domingo, 28 de novembro de 2021

Destaques: dados da China e desemprego nos EUA

09 julho 2020 - 09h05Por Investing.com
Por Geoffrey Smith Investing.com – Os dados dos pedidos de seguro desemprego dos EUA serão publicados nesta quinta-feira (9), que terá o mercado operando normalmente na Bovespa após São Paulo adiantar o tradicional feriado para maio. Os EUA têm enfrentado uma elevação nos casos confirmados de covid-19 e nos últimos cinco dias os casos diários bateram recordes sucessivos. O coronavírus se espalhou especialmente pelo Sul do país, nos estados que resistiram por mais tempo às medidas de isolamento social e reabriram cedo demais suas economias. Os futuros dos EUA operam com leve queda, destoando do ambiente positivo na Europa e na China. O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, fará um discurso sobre política econômica, enquanto seu rival Donald Trump aguarda a decisão da suprema corte sobre o compartilhamento de seus dados fiscais. Os metais – não apenas o ouro - estão em alta a expectativa de que a rápida recuperação da China possa puxar a demanda pelos ativos. Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros nesta quinta-feira, 9 de julho.

1. Pedidos de seguro-desemprego nos EUA

Os EUA divulgarão a atualização dos pedidos iniciais e contínuos de seguro-desemprego às 9h30 (horário de Brasília) para um mercado cada vez mais preocupado com o risco de uma nova desaceleração devido à pandemia.

Na verdade, os pedidos contínuos aumentaram na semana passada, mas devem cair em mais de 300.000 para 18,95 milhões, enquanto os pedidos iniciais - que superaram repetidamente as expectativas dos analistas nas últimas semanas - deverão diminuir em 52.000 para 1,375 milhão.

A divulgação ocorre enquanto os EUA relatam um novo recorde de mais de 62.000 novos casos na quarta-feira, quase 10% acima do registro diário anterior. O Covid Tracking Project registrou mais de 900 mortes pela doença pelo segundo dia consecutivo. Agora, a Johns Hopkins estima o número de mortos nos EUA em mais de 132.000, pouco menos de um quarto do total global.

2. Iuan se recupera à medida que os temores de deflação diminuem

O iuan chinês ultrapassou o nível 7 em relação ao dólar, enquanto a alta nas ações da China continuava inabalável.

No fechamento do comércio na Ásia, o iuan foi cotado em 6,9845, menor nível desde meados de março, devido a outro aumento nos índices de ações do continente. O CSI 300 fechou em alta de 1,4% e subiu 17,8% até agora este mês.

O aumento mais recente ocorreu após os números mostrarem uma recuperação maior nas tendências de preços domésticos do que o esperado, aliviando os temores de deflação nos preços ao produtor. O índice caiu apenas 3% no ano até junho, depois de ceder 3,7% em maio - número que agora parece marcar a mínima a curto prazo. Os preços ao consumidor também caíram apenas 0,1% em junho, em vez dos 0,5% esperados.

3. Ações devem abrir mistas; Walgreens e companhias aéreas em foco

As ações dos EUA devem abrir mistas com foco nos números de pedidos de seguro-desemprego.

Às 8h32 (horário de Brasília), o contrato futuro de Dow caía 39 pontos, ou 0,1%, enquanto o contrato futuro de S&P 500 subia 0,02% e o contrato futuro de Nasdaq 100 subia 0,5%.

Os holofotes mais tarde estarão sobre a Walgreens Boots, que deve divulgar seus números trimestrais, bem como as ações das companhias aéreas. A United disse que poderá dispensar até 45% de sua força de trabalho, cerca de 36.000 pessoas, até outubro, como resultado da queda na demanda por viagens aéreas.

Também digno de nota são a General Motors (NYSE:GM) e as ações da Fiat Chrysler, depois que um juiz rejeitou uma ação da GM alegando que a FCA havia subornado as autoridades do sindicato para obter um acordo mais agradável quanto aos seus rivais.

4. Biden deve falar, Trump aguarda decisão da Suprema Corte sobre declarações fiscais

O candidato presidencial do Partido Democrata Joe Biden fará um discurso descrevendo algumas de suas principais prioridades econômicas.

Segundo vários relatos, Biden defende as políticas de "compra americana", especialmente no que diz respeito a compras governamentais, ao mesmo tempo em que sinaliza uma expansão da cobertura de saúde. Houve poucos detalhes sobre seus planos para impostos, que foram uma grande preocupação para os investidores no passado.

Enquanto isso, o oponente de Biden na eleição presidencial, Donald Trump, deve ouvir a Suprema Corte sobre se suas declarações fiscais podem ser liberadas para investigadores e promotores do Congresso. Trump recusou intimações de três comitês da Câmara controlados pelos democratas, bem como do procurador do distrito de Manhattan, Cyrus Vance Jr.

5. Metais básicos brilham à medida que o ouro se consolida

Os metais continuam registrando novas máximas com um conjunto de fatores, de medos de degradação cambial pelos bancos centrais a fechamentos de minas forçados pela pandemia.

Os futuros de ouro estavam se consolidando, em queda de 0,3%, depois de atingir as máximas de 9 anos no início da semana, mas os dois metais básicos mais importantes do mundo - cobre e alumínio - recuperaram-se com uma onda de alta chinesa. Os contratos futuros de alumínio em Londres atingiram seu nível mais alto desde 11 de março, enquanto os contratos futuros de cobre atingiram seu nível mais alto desde abril do ano passado, ajudados em parte por um anúncio da Rio Tinto (LON:RIO) de que fechará uma fundição na Nova Zelândia e colocará outras instalações em revisão.

Os preços do cobre estão sendo pressionados, entre outras coisas, pela expansão da Covid-19 pela América Latina, onde estão localizadas muitas das maiores minas do mundo.

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Rev Content