCE em um boletim que reflete amplamente as projeções econômicas e decisões de política monetária do BCE de 10 de setembro.

“Olhando à frente, há poucos sinais de dinamismo na demanda por bens de consumo”, disse o BCE. “Embora a queda na renda das famílias tenha sido limitada, a taxa de poupança deve ter subido com força.”

O banco também repetiu sua antiga postura de que está pronto para ajustar todos os seus instrumentos conforme necessário para elevar a inflação.

Japão

Alguns membros do banco central do Japão alertaram que o ressurgimento da pandemia de coronavírus pode atrasar a recuperação econômica e desestabilizar seu sistema bancário ao pressionar mais empresas, mostrou nesta quinta-feira a ata da reunião de política monetária de julho.

Embora eles tenham concordado sobre a necessidade de aumentar o estímulo se necessário, as autoridades do Banco do Japão disseram que o impacto da pandemia para os lucros das instituições financeiras pode destruir a capacidade delas de aumentar o empréstimo, mostrou a ata.

“Os números de infecções estão aumentando a um ritmo mais rápido globalmente, portanto precisamos ficar alertas à possibilidade de um ressurgimento inclusive no Japão”, disseram alguns membros.

“Se os números de infecção aumentarem de novo, o cronograma para a recuperação econômica sofrerá atrasos”, disse um deles. Os dados da pandemia, se prolongados, podem levar a perdas de empregos, afetar a renda das famílias e enfraquecer o consumo, disse outro.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 1,11%, a 23.087 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,82%, a 23.311 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,72%, a 3.223 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,92%, a 4.563 pontos.

Os mercados europeus têm um dia sem definição de rumo. Em Frankfurt, o DAX avança 0,04% aos 12.648 pontos, com o FTSE, de Londres, recuando 0,29% aos 5.881 pontos. Já em Paris, o CAC cede 0,06% aos 4.799 pontos.

Em Nova York, o contrato futuro do Dow caía 0,26% e o contrato futuro do S&P 500 recuava 0,36%, enquanto os futuros do Nasdaq, que tiveram um desempenho inferior acentuado na quarta-feira, caíam mais 0,66%.

COMMODITIES

A jornada desta quinta-feira foi marcada por um movimento positivo para os preços dos contratos futuros do minério de ferro, que são negociados na bolsa de mercadorias da cidade de Dalian, na China. O ativo com o maior volume de operações, com data de vencimento para janeiro do próximo calendário, somou 0,33% para 767,00 iuanes por tonelada, o que representa alta de 2,50 iuanes em relação aos 764,50 iuanes de liquidação da véspera.

No mesmo sentido, o fechamento da sessão de negócios teve como principal característica a desvalorização nas cotações dos papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na também chinesa bolsa de mercadorias de Xangai. O contrato com mais liquidez, com entrega para o mês de janeiro de 2021, avançou 21 iuanes para 3.552 iuanes por tonelada, enquanto que o outubro deste, ganhou 10 iuanes para 3.628 iuanes para cada tonelada.

MERCADO CORPORATIVO

- Petrobras (SA:PETR4)

O Supremo Tribunal Federal (STF) deverá começar na próxima quarta-feira, dia 30, a análise em plenário de ação que discute a possibilidade de venda de refinarias pela Petrobras sem aprovação legislativa.

A data foi agendada pelo presidente da corte, Luiz Fux, segundo informação no sistema de acompanhamento processual do STF, após ele ter decidido nesta semana suspender deliberação do caso em sessão virtual na qual ministros teriam até 25 de setembro para apresentar seus votos.

O julgamento teve início após pedido das Mesas-Diretoras da Câmara dos Deputados, do Senado e do Congresso, que argumentaram que a eventual venda das refinarias iria contra uma decisão anterior do Supremo no ano passado, segundo a qual seria necessário aval do Congresso para a venda de ativos de uma empresa-matriz.

- JBS (SA:JBSS3)

O braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDESPar, solicitou à JBS convocação de assembleia geral extraordinária (AGE), com prazo de oito dias contados a partir de 21 de setembro, para deliberar sobre acordo de leniência do frigorífico com o poder público e de delação premiada envolvendo controladores e executivos da companhia: Wesley Batista, Joesley Mendonça Batista, Ricardo Saud, Francisco de Assis e Silva, Valdir Aparecido Boni, Florisvaldo Caetano de Oliveira e Demilton Antonio de Castro.

O BNDESPar, que atualmente possui 21,32% de participação na JBS, ressalta que independentemente do acordo celebrado pelos controladores com o Ministério Público Federal (MPF) e de sua validade, "os ilícitos confessados nos Acordos de Delação Premiada têm repercussões financeiras e negociais relevantes para a Companhia". Desta maneira, "solicitamos que seja convocada AGE para que os acionistas tenham oportunidade de discutir e decidir sobre medidas cabíveis em defesa dos direitos e interesses da companhia à luz dos desdobramentos de tais fatos".

- Localiza (SA:RENT3) e Unidas

s empresas de locação de veículos Localiza e Unidas anunciaram na quarta-feira, 23, um acordo de fusão que pode dar origem à maior companhia do segmento no mundo, com valor de mercado de cerca de R$ 50 bilhões, segundo cálculos da Economática. O negócio, no entanto, precisa passar pela aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o maior desafio apontado por analistas para a operação, além de receber o sinal verde dos acionistas dos dois lados.

Com o anúncio, as ações ordinárias (com direito a voto) da Localiza registraram a maior alta do Ibovespa (13,97%). O papéis da Unidas, que não fazem parte do índice da B3 (SA:B3SA3), se valorizaram ainda mais: 17,27%.

"Com a combinação dos negócios complementares das partes, prevemos a criação de uma companhia referência mundial em mobilidade a partir da oferta de aluguel de veículos, gestão de frotas corporativas e carros por assinatura", disse o presidente da Localiza, Eugênio Mattar, em entrevista ao Estadão/Broadcast.

Questionado sobre o futuro das marcas, Mattar afirmou que ainda não há uma decisão. "Entendemos que ambas são individualmente fortes e reconhecidas por clientes. As companhias permanecerão independentes até a obtenção das aprovações necessárias para a operação. Com isso, serão definidas as estratégias para cada linha de negócio", explicou.

- CVC (SA:CVCB3)

A CVC informou em fato relevante divulgado na quarta-feira, 23, que tem implementando com sucesso os planos para preservação de caixa e redução de custos, estando preparada para a retomada integral de suas operações, com 1.200 lojas abertas e equipes trabalhando remotamente. Resultado de tais iniciativas, em 22 de setembro, o saldo de caixa e equivalentes de caixa da empresa totalizava aproximadamente R$ 1,526 bilhão.

No segundo trimestre, os gastos recorrentes (folha de pagamento, impostos e investimentos de projetos prioritários e juros da dívida) da empresa somaram cerca de R$ 52 milhões por mês (informações não auditadas).

A empresa ressalta, ainda, que a maior parcela de seu endividamento tem vencimento de médio e longo prazos. De um endividamento total na ordem de R$ 2 bilhões, apenas R$ 600 milhões vencem em novembro de 2020 e a operadora de viagens está avaliando alternativas de captação e/ou rolagem com os investidores e credores.

- Centauro

O Grupo SBF (SA:CNTO3), controlador da Centauro, varejista especializada no comércio de itens esportivos, informa que não protocolou qualquer pedido de registro de oferta de ações, tampouco está realizando ou projetando a realização de qualquer operação desta natureza, seja da companhia ou de qualquer controlada. Em comunicado ao mercado, a empresa esclarece que a SBF Comércio de Produtos Esportivos, controlada da companhia, realizou pedido de registro de companhia aberta na categoria B na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O pedido, acrescenta a empresa, foi realizado em linha com obrigações contratuais assumidas no âmbito da primeira emissão de debêntures simples da SBF Comércio de Produtos Esportivos.

Segundo o Grupo SBF, de acordo com a regulamentação aplicável, "emissores registrados como companhia aberta na categoria B da CVM não estão autorizados a negociar ações em bolsa e, portanto, não estão elegíveis a realizar uma oferta pública de ações".

- Neoenergia (SA:NEOE3)

A Neoenergia, dona de quatro de distribuidoras de energia no Brasil, não se mostrou satisfeita com a proposta apresentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para definir os mecanismos de análise de pedidos e reequilíbrio econômico-financeiro decorrentes de impactos da pandemia do novo coronavírus no segmento de distribuição.

"Não posso esconder a minha surpresa com a proposta que foi apresentada pela Aneel, mas entendemos que temos que trabalhar com o órgão regulador e o Ministério (de Minas e Energia) para conseguir trazer a situação para um certo grau de estabilidade", afirmou o presidente do grupo, Mario José Ruiz-Tagle Larrain, em evento sobre as fontes renováveis de energia.

- Mills

Em Fato Relevante divulgado na tarde desta quarta-feira, 23, a Mills Estruturas e Serviços de Engenharia informa que a sede da empresa foi alvo de um mandado de busca e apreensão nesta manhã, proferido pela Justiça de Minas Gerais, em investigação sobre irregularidades na construção da Cidade Administrativa, complexo situado na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), entre 2007 e 2010.

"A companhia informa que disponibilizou todas as informações solicitadas pelas autoridades e que, ainda sem ter conhecimento dos autos do processo, continua à disposição para prestar qualquer informação adicional que se faça necessária para a devida apuração dos fatos", diz a empresa, reiterando o compromisso com a ética, integridade e transparência.

AGENDA DE AUTORDIADES

- Jair Bolsonaro

O presidente da República viaja nesta quinta-feira de Resende (RJ) para o Rio de Janeiro, onde participa da cerimônia alusiva à inauguração de estruturas e entregas de equipamentos à Superintendência da Polícia Rodoviária Federal no Rio de Janeiro

- Paulo Guedes

- Reunião com o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues;

- Reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN) – Eletrônica;

- Reunião com o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Roberto Fendt;

- Reunião com secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: