Menu
Busca quarta, 20 de outubro de 2021
Blue3 - Cotações
Blue3 - Cotações Mobile
commodities

Derivados do petróleo voláteis; mercado reflete a retomada da atividade de shale

22 junho 2020 - 14h46Por Investing.com

Investing.com - Após iniciarem a manhã em queda, os preços do petróleo subiam ligeiramente na segunda-feira (22), depois de subirem na semana passada a um nível que muitos pensam ser o mais alto possível de forma convincente no curto prazo.

Às 14h40 (horário de Brasília), os contratos futuros de petróleo dos EUA subiam 1%, a US$ 40,23 por barril, enquanto o índice de referência global Brent subia 1,28%, a US$ 42,73 por barril.

O mercado está em um padrão de retenção no momento, após uma reavaliação das perspectivas de demanda global e de oferta da Agência Internacional de Energia e da Organização dos Países Exportadores de Petróleo na semana passada.

No entanto, a preocupação do mercado permanece a mesma: se a demanda está se recuperando em um ritmo rápido o suficiente para reduzir o excesso de estoques globais após colapso no segundo trimestre e se os produtores têm a disciplina de manter os cortes de produção.

O salto na demanda continua de fato: a Espanha, um dos piores países afetados pela Covid na Europa, informou que a demanda por gasolina caiu apenas 29% em relação aos níveis do ano anterior, na semana passada, em comparação com uma redução de 83% em março.

Com a Opep e seus aliados mantendo suas projeções de oferta inalteradas na semana passada, muito depende da atividade da indústria de shale dos EUA. A contagem de equipamentos da Baker Hughes no final da semana passada caiu para uma nova mínima de 11 anos. No entanto, analistas do JPMorgan apontaram na semana passada que os dados diários compilados pela consultoria Genscape sugerem que os fechamentos nos EUA estão diminuindo consideravelmente.

"Acreditamos que a contagem decrescente de plataformas provavelmente já chegou ao seu ponto mais baixo, enquanto a atividade de fraturamento provavelmente já está em recuperação", disseram analistas liderados por Natasha Kaneva em uma nota semanal.

A equipe de Kaneva vê os preços do WTI em uma média de US$ 34 por barril no terceiro trimestre. Eles observaram dados sugerindo vários produtores que já planejam aumentar a atividade em julho e agosto.

Na segunda-feira, a consultoria Deloitte emitiu uma perspectiva sombria para a indústria de shale dos EUA, dizendo que a indústria enfrenta uma onda de falências e até US$ 300 bilhões em baixas contábeis. Os analistas da Deloitte argumentaram que 30% das operadoras estão tecnicamente insolventes com os preços do petróleo a US$ 35, enquanto outros 20% "estressaram suas finanças".

Dicas valiosas sobre investimentos e notícias atualizadas,
cadastre-se em nossa NEWSLETTER!

ou fale com a SpaceMoney: 

Baixe nosso app: