segunda, 29 de novembro de 2021
Internacional

Fique por dentro das principais notícias dos mercados desta quinta-feira (28)

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros hoje

28 outubro 2021 - 08h25Por Investing.com
Campanha Black Friday 2021 - Warren

Por Peter Nurse e Ana Beatriz Bartolo, da Investing.com - O Banco Central Europeu se reúne no que tem sido uma semana agitada para os banqueiros centrais.

Do outro lado do Atlântico, os democratas estão lutando para chegar a um acordo sobre como financiar seu pesado pacote de gastos, enquanto as corporações procuram cada vez mais o setor verde para arrecadar dinheiro.

Wall Street deve abrir em alta à medida que a temporada de lucros continua, com a Ford (NYSE:F) brilhando, enquanto o mercado de petróleo bruto recua após um grande aumento nos estoques dos EUA.

Aqui está o que você precisa saber sobre os mercados financeiros na quinta-feira, 28 de outubro.

1. Decisão do Copom

O Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu elevar a taxa Selic em 1,5 p.p., para 7,75% ao ano. Essa é a maior alta nos juros feita em uma reunião desde 2002. Como principal justificativa para o aumento, o Comitê apontou as pressões inflacionárias atreladas à crise fiscal.

O Comitê já deixou contratado mais uma alta de 1,5 p.p. para a próxima reunião, entrando em um “território contracionista” nos próximos anos, por causa da trajetória da inflação. Para 2022, o Copom projeta uma inflação de 4,1%, acima da meta de 3,5%, e aponta que as incertezas fiscais podem acelerar a alta nos preços.

“Apesar do desempenho mais positivo das contas públicas, o Comitê avalia que recentes questionamentos em relação ao arcabouço fiscal elevaram o risco de desancoragem das expectativas de inflação”, diz o comunicado oficial do Copom, em uma menção indireta à possibilidade de furo no teto de gastos.

2. Reunião do BCE

Banco Central Europeu se reúne na quinta-feira, no que tem sido uma semana agitada para os banqueiros centrais do mundo, em meio à crescente pressão para agir para combater a alta dos preços.

O banco central da Europa manterá a política inalterada e a presidente Christine Lagarde deve preparar o terreno para a reversão de seu programa de compra de ativos na reunião de dezembro. No entanto, ela deve enfatizar mais uma vez que o BCE não tem pressa em aumentar as taxas de juros, mesmo com a inflação subindo pela taxa mais rápida desde 2008 e com outros países já subindo as taxas ou planejando fazê-lo.

Na quinta-feira anterior, o Banco do Japão manteve suas taxas de juros e planos de compra de ativos inalterados, mas cortou seu crescimento econômico e previsões de inflação. Além disso, o Reserve Bank of Australia optou por não defender sua meta de rendimento de títulos, aumentando as expectativas para sua reunião de política de novembro na terça-feira.

Banco do Canadá manteve sua principal taxa de juros overnight em 0,25% na quarta-feira, e disse que estava encerrando seu programa de compra de títulos. Ele também sinalizou que poderia aumentar as taxas de juros já em abril de 2022.

3. Os democratas lutam pela conta de gastos

Os democratas na Câmara e no Senado dos Estados Unidos não conseguiram na quarta-feira chegar a um acordo sobre como pagar o enorme projeto de lei proposto pelo partido.

O chefe do comitê de redação de impostos da Câmara disse que uma proposta para colocar um imposto sobre os ativos de bilionários foi abandonada nas negociações sobre viabilizar as receitas para pagar a conta.

O presidente Joe Biden irá ao Capitólio, informou a Reuters, para tentar garantir um acordo, ou pelo menos a estrutura de um, sobre seu amplo plano de gastos antes de partir para uma reunião do Grupo dos 20 líderes em Roma, seguido pela cúpula do clima das Nações Unidas na Escócia.

Sua luta para cumprir sua agenda legislativa levantou dúvidas de que os EUA possam liderar o mundo no combate às mudanças climáticas ou à recuperação econômica pós-pandemia.

4. Mercado de ações americano

As ações dos EUA devem abrir em alta, continuando o tom forte gerado por uma temporada de lucros amplamente positiva, com a Ford pronta para brilhar.

Às 08h14, os futuros da Dow Jones avançavam 0,25%, enquanto os da Nasdaq 100 e os da S&P 500 subiam 0,55% e 0,31%, respectivamente. 

As ações da Ford foram negociadas 9% acima do pré-mercado depois que a gigante automobilística relatou um lucro mais forte do que o esperado no terceiro trimestre na noite de quarta-feira e aumentou sua previsão de lucros para o ano inteiro, já que a forte demanda por seus caminhões ajudou a compensar o impacto da escassez global de semicondutores.

O dilúvio de lucros deve continuar na quinta-feira, com a Apple (NASDAQ:AAPL), a maior empresa do mundo, e a gigante do varejo online Amazon (NASDAQ:AMZN) no Holofote.

Os investidores também irão estudar de perto a primeira estimativa para o crescimento anualizado do produto interno bruto no terceiro trimestre. Espera-se que os dados mostrem que o crescimento desacelerou para 2,7%, seu ritmo mais lento em mais de um ano e abaixo do crescimento de 6,7% do trimestre anterior, conforme os gargalos do lado da oferta e infecções por Covid-19 pesaram.

5. O petróleo sofre perdas consecutivas nos estoques dos EUA

Os preços do petróleo caíram na quinta-feira, pelo segundo dia consecutivo, depois que os números oficiais mostraram um salto surpreendentemente grande nos estoques de petróleo nos EUA na semana passada.

Às 08h15, os futuros do petróleo dos EUA caíam 1,44%, a US$ 81,47 o barril. Os futuros de Brent também caíam 1,44%, a US$ 82,66 o barril.

Os estoques de petróleo bruto dos EUA aumentaram 4,3 milhões de barris na semana passada, disse o Departamento de Energia na quarta-feira. O montante é mais do que o dobro dos 1,9 milhão de barris esperados e muito acima dos de 2,3 milhões de barril sugeridos pelo American Petroleum Institute.

Deixe seu Comentário

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content