terça, 30 de novembro de 2021
fundos de investimento

O que são fundos de investimentos? Confira suas vantagens

29 outubro 2019 - 11h00Por Redação SpaceMoney

Os fundos de investimento são uma das aplicações financeiras mais versáteis que existem e dão muitas opções ao investidor. Isso porque eles são, na verdade, uma forma de fazer um investimento coletivo. É como se fosse um condomínio, em que cada um contribui com um pouco, formando um montante maior e, com isso, possibilitando o acesso a investimentos mais variados e possivelmente mais rentáveis. A forma como esses recursos serão aplicados fica a cargo do gestor do fundo, um profissional especializado e remunerado para isso. Existem fundos de investimento de vários tipos e que fazem as mais variadas aplicações, desde a tradicional e conservadora renda fixa até ações, moedas internacionais e ativos no exterior. Neste artigo, vamos explicar melhor como funcionam os fundos de investimento e quais são as vantagens que eles proporcionam para o investidor. Acompanhe!

O que são fundos de investimento?

Como adiantamos na introdução, os fundos de investimento são uma espécie de investimento coletivo. Cada investidor compra uma ou mais cotas do fundo e, juntando os recursos de todos os cotistas, o gestor — que é um profissional especializado nisso — decide em quais ativos aplicar o dinheiro, de acordo com as regras específicas de cada fundo. Vamos ver brevemente quais são os principais tipos de fundo.

Fundos de renda fixa

Aplicam, no mínimo, 80% do seu patrimônio em ativos de renda fixa, tanto pós quanto prefixados. Os 20% restantes podem ser alocados em outros tipos de ativos, de forma que o fundo possa buscar um rendimento um pouco maior e consiga alcançar o desempenho do CDI, por exemplo.

Fundos de ações

Os fundos de investimento em ações aplicam no mínimo 67% do seu patrimônio em ações. Dessa forma, seu rendimento oscila conforme o desempenho dos papéis que ele tem em carteira. Os fundos de ações podem ser passivos, isto é, com ações escolhidas de forma a seguir o desempenho de algum índice, ou ativos, que buscam rendimentos sem acompanhar nenhum índice. Lembre-se de que estamos falando de renda variável, um mercado que tem maior volatilidade (variação). Em julho de 2019, por exemplo, os investidores estrangeiros retiraram R$ 6,5 bilhões da bolsa de valores brasileira, movimento que pode levar à desvalorização de determinadas ações. Os investimentos em empresas têm essa característica mais cíclica. Enquanto os investidores estrangeiros estavam saindo da bolsa, as startups, por outro lado, ganharam a atenção do mercado. Segundo levantamento da Fischer, a média do último aporte em startups brasileiras é de US$ 79,5 milhões.

Fundos imobiliários (FIIs)

Os fundos imobiliários (FIIs) são compostos por ativos do setor imobiliário. Podem ser "fundos de tijolos", ou seja, que têm imóveis mesmo, ou "fundos de papel", que investem em ativos que são ligados ao setor imobiliário, como LCIs e CRIs. Eles têm um funcionamento um pouco diferente. Suas cotas são negociadas em bolsa de valores como se fossem ações e os cotistas recebem um rendimento mensal, como se fosse o aluguel de um imóvel. São indicados para quem quer ter exposição ao mercado imobiliário e receber uma renda mensal.

Fundos multimercado

Como o nome sugere, os fundos multimercado podem aplicar seus recursos em diferentes classes de ativo, com o objetivo de buscar rentabilidade, seja qual for a tendência do momento. Podem investir em renda fixa, renda variável, câmbio, ativos internacionais etc. Por isso, os gestores dos fundos multimercado têm muito mais liberdade de escolha na composição da carteira e também precisam ser muito habilidosos para conseguir extrair o máximo de rentabilidade considerando todas as possibilidades que eles têm em mãos.

Fundos cambiais

São fundos cujo patrimônio está em moedas estrangeiras, como títulos públicos de outros países. São indicados para quem quer lucrar com a variação desses ativos no mercado global, em uma aposta de alto risco.

Fundos referenciados

Os fundos referenciados têm um benchmark como referência para o seu rendimento. Assim, os fundos referenciados DI têm como objetivo seguir a variação do CDI. Por isso, eles investem no mínimo 95% do seu patrimônio em ativos atrelados a esse índice de referência.

Fundos da dívida externa

São fundos que investem pelo menos 80% do seu patrimônio em títulos da dívida externa da União. Assim, seu rendimento depende do desempenho desses ativos no mercado internacional, da taxa de juros que é paga por eles e da variação do câmbio.

Fundos de Investimento em Cotas (FICs)

Os FICs são fundos que compram cotas de outros fundos de investimento, o que permite maior diversificação e, portanto, diluição de riscos. Também exigem muita habilidade do gestor. Seu patrimônio deve ser composto por pelo menos 95% de cotas de fundos de investimento da mesma classe e os 5% restantes podem ser alocados em ativos de renda fixa. Agora que você já conhece os diferentes tipos de fundos de investimento e suas possibilidades, veja as vantagens que eles proporcionam aos investidores.

Quais são as vantagens que os fundos de investimento oferecem?

Os fundos de investimento oferecem uma série de vantagens para os investidores. Confira!

Gestão profissional

Quem compra cotas de fundos de investimento tem o benefício de contar com um gestor profissional, capacitado e focado apenas naquela atividade, buscando as melhores opções e avaliando a relação entre risco e retorno dos investimentos.

Diversificação

Com apenas um investimento você pode ter acesso a diversos mercados e tem, por isso, a diluição dos riscos.

Acesso a investimentos sofisticados

Como o patrimônio dos fundos de investimento é grande, eles conseguem aplicar em opções que não são acessíveis a investidores pequenos, dando a seus cotistas acesso a investimentos que eles não poderiam ter de outra maneira.

Poder de barganha

Não custa reforçar: os fundos de investimento aplicam grandes volumes de dinheiro, o que dá a eles maior poder de barganha para negociar condições melhores, como rendimentos mais elevados nos investimentos realizados.

Comodidade

Essa é uma vantagem que deriva diretamente do fato de contar com uma gestão profissional. Quem compra cotas de fundos de investimento conta com a comodidade de não precisar acompanhar suas aplicações o tempo todo e fazer realocações, uma vez que o gestor recebe justamente para se preocupar com isso. Por fim, vale destacar que é preciso observar quais são os fundos que melhor atendem suas necessidades e que estão alinhados ao perfil do investidor. Observe quais são as taxas praticadas, certificando-se de que elas não sejam altas a ponto de comprometer sua rentabilidade. Verifique também como funciona a tributação do fundo que você escolheu, pois isso varia de acordo com o tipo de fundo. Agora você já sabe o que são fundos de investimento, quais são os principais tipos e as vantagens que eles oferecem ao investidor. Para começar a investir, basta ter uma conta em um banco ou em uma casa de investimento e escolher as melhores opções para os seus objetivos e seu perfil de investidor. Não se esqueça de analisar a qualidade da gestão, o histórico do fundo, as taxas e o nível de risco do fundo. Se você gostou deste conteúdo, aproveite para assinar nossa newsletter e receber mais artigos relevantes diretamente em sua caixa postal! [rock-convert-cta id="52614"]
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content