sábado, 04 de dezembro de 2021
EUA

Fed reduz juros nos EUA pela primeira vez desde a crise financeira

31 julho 2019 - 15h18Por Redação SpaceMoney

O Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA, anunciou na tarde desta quarta-feira (30) a redução da taxa básica de juros daquele país (equivalente à Selic no Brasil) pela primeira vez desde a crise financeira dos subprimes, em 2008. O órgão responsável pela política monetária estadunidense também declarou que pode cortar novamente a taxa ainda este ano, com o intuito de isolar a expansão econômica recorde dos EUA do abrandamento do crescimento global. "À luz das implicações da evolução global para as perspectivas econômicas, bem como as pressões inflacionárias moderadas, o Comitê decidiu reduzir o intervalo alvo para a taxa de fundos federais para 2 a 2-1/4 por cento", disse o Fed em comunicado logo após anúncio da decisão.

O Fed decidiu por reduzir o intervalo alvo da taxa básica de juros em 0,25 ponto percentual, para 2%-2,25%, atendendo às expectativas do mercado financeiro. A mudança foi prevista pela maioria dos investidores e economistas, mas desapontará o presidente Donald Trump, que twittou na terça-feira que queria um "grande corte". "Estou muito desapontado com o Fed", disse Trump a repórteres. "Eu gostaria de ver um grande corte e gostaria de ver imediatamente a parada do aperto quantitativo." No entanto, contra o pano de fundo de uma economia saudável dos EUA, alguns analistas tentaram minimizar as expectativas de que mais cortes de juros devam ocorrer. Com os mercados atualmente prevendo cerca de mais dois cortes até o final do ano e pelo menos um no ano que vem, o Goldman Sachs disse não acreditar que "o atual ritmo de crescimento e inflação justifique o grau de flexibilização dos preços atualmente". A última vez que houve redução da taxa de juros pelo Fed foi em 16 de dezembro de 2008, no auge da crise financeira e três meses após o colapso do Lehman Brothers, que trouxe uma série de cortes de emergência na taxa básica de juros neste ínterim. O Fed capitulou para reduzir as taxas para 0% naquele dia, mas estabeleceu uma meta de 0% a 0,25%, dizendo que “condições econômicas fracas provavelmente justificarão níveis excepcionalmente baixos da taxa de fundos federais por algum tempo”. As taxas estavam em 4,25% no final de 2007. O Fed ficou até 16 de dezembro de 2015 sem realizar uma subida nas taxas. O início da alta dos juros até o nível atual, que atraiu a ira do presidente, começou em 15 de março de 2017, quando os dirigentes do Fed “esperam que as condições econômicas evoluam de uma maneira que garanta aumentos graduais no taxa de fundos federais." Ainda nesta quarta-feira, será a vez do Banco Central do Brasil anunciar o resultado da reunião que discute se mantém ou reduz a taxa Selic. Com Bloomberg e Investing.com
  • Assista ao vivo à entrevista de Jerome Powell, presidente do Fed:
[yotuwp type="videos" id="WAHmbral1R0" ]  
Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content